(Review 161) - Misery: Louca Obsessão

em 5 de noviembre de 2017

Misery
Stephen King

Suma de Letras / Debolsillo 


Autoconclusivo

326 Páginas
 Intriga / Thriller / Mistério/ Suspense
  
Goodreads /Amazon / Book Depository / Skoob    
★★★

** Para leer esta reseña en español, haz click AQUI 
...Paul Sheldon descobriu três coisas quase simultaneamente, uns dez dias após emergir da nuvem escura. A primeira foi que Annie Wilkes tinha bastante analgésico. A segunda, que ela era viciada em analgésicos. A terceira foi que Annie Wilkes era perigosamente louca... Paul Sheldon é um famoso escritor reconhecido pela série de best-sellers protagonizados por Misery Chastain. No dia em que temrina de escrever um novo manuscrito, decide sair para comemorar, apesar da forte nevasca. Após derrapar e sofrer um grave acidente de carro, Paul é resgatado pela enfermeira aposentada Annie Wilkes, que surge em seu caminho. A simpática senhora é também uma leitora voraz que se autointitula a fã número um do autor. No entanto, o desfecho do último livro com a personagem Misery desperta na enfermeira seu lado mais sádico e psicótico. Profundamente abalada, Annie o isola em um quarto e inicia uma série de torturas e ameaças, que só chegará ao fim quando ele reescrever a narrativa com o final que ela considera apropriado. Ferido e debilitado, em Misery - Louca Obsessão, Paul Sheldon terá que usar toda a criatividade para salvar a própria vida e, talvez, escapar deste pesadelo.  

 Resenha:


Misery: Louca Obsessão é o meu primeiro libro do Stephen King. Yes, I know... Como assim depois de tantos anos lendo nunca havia sequer cogitado ler nada de um dos mestres do terror? Muito simples... Eu sou medrosa. Do tipo que se apavora total com cenas um pouco mais sensíveis e do tipo que fica horas e mais horas relembrando qualquer coisa mais chocante. Assim que tinha certeza de que Mr King e eu não éramos para nada compatíveis.

Resultado de imagen para gif kathy bates miseryQuando as meninas do Folloneras, um grupo de leitura em espanhol do qual sou parte propuseram iniciando uma leitura das obras de King inicialmente exatamente nesse mês de Halloween, não pude mais com a curiosidade e decidi me arriscar lendo King.
Misery foi uma boa eleição já que não possui aquele terror mais carregado de outras obras do autor. Em verdade, Misery poderia ser catalogado como um thriller ou suspense psicológico já que, à exceção de umas poucas cenas mais grotescas, a maior parte da trama se resume em manter a tensão esperando "o que está por vir".

Confesso que esperava mais, muito mais do livro. Não é que eu estivesse com demasiadas expectativas, porém, durante diversos momentos me senti frustrada pois a trama estancava em um determinado ponto e parecia não evoluir. Os primeiros capítulos foram um sem parar de ler, queria descobrir quem era Annie Wilkes e do que ela seria capaz. Me fascinou como o autor soube demonstrar com clareza toda a obsessão que permeia a existência de Annie, seu temperamento volúvel, explosivo, psicótico, e a mania de perseguição que parece ser já parte da rotina de Annie. Porém, com o passar das páginas a leitura foi decaindo, alguns capítulos me pareceram eternos e eu tinha a sensação que de não evoluía, de que nada acontecia. Eu não sei se foi essa justamente a intenção inicial do autor, fazer-nos sentir a angústia e o temor de Paul Sheldon de uma maneira pausada, de maneira que indiretamente nos instiga à duvidar de qualquer momento de calma. Mas, seja ou não premeditado, por alguns momentos achei que King se extendeu demais no calvário de Paul Sheldon e algumas páginas, ao meu ver, sobravam.

O ritmo excelente do inicio é retomado nos capítulos finais que são não apenas cheios de surpresas e reviravoltas como também momentos de pânico total. Paul Sheldon não é apenas um escritor sobrevivendo nas mãos de uma fã psicopata. Pouco a pouco conheceremos diversas facetas de Paul, seu lado mais depressivo, seu lado mais egoísta, seu lado mais estupido, mas também seu lado disposto à tudo para vencer, alguém que se recusa a admitir uma derrota e conduzirá o leitor à um duelo de monstros com Annie Wilkes.

Resultado de imagen para gif kathy bates miseryA ambientação não poderia ser mais simples. A obra de King realmente oferece pouco em ambientação, porém, nesta trama, a força dos personagens dispensa uma ambientação de luxo. A casa de Annie Wilkes se converte em um pesadelo vivo na mente de Paul Sheldon e na mente do leitor e através das poucas descrições oferecidas é possível visualizar cada canto daquele ambiente tão tóxico e doentio. Os personagens, apenas dois, Annie e Paul, são dois opostos que cada vez vão tornando-se parecidos. Paul, que se apresenta como alguém inicialmente gentil, sedutor, educado aos poucos se converte em alguém novo e sombrio. Annie pode ser amorosa, diligente e prestativa, porém se torna insana, manipuladora e violenta com a mesma rapidez com que o vento muda de direção.
O autor explora com total convicção e um senso de coerência enorme a história de uma relação entre um escritor famoso e sua fã número um, alguém que para ter sua fantasia permanente sempre intacta foi capaz de cometer loucuras movida por um sentimento de admiração malvada.

Leia Misery: Louca Obsessão à cegas, sem buscar spoilers ou informações extras. Esse é o tipo de livro para se ler sabendo pouco, uma história que vai se desentranhando conforme os capítulos passam de maneira pausada, à fogo lento. Isso não é uma critica, na verdade entendo que foi a maneira encontrada por King para tornar sua obra mais aterradora e realista e justamente por essa razão Misery se torna tão impactante e brutal em muitos momentos.

Recomendo para aqueles que, como eu, estão iniciando no gênero e buscam algo mais leve, que pudesse se assemelhar à um thriller, com doses menores de terror. É um livro bom para conhecer a escrita de King e entender o porquê ele continua sendo um dos autores mais populares da atualidade. 

Imagen relacionada

Resultado de imagen para stephen kingStephen King (Portland, EUA, 1947) é um escritor americano conhecido por seus livros de terror. Ficou famoso desde sua primeira novela, Carrie a estranha (1974), e depois dessa se seguiram outros sucessos como O Iluminado (1977) , onde alcançou prestígio internacional, It a coisa (1986) e Misery (1987), isso para mencionar apenas três de seus muitos sucessos. Seu estilo direito aliado à sua grande capacidade de destacar os aspectos mais inquietantes do próprio cotidiano, o converteu no autor do gênero do terror mais vendido da história (embora também tenha se arriscado em escrever fantasia e ficção cientifica). Autor de roteiros para a TV, muitas de suas obras também foram levadas para o cinema. 
Depois do divórcio de seus pais, foi criado por sua mãe, além de passar parte de sua infancia com os avós paternos em Indiana e Connecticut. Aos onze anos de idade se mudou para o Maine com sua mãe, onde ela foi trabalhar como cozinheira em uma instituição para pessoas com problemas mentais. 
Participou ativamente de movimentos politicos, sendo um ferrenho participantes dos movimentos contra a Guerra do Vietnã. 
Em 1971 se casou com a escritora Tabitha Spruce. Durante os primeiros anos de casamento, King trabalhou em uma lavanderia, e conseguiu fazer algum dinheiro escrevendo relatos para uma revista masculina. Parte de esses relatos seriam recoletados posteriormente em uma de suas obras. 
Publicou livros usando também pseudonimos, como Richard Bachman e John Swithen. 


Twitter: Stephen King



Nos Lemos....



Beijos...


Alice

17 comentarios:

  1. Comecei a ler ontem e como você disse, não consigo parar de ler, muito embora me sinta nervosa com os ataques de insanidade de Annie e o quanto ela é fria, manipuladora, obsessiva e maldosa. Por trás de cada ato de bondade dela, sempre vem um de maldade extrema e eu não estou sabendo lidar!HAHAHAHAHAHAHAHAHAH...
    Já li outros livros do King e eles tem esse defeito, de se estender demais em algo que não tem necessidade, o que torna a história, em certos momentos,cansativa.
    Espero gostar desse livro o tanto que estou gostando agora.

    Um super beijo
    Livros em Contexto

    ResponderEliminar
  2. Oi!
    Como ainda não li nada do autor, seguirei sua dica de começar por este exemplar. Gostei muito de saber suas impressões sobre a escrita de King. Não conhecia seu blog e o achei simplesmente maravilhoso, parabéns!
    Beijos

    ResponderEliminar
  3. Oi Alice, realmente parece ser um livro que quanto menos spoiler melhor, é um dos livros do King que tenho mais curiosidade e tenho vontade de ver a adaptação tb.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderEliminar
  4. Acho que devido à fama do autor em escrever livros de terror, pegamos os livros dele com um tipo de pensamento, e geralmente encontramos uma história completamente diferente. Tive essa experiência também de esperar algo que nunca chegou de um livro dele, e foi quando percebi que suas histórias são mais um terror psicológico do que sobrenatural mesmo. Quero muito ler Misery! Ótima resenha!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  5. Hey Alice! Como vai?
    Já tinha visto esse livro mas não sabia que era assim...
    Essa sensação que a gente fica de que eu poderia estar lendo outra coisa parece que fica no meio da leitura, mas o autor foi bem espertinho para manter a leitura bem fervida no inicio e no fim do livro, né???
    Acho que leria sim!
    Uma dica é o nevoeiro.. Foi o livro que li do King e não é tão pesado no terror...
    beijocas!
    Pâm - www.interruptedreamer.com

    ResponderEliminar
  6. Parabéns pela resenha Alice! Já li Misery e curti bastante. Na verdade, Stephen King é um dos meus autores favoritos. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderEliminar
  7. Oi, Alice!
    Eu gostei muito da história, apesar de ter tido a mesma sensação que você teve em certos capítulos. No meu caso, são nos capítulos da Misery mesmo.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe das promoções em andamento e ganhe prêmios maravilhosos

    ResponderEliminar
  8. Olá Alice, tudo bem!
    Ainda não li nada do autor, apesar de todos os comentários positivos a cerca dos livros dele.
    No momento não tenho muita vontade de ler “Misery”, mas no futuro quem sabe eu não dou uma chance e descubro como terminou o duelo entre Annie e Paul. Ótima resenha!!!

    *bye*
    Marla Almeida
    loucaporromances.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  9. Oi Alice, já li esse livro e para mim foi um dos mais agoniantes dele, junto com Jogo Perigoso, que segue a mesma linha. Para mim, o cara é um mestre mesmo...
    bjs

    Amor por Livros

    ResponderEliminar
  10. Olá. Já li alguns livros do mestre, mas confesso que esse não me chamou atenção, já passei por ele algumas vezes, eu olho pra capa, abro, cheiro, abraço, mas vontade de ler mesmo, eu não tive. E sabe o mais curioso? Nunca nem tive vontade de ler resenhas sobre ele. Bom, vou deixar guardado mais um pouquinho... Adorei sua resenha, mas mesmo ela, ainda não me encorajou a ler. Bjks

    ResponderEliminar
  11. Olá!
    Eu assisti esse filme quando mais nova e me impressionei demais com tudo. A história, a interpretação dos atores, o final... Nossa ainda sinto o gostinho do prazer. Quero muito ter e ler esse livro. Adorei a resenha, valeu.
    Nizete
    Cia do Leitor

    ResponderEliminar
  12. Olá!
    Eu nunca li nada desse autor, mas fiquei com muita vontade de ler It, só que também sou daquelas que fica pensando nas cenas do livro, então preferi ainda não arriscar. É uma pena que a leitura desse tenha tido esses altos e baixos, mas que bom que no final voltou a ganhar ritmo. Amei a resenha!

    sejacult.com.br

    ResponderEliminar
  13. Caramba somos muito parecidas no quesito medo, até agora só li um livro do King e pelo mesmo motivo. Pretendo ler mais, porém procuro os menos apavorantes. Bom saber que esse título não faz tanto medo, mas deixa o leitor tenso e apreensivo. Irei adicionar a minha lista de futuras leitura.
    Uma pena o desenrolar da história ser mais lento do que o esperado, também prefiro narrativas mais intensas e elétricas.
    Mas que bom que no final valeu a pena ler. Dá mais que aceita.

    ResponderEliminar
  14. Gootei muito da resenha, o mestre Stephen King é um gênio, mas tanto para livro quanto adaptação em filme/série Sob a Redoma, Carie a estranha, O Nevoeiro, It e O apanhador de sonhos são os melhores na minha opinião.

    Seu post me deixou curiosa, não conhecia muito sobre Misery e agora vou dar uma pesquisada ♥

    Beijos

    ResponderEliminar
  15. Nunca li nada do autor ainda, mas já assisti várias das adaptações, que são ótimas. Ainda vou começar a saga de leituras das suas obras, pois se a escrita do rei for parecida com a do seu filho, tenho certeza que vou adorar!

    ResponderEliminar
  16. Tive a impressão de que esse livro tem uma tensão psicológica muito mais forte que o terror em si e acabei desanimando um pouco, mas ao mesmo tempo parece ter uma narraativa interessante, ainda não conhecia o livro, mas mesmo dizendo para ler as cegas vou procurar saber um pouco mais sobre ele

    bjos
    Pah
    Lendo e Escrevendo

    ResponderEliminar
  17. Cara....tu devia ter começado por alguma coisa mais leve como Carrie ou Joylando kkkkkkkk....Misery é muito tenso! Lembro que quando li nossaaaaaaaaaaaaa...eu fechava o livro, parava , ia fazer outra coisa ahahahahaha.....Acho que a situação estava toda aí, na tensão, nada de bom ia acontecer, Paul estava super mega, ultra fodido e ela era sua fã número 01 ♥♥♥♥ kkkkkkk
    Mas King é isso aí mesmo, as vezes sobram páginas, como vc falou, por exemplo AMO A hora do vampiro (Salém) que republicaram como Salém, pois a tradução anterior tira todo o tesão do leitor....e esse livro eu achei bem lento, mas AMO.....Já Buick 8 eu amei a ideia da história, mas abandonei, pois não rolou.....O cemitério eu sempre gostei do filme, mas achei que o livro poderia ter umas boas páginas a menos
    bjs

    ResponderEliminar