23 de febrero de 2018

(Review 178) - Imperfeitos (Flawed, #1)

Flawed
Cecelia Ahern

Ediciones B / Novo Conceito 
390 Páginas
  Distopia / Juvenil
Goodreads /Amazon / SaraivaSkoob 
★★★


Para leer en Español, haz click AQUI
Celestine North vive em uma sociedade que rejeita a imperfeição. Todos aqueles que praticam algum ato julgado como errado são marcados para sempre, excluídos da comunidade, seres não merecedores de compaixão. Por isso Celestine procura viver uma vida perfeita. Ela é um exemplo de filha e de irmã, é uma aluna excepcional, bem quista por todos do colégio, além do mais, ela namora Art Crevan, filho da autoridade máxima da cidade, o juiz Crevan. Em meio a essa vida perfeita, Celestine se encontra em uma situação incomum, que a faz tomar uma decisão instintiva. Ela faz uma escolha que pode mudar o futuro dela e das pessoas ao seu redor. Ela pode ser presa? Ela pode ser marcada? Ela poderá se tornar do dia para a noite Imperfeita? Nesta distopia deslumbrante, a autora best-seller Cecelia Ahern retrata uma sociedade em que a perfeição é primordial e quem cometer qualquer ato falho será punido. A história de uma jovem que decide tomar uma posição que poderá custa-lhe tudo.  

 Resenha:


*** Resenha originalmente escrita em 28/12/2016 e postada no blog Resenha Atual, onde estive como colaboradora.

Imperfeitos é um livro que me picava a curiosidade desde o início. Amo distopias e a história se vê bastante original. Se trata de uma dualogia, assim que já esperava uma trama mais ágil que a das trilogias típicas e sem tantos rodeios e além disso, sejamos bem honestos, o nome "Cecelia Ahern" deixa os fãs mais do que curiosos. 
Cecelia, que é uma referência em novelas românticas, merece aplausos mais uma vez. E digo isso, não apenas por arriscar-se em sair completamente do seu gênero, lançando-se em uma história nova dirigida à um público diferente dos que costumam acompanhar sua trajetória, como também por haver acertado em cheio nessa nova tentativa. 
Quem pensava que Cecelia deixaria a desejar como autora de distopias juvenis, se equivoca muito. 
A autora consegue manter um bom ritmo, construir uma história cheia de suspense e com personagens que conseguem prender e conquistar.

Imperfeitos nos apresenta uma sociedade em que as atitudes morais e de caráter de uma pessoa são julgadas até o mais forte extremo. 
Uma simples mentira, um mero deslize de comportamento tem consequências nefastas. Os que sucumbiram e cometeram algo moralmente reprovável são marcados por toda a vida, dependendo do crime cometido. Alguns estão marcados no pé, outros na mão, há aqueles que possuem a testa marcada, outros o peito, bem no centro, e a pior de todas, aqueles que são marcados na língua. A marca da rejeição, dos traidores, dos não confiáveis, um enorme I de "Imperfeitos", deve-se ser deixada à mostra, para que todos saibam que aquela pessoa é alguém do "mal", e que deverá viver desde então uma vida de regras e privações, desde uma dieta alimentar mais básica, até ter seus direitos de liberdade privados, como a proibição de viajar fora do país e o toque de recolher. Os que não cumprem as rigorosas normas, são julgados novamente pelo terrível Tribunal do juiz Crevan e poderão ser castigados das mais diversas maneiras, e até mesmo o mero ato de ajudar à um "imperfeito" acarreta em crime.

Celestine North sempre foi a garota perfeita. Celestine possuí as melhores notas. é uma filha exemplar, uma aluna modelo, uma cidadã que respeita as regras e que apóia uma e cada uma das sanções impostas aos ditos "Imperfeitos". Afinal, aquelas pessoas certamente fizeram algo bastante mal para estarem nessa situação, certo?
Como se fosse pouco, Celestine é a namorada de Art Crevan, o filho do temido juiz Crevan, responsável de julgar e condenar os atos dos imperfeitos. 
Quando uma situação inusual mexe com as emoções de Celestine, ela não consegue se controlar ao ver um idoso "imperfeito" sucumbir diante dela. Em um ato de compaixão, Celestine ajuda ao idoso e por causa desse momento de fraqueza Celestine é presa, acusada de ajudar à um "Imperfeito". Marcada também ela como Imperfeita para servir como "exemplo" à todos os que ousarem ajudar à um imperfeito, Celestine agora deverá aprender a sobreviver em uma sociedade que pode ser mais do que cruel com aqueles que considera indignos. 
Vítima do preconceito, atacada física e moralmente, a garota, antes menina exemplar, se torna marginalizada pelos próprios amigos e somente poderá contar com o incondicional apoio de seus pais. 
O que ninguém sabe é que o juiz Crevan coleciona cada vez mais um número maior de inimigos, e que Celestine poderá se tornar o modelo e a porta voz de uma nova corrente, que talvez não esteja determinada à seguir as regras rígidas e questionáveis do Tribunal. Porém, em um jogo em que é apenas mais um peão de um grande tabuleiro, Celestine descobrirá o que é amadurecer em meio ao pavor e ao medo e descobrirá que às vezes o sabor amargo da traição vem de onde menos se espera.


Narrado em primeira pessoa, sob o ponto de vista da própria Celestine, o leitor conhece em primeira mão os dois lados da moeda: quando Celestine era a garota privilegiada, a namorada do filho do poderoso juiz, a garota de família respeitável que possuía um futuro promissor para, em um segundo momento, transformar-se em um pária da sociedade, discriminada e relegada de seus direitos. 

Embora trate-se de uma distopia, o livro também é um grande questionamento acerca do que realmente é imoral ou moral em nossa sociedade e até que ponto, na ânsia de sermos perfeitos, podemos agir de maneira cruel e desumana com outras pessoas, à quem julgamos, ainda que inconscientemente, por seus erros e desvios.
A autora nos convida a viver, junto com Celestine e outros, todos os lados da vida de um Imperfeito em uma sociedade que se considera moralmente perfeita, quando na verdade, possuí as sementes da corrupção bem fincadas no seu mais profundo patamar.

Confesso que nos primeiros capítulos Celestine me irritava. Odiava ver aquela típica protagonista de distopia: ingênua, tola e que acata e aceita tudo sem jamais questionar. A protagonista inclusive chega a ter algumas atitudes que farão o leitor torcer o nariz. 
Quando a garota é finalmente marcada, ocorre toda uma mudança de personalidade, e Celestine descobre, através de sua punição, como ser uma pessoa mais consciente, mais valente e mais segura de suas escolhas, e dessa nova versão de Celestine eu gostei e muito.

Além de Celestine conheceremos diversos outros personagens que despertam todo um rol de emoções no leitor. Alguns vão chegando sem grande alarde, para logo tornarem-se também eles peças fundamentais dessa trama surpreendente, escrita com talento e genialidade por Cecelia Ahern.
Entre os personagens, fiquem atentos à família de Celestine, Carrick e também Pia Wang, personagens que, inesperadamente, surpreendem.

A narrativa de Cecelia é absolutamente genial. Parece bastante confortável escrevendo distopias e fica até mesmo difícil de acreditar que essa é a sua primeira investida no gênero. Cecelia simplesmente arrasou, apresentando uma história envolvente, com as doses certas de ação, suspense e romance, com reviravoltas que me deixaram insegura e incerta sobre o rumo da história e com um final que não me deixa indiferente, mas sim, esperando curiosa pelo desfecho definitivo dessa história que, embora possa parecer similar à outros livros já publicados, consegue se destacar e se diferenciar, deixando claro que Cecelia Ahern possuí talento para conquistar e entreter à todo o tipo de leitor.

32726018

Imagen relacionada

Imagen relacionadaCecelia Ahern é irlandesa, nasceu em Dublin no ano de 1981 e formou-se em Jornalismo e Meios de Comunicação. Aos 21 anos escreveu seu primeiro romance, P.S. Eu te Amo, que se tornou best-seller imediatamente e foi adaptado para o cinema — assim como Simplesmente Acontece. A Lista, O Presente, O Livro do Amanhã e A Vez da Minha Vida também são best-sellers em todo o mundo. As obras de Cecelia Ahern são publicadas em 46 países e já venderam, ao todo, mais de 13 milhões de cópias. Ela ainda vive em Dublin com sua família.



Twitter: Cecelia Ahern




Nos Lemos...



Alice

35 comentarios:

  1. Oi, Alice
    Eu só li aquela obra famosa da autora, e confesso que nem me surpreendi tanto assim. Como você já sabe, distopias passam longe de mim, mas eu até já pensei em dar uma chance a esse livro, o problema foi o tanto de resenha negativa que eu vi. Fiquei meio pra baixo e acabei perdendo o interesse, mas agora vou tentar dar uma chance por causa da sua resenha. Acho legal a autora trazer a questão do perfeito já que a gente vê tanta pessoa pagando de perfeita nas redes sociais, como se não existisse nenhum problema em sua vida, e ver a forma como isso pode ser prejudicial seria legal.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com

    ResponderEliminar
  2. Oie!

    Uau! A sinopse já me deixou super intrigada e a tua resenha mais ainda.
    Já quero ler esse livro.

    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Oi Alice, tudo bem?
    Amo distopias mas não conhecia essa em especial, gostei muito da premissa e achei muito interessante a abordagem além do foco principal, me parece ser um livro bem forte. Gostei muito da resenha, fico feliz por ter gostado da leitura, espero ter oportunidade de conhecer a história um dia!

    Obrigada pelo carinho. Volte sempre!
    Um super beijo :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderEliminar
  4. Oi!! Eu amo os livros dela e tenho muita curiosidade de ler esse livro. Muito louco ser julgado por motivos tolos. E mostrar a protagonista nos dos lados é genial. Bjos ❤

    Click Literário

    ResponderEliminar
  5. Oi, Alice!
    Nunca li nada da autora, mas esse livro recebeu muitos elogios pelo menos na gringa. Ele me pareceu um pouco com aquele Matched e deve ser por isso que tenho um pouco de pé atrás pra ler por agora.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da Folia Literária 2018: cinco kits, cinco sortudos.

    ResponderEliminar
  6. Oii Alice, tudo bem ? eu estou com esse livro aqui pra ler, mas até hoje não li, mas sua resenha me deixou mega curiosa, já acho que vou gostar da leitura, pretendo ler o mais rápido possível.
    -Beijos,Carol!
    http://entrehistoriasblog.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  7. Olá!

    Ah, como eu amo distopias! Raramente vejo resenha de uma que eu não goste logo de cara. Essa não foi diferente. Nunca tinha visto algo desse tipo, e acho que vou gostar tanto quanto você da história, viu? Sem dúvidas vai entrar pra minha lista!

    Abraços

    ResponderEliminar
  8. Oi Alice,
    Acho que sua resenha foi a primeira positiva que li sobre esse livro. Lembro que tempo atrás, cheguei ver várias negativas. Isso é bom, porque me deixa curiosa quando há certo equílibrio das opiniões haha. Não imaginava Cecelia escrevendo distopia, acho bacana autores sairem da zona de conforto. Apesar das ressalvas sobre a protagonista, no início, fiquei curiosa! Ótima resenha!

    bjs
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderEliminar
  9. Oi Alice!

    Tudo bem? Então, eu amo os livros da Cecilia, os romances dela sempre me fazem chorar pra caramba e esse é o primeiro livro dela com um pé na fantasia.

    Vi muita gente falando que o que o livro não foi tudo que esperavam e tal, então estou com o pé atrás. É ótimo saber que pra você a história funcionou tão bem, espero conferir em breve o livro.

    Não gosto dessa capa, acho a arte bem estranha, mas em geral eu não gosto muito das capas da Novo Conceito.

    Beijinhos
    www.paraisoliterario.com

    ResponderEliminar
  10. Eu não sabia que esse livro era uma distopia.
    Eu gosto de ler obras a respeito e acho que a única que não curti foi a trilogia de Divergente lá.
    Do resto, sempre que leio eu curto.

    Fiquei curiosa por esse, ainda mais sabendo que você gostou.

    Tenha um ótimo final de semana.

    Beijos,
    Naty
    http://www.revelandosentimentos.com.br

    ResponderEliminar
  11. Olá! Logo de cara eu pensei que fosse um romance, mas durante a leitura, você falou que é uma distopia. Já curti! Vou marcar na minha lista de desejados. Obrigado pela dica.

    ResponderEliminar
  12. Olá!! :)

    Eu adorei esse livro!! :) Li-o já há algum tempo atras (prai há um ano e pouco...) e estou ansiosamente a espera do segundo!

    Realmente, a narrativa da autora e maravilhosa, e ela não teve problemas em adaptar-se ao género! Ao contrario de ti, acho que gostei da Celestine já um bocado no inicio!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livro.webnode.com

    ResponderEliminar
  13. Oi Alice!
    Eu adoro distopias, quero muito ler esse livro.

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderEliminar
  14. Eu tenho muita vontade de ler os livros dessa autora, adorei a sua resenha sobre esse e não vejo a hora de ler para matar a minha curiosidade. Adorei a resenha!

    ResponderEliminar
  15. Oi Alice, tudo bem?
    Eu amo distopias e ainda assim não conheço nenhum livro da autora, sua resenha me deixou interessada em ler esse e outros livros dela.

    Beijos e abraços Vivi
    http://vickyalmeida.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  16. Oi
    que bom que curtiu a leitura, eu gosto muito de distopias e faz um tempinho que queri ler esse, já li livro da autora e a escrita dela é boa,

    momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderEliminar
  17. Não sabia que a autora tinha se aventurado a escrever distopias. Que legal que ela tenha acertado na escrita, a sinopse é interessante e eu fiquei com bastante vontade de conhecer melhor a obra.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderEliminar
  18. Oi Alice,
    Quero conhecer a escrita da Cecília. Leio muitos elogios sobre seus livros, mas ainda não tive a oportunidade de ler nenhum.
    E eu adoro distopias, então bora unir o útil ao agradável, né?
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  19. Olá!
    Que bom que li sua resenha e notar que o livro é bom.
    Eu tenho ele baixado aqui e tinha me esquecido do enrendo então vou deixando ele de lado rs
    Eu curto muito uma distopia e leituras que nos fazem questionar o comportamento em sociedade.
    Parabéns pela resenha. Bjs

    ResponderEliminar
  20. Olá!
    Ahh que bom saber que a autora fez uma história que prendeu e está num gênero diferente do que ela tá acostumada a escrever. Tenho esse ebook e fiquei animada pelo desenrolar da história. Agora vou precisar passar na frente dos outros livros.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderEliminar
  21. Oi, Alice!

    Já fiquei me sentindo revoltada aqui pela injustiça em a marcarem como imperfeita só por ter tentado ajudar um imperfeito hahaha. Lembro que na época o livro foi bastante divulgado, mas depois de um tempo eu acabei até o esquecendo. Adorei a sua resenha, me deixou super curiosa pra conferir a história e os dois lados, o da perfeição e o da imperfeição.

    xx Carol
    Vai rolar Booktour do meu livro O Poder da Vingança, vem participar!
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  22. Olha só, conheço a escrita da autora, mas não tinha visto este livro ainda e me surpreendeu pelo gênero adotado por ela. Tem um tempinho que não leio distopia, e seria interessante conhecer como ela desenvolveu esta história.
    Bjs, Rose

    ResponderEliminar
  23. Eu não sabia que era uma duologia! Tô namorando esse livro tem um tempão, essa autora é uma referência nos romances e queria ver como ela se saia se arriscando em outro gênero, pelo jeito ela se saiu perfeitamente bem né? Adorei sua resenha.

    ResponderEliminar
  24. Oi Alic,e tudo bem? Leio muitas resenhas positivas da autora e mesmo não curtindo tanto distopias fico curiosa com essa obra, mesmo pq é sempre bom ver autores se aventurando em novos gêneros!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderEliminar
  25. Oi, Alice!
    Eu vejo muitas opiniões positivas sobre os livros da Cecilia, mas eu não me dei muito bem com a escrita da autora. Não consegui ler nenhum livro dela inteiro e não sei como seria com esse.
    Gosto muito de distopias e gostaria de dar uma chance para ele. Quem sabe eu mudo minha opinião, né?
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderEliminar
  26. OLÁ

    eu já li essa sinopse anteriormente e fiquei muito curiosa. Essa temática imperfeição acho que causa isso em nós, justamente por sermos imperfeitos para sermos humanos.
    Quero muito ler.

    UM BEIJO
    litgrrrl.blogspot.com

    ResponderEliminar
  27. Olá, tudo bem? Não li muitos livros de distopia na vida, mas os que li gostei muito. Esse ainda não tive a oportunidade de ler, porém parece ser uma estória incrível. Adorei a resenha!

    ResponderEliminar
  28. Oi Alice, tudo bem?
    Amo Cecelia, já li vários livros dela, quase todos na verdade! Sou fã mesmo! Só que este não me atraiu a leitura, não sou muito fã de fantasia e distopia, então talvez seja por isso. Amo a escrita dela, acho magica a forma como ela conduz o enredo de seus livros e acredito sim que este deve ser tão bom quanto os demais. Talvez em algum outro momento leia, mas por ora não! Amei sua resenha!

    ResponderEliminar
  29. Olá!

    Amo a Cecelia, mas faz tempo que ela escreve uma coisa gostosa de se ler, esse não me atraiu nem um pouco, a capa também não ajuda. Parabéns pela resenha.

    ResponderEliminar
  30. Olá Alice, ainda não tive a chance de ler nada da autora, mas pelos seus comentários esse livro parece estar bem bacana e com um bom enredo *--* Dica anotada.

    ResponderEliminar
  31. Olá, tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro e a autora, acho que é de fato o meu primeiro contato com "Imperfeitos" e de fato parece ser uma boa leitura, gostei da capa e da sua resenha, mas infelizmente no momento não dá para ler esse livro!
    Abraço!

    ResponderEliminar
  32. Eu gostei tanto dessa distopia, já faz um tempo que eu li. Só é uma pena pq a editora demora um século para publicar a continuação =/


    Sai da Minha Lente

    ResponderEliminar
  33. Oi Alice! Tudo bem?
    A minha primeira reação depois de ler essa resenha foi: meu, que porra foi isso que eu descobri?
    Depois, fiquei encantada com a proposta do livro e com certeza está mais do que na hora das pessoas pararem de tentar pagar de perfeitas e especialmente, de julgar os outros seja pelo que for.
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://galaxiadeideias.com
    http://osvampirosportenhos.blogspot.com

    ResponderEliminar
  34. Oiee tudo bem?
    Esse foi o meu primeiro contato mais profundo com a autora, não gostei muito dos livros de amor dela, mas adorei a distopia. Fico com medo em relação a situação da sequência já que temos poucas informações sobre a NC, mas espero muito que seja lançada em breve, Beijoos

    ResponderEliminar