(Review 197) - Crooked Kingdom - Vingança e Redenção (Six of Crows, #2)

em 12 de mayo de 2018


Título original: Crooked Kingdom
Autor: Leigh Bardugo
Editora: Gutenberg (Brasil) / Editorial Hidra (Argentina) / Orion Childrens (EUA)
Páginas: 448
Goodreads / Amazon / Skoob / Saraiva
Confiar na pessoa errada pode custar a sua vida. Após se safarem milagrosamente de um ousado e perigoso assalto na notória Corte do Gelo, Kaz Brekker e sua equipe se sentem invencíveis. Mas o destino está prestes a dar uma perigosa guinada e, em vez de dividir uma vultuosa recompensa, os seis comparsas terão que se munir de forças, de armas e de seus talentos para lutar pelas próprias vidas. Traídos e devastados pelo sequestro de um valioso membro da equipe, o Clube do Corvo agora conta com poucos recursos e aliados, e quase nenhuma esperança. Enquanto isso, forças descomunalmente poderosas se abatem sobre Ketterdam para desenterrar os segredos mais sombrios da potente droga conhecida como Jurda Parem, ao passo que antigos rivais e novos inimigos surgem para desafiar a perspicácia de Kaz e testar a frágil lealdade de seus parceiros. Agora, todos terão de enfrentar seus próprios demônios, e será preciso muito mais do que sorte para sobreviver à guerra que está se armando nas ruas obscuras e tortuosas desse implacável submundo - uma batalha por vingança e redenção que decidirá o futuro do mundo Grisha.

 Resenha:

Crooked Kingdom - Vingança e Redenção é a esperada segunda parte da bilogia Six of Crows, uma história que desde sua primeira parte me encantou, por seus personagens carismáticos e peculiares e por sua trama bem construída, cheia de reviravoltas e movimentos impensados. 
É o tipo de livro que até mesmo me intimidava e eu tinha medo de conferir esse desfecho. Conseguiria manter Bardugo o bom ritmo e a magia da primera parte?

Mesmo sendo um livro bastante largo, de quase 500 páginas, Crooked Kingdom tem uma história ágil, que instiga o leitor a ler sempre uma página mais. É aquele tipo de história que ainda permanece em nossa mente mesmo após fechar o livro, pois queremos prever de antemão as possiveis estratégias do brilhante Kaz Brekker e sua equipe de ladrões que, em busca de vingança, vão deixando sua marca e se convertem em lendas na cidade de Ketterdam. 

Apesar de ser um livro de leitura rápida, com muita ação, reviravoltas e revelações importantes, não sei dizer porquê não conseguiu me prender da mesma maneira que sua primeira parte. 
Sabe quando falta algo e não sabemos explicar exatamente o o quê? A narrativa é genial, os personagens são ótimos, mas houveram momentos em que me sentia desatenta, perdida na trama, e essa sensação de não estar captando totalmente a mensagem acabou deixando a minha leitura mais lenta do que esperava (esse livro me custou mais de 10 dias para terminar).

Embora a leitura tenha estagnado mais do que esperava, no geral, foi um um bom livro, que me surpreendeu em grande parte por conta das incríveis estratégias que Bardugo soube criar. Seu personagem, Kaz Brekker, ficará marcado como um dos tipos mais perspicazes e estrategistas que já li. Aliás, os personagens são certamente o ponto forte do livro. A trama é bem escrita, mais é o carisma do grupo principal o que realmente instiga o leitor a querer seguir lendo para descobrir o desfecho final destes queridos ladrões. Nina, Mathias, Kaz, Inej, Wylan, Jesper e Kuwei pouco a pouco vão demonstrando ao leitor sua valentia, lealdade, e o mais interessante é notar que as personalidades tão diferentes de cada um ao final se combinam para formar uma equipe que parece ser imbatível em qualquer estratégia. 

Crooked Kingdom é um livro cuja história às vezes pode ser cruel, tão cruel e fria como o próprio Kaz. É o tipo de livro para se ler esperando por qualquer coisa já que Bardugo realmente não tem compaixão de seus personagens. O resultado é que o leitor acaba sofrendo junto à eles e vivenciando em pensamentos essas loucas aventuras em busca de justiça e vingança por Ketterdam.

Já li a trilogia Grisha e essa é a segunda saga finalizada da autora portanto, em comparação com sua primeira trilogia, considero que a escrita de Leigh evoluiu muito, se nota que a autora está mais cômoda e até mesmo mais atrevida nos diálogos cheios de sarcasmo e ironia de seus personagens de Six of Crows
Enfim, é a típica dualogia para os fãs de livros de fantasia, com as esperadas cenas de ação e aquele toque de mistério que nos faz querer desesperamente chegar ao final para conhecer o desfecho da história.
Aliás, faltou um epílogo à este livro. Um livro com tantas páginas e personagens tão cativantes precisava de um epílogo pois o leitor fica querendo saber um pouco mais, imaginando o que terá sido de cada um dos membros do Clube do Corvo.

Em resumo, Crooked Kingdom - Vingança e Redenção é uma bilogia rápida de ler apesar do grande número de páginas, com personagens interessantes, inteligentes, sarcásticos e humanos, gente que o leitor fatalmente terminará amando. Apesar de ter tido um final que, ao meu ver, merecia ter sido mais aprofundado em quanto ao destino de cada personagem, foi uma ótima história, com uma trama cheia de aventuras e surpresas impossíveis de se prever. 



Imagen relacionadaLeigh Bardugo nasceu em Jerusalém, foi criada em Los Angeles, e graduou-se na Universidade de Yale. Agora vive em Hollywood e se entrega ao seu gosto por glamour. Seu primeiro romance, Shadow & Bone, agora é um Best Seller do The New York Times. Os direitos de Shadow and Bone foram comprados pela Dreamworks.

Web Page Oficial: http://www.leighbardugo.com/

Twitter: Leigh Bardugo








Nos Lemos...

Beijinhos..


Alice

8 comentarios:

  1. Oi, Alice!
    Confesso que não li toda a sua resenha, pois eu ainda tenho em mente que vou ler Six of Crows hahaha Por isso, só de ver que os diálogos agora são mais sarcásticos já fiquei com mais vontade ainda de ler os dois livros!
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderEliminar
  2. Oi Alice tudo bem? Apesar de não acompanhar a série, acho uma pena quando os segundos livros caem na maldição da continuação rsrs Mas eu gostei de saber que tem reviravoltas, adoro quando isso acontece! Espero que o próximo seja melhor!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderEliminar
  3. Oi, Alice!
    Eu amei demais essa duologia, mas realmente senti falta de epílogo mesmo.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderEliminar
  4. Oi Alice,

    Não li essa duologia, mas achei interessante.
    Só acho tão ruim quando um livro (série/trilogia), mesmo que extenso, deixe o final com lacunas ou deixando a desejar.

    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  5. Olá, tudo bem?

    Confesso que não conhecia essa duologia, nem a autora, mas fiquei curiosa, vou procurar a sua resenha do primeiro volume. É uma pena que você não tenha conseguido se conectar a segunda parte com a profundidade que foi a primeira para você, mas que bom que de algum modo aproveitou a leitura.

    Beijo!
    Ana Luz.

    ResponderEliminar
  6. Oi!
    Não acompanho a série, mas sempre vejo comentários positivos sobre. Gostei bastante da sua resenha e das suas fotos.
    Beijos!

    ResponderEliminar
  7. Oi, tudo bem?
    Eu tenho muita vontade de ler essa duologia, mas ainda nem li a trilogia Grisha. No entanto, pretendo fazer isso em breve e poder conhecer uma escrita da autora.
    Adorei alguns aspectos que você destacou, como o fato da trama do livro ser mais ágil, com muita ação e reviravoltas. Por outro lado, achei uma pena esse volume não ter te prendido tanto quanto o primeiro.
    De qualquer forma, adorei sua resenha e continuo curiosa para ler os livros da autora, incluindo essa duologia.
    Beijos!

    ResponderEliminar
  8. Olá,eu sofro um pouco do mal do segundo livro, sempre que o primeiro livro me faz ficar apaixonada pela escrita e pela história o segundo me decepciona, e isso aconteceu com essa duologia. O final foi aceitável mas poderia ter sido realmente mais aprofundado. Li pelo celular e foi uma leitura dificil para mim.
    Beijos

    ResponderEliminar