23 de mayo de 2018

(Review 201) - Procurando Gobi

Título original: Finding Gobi
Autor: Dion Leonard
Editora: Harper Collins (Brasil) / Harper Collins (Espanha) / Harper Collins (EUA)
Páginas: 249

Goodreads / Amazon / Skoob / Saraiva
Procurando Gobi é o relato milagroso de Dion Leonard, um ultramaratonista que atravessa longos percursos com um cachorrinho vira-lata enquanto compete em uma corrida de 155 milhas através do deserto de Gobi, na China. O adorável cãozinho, que mais tarde ganharia o nome de Gobi, provou que o que ele não tinha em tamanho, tinha em coração, enquanto seguia Dion, acompanhando-o por 77 milhas. Vendo a incrível determinação do animal, o objetivo principal de Dion já não era mais ganhar a corrida, mas, sim, garantir que sua amizade com Gobi continuasse forte mesmo após a linha de chegada. Embora não tivesse cruzado a linha de chegada em primeiro, Dion sentiu que ganhara algo ainda maior - uma nova visão da vida e um novo amigo que ele planejava trazer para casa assim que possível. No entanto, antes que isso pudesse acontecer, Gobi desapareceu na grande cidade chinesa. Dion, com a ajuda de estranhos e da internet, começou a rastreá-la e se reuniu para sempre com o incrível animal que mudou a sua vida e provou a ele e ao mundo que milagres são possíveis.
 Resenha:


Procurando Gobi é um livro que não esperava ler este mês, chegou através de um envio da Harper Collins para o blog e cuja história me surpreendeu muito durante a leitura. Geralmente leio bem poucos livros de não-ficção. Acho até interessante algumas biografias ou mesmo certos livros que oferecem dicas e conselhos, mas realmente não é o tipo de livro que costuma reinar na minha estante. Não sabia o que esperar de Procurando Gobi, mas desde que comecei os primeiros capítulos fui sendo cada vez mais arrebatada pela narrativa gostosa e sincera de Dion Leonard, um corredor que superou uma vida inteira de desafios e ao final nos deixa outra lição com essa história linda que ele nos faz conhecer em detalhes. Uma lição de lealdade, de esperança, de retribuir o bem que nos foi dado. 

Dion teve uma infância dificil demais. Perdeu o pai de criação, viu sua mãe se afundar no luto, não recebeu carinho ou atenção e terminou indo morar em um albergue. Desacreditado pelos familiares, pelos professores e até mesmo pelos próprios amigos que tinha, Dion teve a força pra ignorar tudo isso e superar à si mesmo, quando descobriu no esporte, mais precisamente disputando maratonas, uma maneira de vencer e provar que todos estavam errados sobre ele. 

Eu adorei a honestidade de Dion enquanto nos narra em 249 páginas detalhes de sua própria trajetória e também nos conta com precisão e afeto como a cachorrinha Gobi entrou em sua vida, lá no meio de uma Ultra Maratona no Deserto de Gobi, na China, que ele disputou com outros grandes atletas. 
Eu esperava encontrar um livro sobre uma cachorrinha dócil e seu dono. Porém, Procurando Gobi é muito mais do que isso. 


Dion narra com simplicidade, é aquele tipo de livro onde parece que o autor está bem ali, diante de nós, tomando um café enquanto nos conta algum fato curioso de sua vida. Ao longo dos capítulos, Dion se torna amigo do leitor, a gente se afeiçoa à ele, mesmo quando ele nos conta seus próprios defeitos e medos, quando se assume uma pessoa arredia, desconfiada, alguém que prefere sempre manter as distâncias. Outro detalhe que adorei é como ele narra com facilidade o ambiente nas corridas. Claro que eu já sabia que tudo é competitivo, estamos falando de prêmios, medalhas, dinheiro e glória, mas poucos conhecem o por detrás dos bastidores desse tipo de ambiente, e aqui o autor nos dá um panorama preciso, usando de uma sinceridade brutal. Há corredores famosos que para manter o status são capazes de trapacear, há maratonas onde atletas se esforçam além de suas próprias forças, e muitos perecem no caminho. E há medo também. Não só o medo de perder uma corrida, mas o medo constante de fracassar de tal maneira que isso abale uma carreira inteira. Mas além de tudo há a história das grandes amizades que se formam justamente nesse ambiente competitivo, aqueles que abandonam tudo para ajudar ao próximo que não tem forças de prosseguir e uma lealdade extrema onde apesar de competirem entre si, ao mesmo tempo se apóiam e se protegem. 
Dion é muito transparente à respeito de seus medos e lutas. E é por causa dessa transparência com relação à si mesmo que, como leitora, não pude mais do que me render ao seu carisma e também à doçura de Gobi, a cadelinha que o escolheu e perseverou no que acreditou, porque de alguma maneira impressionante, ela sabia que estava certa. 

O livro é uma delicia de se ler. É rápido, como já disse, e possui uma narrativa gostosa, onde o leitor vai se sentindo cada vez mais íntimo do autor e de sua jornada. 
Quando a cachorrinha Gobi se perde na cidade de Urumqi, um lugar grande na China, a gente sente aquele aperto no peito, e viramos as páginas em angústia esperando por um milagre.
Eu não conhecia a história de Gobi e Dion, então não sabia se ao final eles se reencontrariam ou não, e esse mistério tornou a minha leitura ainda mais prazeirosa, porque fiquei em alerta máximo esperando pelo desfecho. 

Eu aconselho aqueles que, como eu, não conheciam a história à fundo, tentem não pesquisar na internet antes de ler o livro. Eu acho que a leitura se torna maravilhosa quando estamos totalmente no escuro, sem saber o que ocorrerá. Mas mesmo pra quem já conhece Gobi e Dion, eu super aconselho essa leitura também pois aqui é a história viva e detalhada de todos os fatos, além dos bastidores do mundo de Dion e sua realidade, e isso são coisas que não constam nas notícias comuns do caso. 

Além de conhecermos a realidade do mundo das corridas através de Dion e sua profunda relação com a cadelinha Gobi, também somos introduzidos na verdadeira realidade da China.
Eu por exemplo não tinha a menor idéia de que em Urumqi havia uma divisão entre dois bandos distintos e que isso tornou a vida na cidade super difícil e perigosa à todos. Eu sabia que a China tinha um governo rígido, mas admito que nem me passava na cabeça que a vida dos chineses pudesse ser tão controlada pelos seus poderosos líderes. Então, além da jornada de Dion e Gobi, aprendemos também a dar um poquinho de valor à liberdade que gozamos aqui, vivendo em uma democracia, onde temos acesso ilimitado à internet e às noticias do mundo todo e ainda assim reclamamos sempre que temos a oportunidade (não adianta, o ser humano é assim!).

Depois que eu terminei o livro fui correndo na net procurar por mais fotos de Dion, Lucja, Gobi e também de seus amigos. Infelizmente, o livro não contém um acervo de fotos, e senti falta disso, pois eu fiquei tão imersa na história que queria muito saber como eram as pessoas que foram importantes no desenrolar dos fatos narrados. Poxa, Dion poderia ter liberado algumas fotos pessoais pra nós! No entanto, também entendo que muitas dessas pessoas talvez quisessem se resguardar e manter a privacidade, daí talvez a razão de não haver um álbum de fotos como epílogo para que o leitor pudesse saciar a curiosidade. 


Eu queria tanto poder convencer todo mundo à ler Procurando Gobi. Eu tenho certeza que tem gente que vai olhar e dizer: Ah não, esse livro não é pra mim, não curto biografias / narrativas / relatos. Mas, eu juro, eu também pensava isso até ler o primeiro capitulo, e que grata surpresa foi mergulhar nessas páginas, porque além de descobrir sobre Dion, Gobi, Lucja, também descobri sobre mim, descobri que há livros que são tão bem escritos que independente de qualquer coisa merecem uma oportunidade. 

Esse é um livro que a gente lê sem perceber que está acabando, pois mais parece uma conversa entre amigos do que uma narrativa de um desconhecido. Gobi é uma cachorrinha maravilhosa e rouba a cena cada vez que aparece, mas o legal aqui é que todo mundo foi fundamental, teve sua importância e deixa uma lição bonita ao leitor. Até mesmo aqueles que erraram, que agiram de má fé nos deixam uma lição e o grande lance da leitura é esse mesmo: ensinar o ser humano e nos ajudar a crescer em conhecimento. 

Eu fiquei apaixonada pela realidade de Dion, ele é certamente um vencedor e merece todos os seus triunfos. E o maravilhoso também, é que aqui pude conhecer não só o grande maratonista vencedor, mas o ser humano Dion, que passou por várias batalhas pessoais e está aí, de pé, até hoje, provando que a derrota só acontece pra aquele que se rende. 

Então fica aí a minha dica pra essa lição de vida que foi ler Procurando Gobi, um livro que indico à todos os leitores que amam uma história super bem narrada sobre lutas, perdas e muitas vitórias.

Resultado de imagen para dion leonardDion Leonard é um australiano de 41 anos que vive em Edimburgo, Escócia, com sua esposa Lucja. Dion já competiu nas mais difíceis maratonas ao redor dos lugares mais inóspidos do mundo, em sua lista de competições incluem duas vezes haver competido na Ultra Maratona pelo Deserto do Saara, no Marrocos, e também cometiu na Ultra Maratona no deserto do Kalahari, na África do Sul. Em uma de suas competições, pelo Deserto de Gobi, na China, sua vida tomou um rumo diferente quando ele conheceu e se apaixonou por uma carismática cadelinha (que ele mais tarde apelidou de Gobi), que o seguiu durante praticamente toda a corrida que acabou mudando a vida dos dois para sempre. 
                              https://www.facebook.com/findinggobi/

Twitter: Dion Leonard



Até a próxima, 


Ivy

29 comentarios:

  1. Olá, Ivy.
    Eu não solicitei esse livro para a editora porque estou meio apurada nas leituras. Mas amo livros com animais e todos que eu li me emocionaram. Pena que faltou as fotos. Ia dar um quê a mais para o livro.

    Prefácio

    ResponderEliminar
  2. Oi Ivy, tudo bem? Uma colaborada pegou esse livro pra ler, já que ela adora animais. Parece uma excelente leitura, muito bonita e mais bacana ainda pela questão cultural.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderEliminar
  3. Oi Ivy! Realmente eu olho e penso que não é o tipo de livro que leio, mas os elogios foram muitos e fiquei curiosa. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderEliminar
  4. Oi, Ivy!
    Eu sempre leio Gabi nesse título hahahahha
    Eu não sou muito de biografias, mas quem curte e também quem gosta de animais, é uma ótima pedida.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderEliminar
  5. beautiful blog! I really like how you write
    and what you give photos. wonderful!
    I have a question, you will agree to follow for follow?
    I like to be in touch with inspirational blogs.
    Greetings from Poland!
    ayuna-chan.blogspot.com

    ResponderEliminar
  6. que xuxuzinho de livro <3 amei demais conhecer

    bjj

    https://dosedeestrela.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  7. Oi Ivy <3
    Já me recomendaram esse leitura lá no skoob, mas acabei deixando de lado e não dando importância. Tbm não suo muito fã de não ficção... mas ler sua resenha fez com que despertasse a vontade pela leitura rs..
    Dica super anotada.

    Beijos
    Sai da Minha Lente

    ResponderEliminar
  8. Olá, Ivy!
    Eu não posso ver um livro de animalzinho que já me derreto por completa. Até mesmo o olhar de Gobi na capa do livro já é apaixonante. Eu amo livros assim, que retratem ainda mais a amizade que os animais podem nos oferecer e o carinho com o qual nos recebem, coisa que nem todo ser humano consegue fazer. O livro parece se tornar ainda mais interesse ao nos mostrar mundos distintos enquanto narra a relação entre os dois, como por exemplo o próprio mundo das corridas e a realidade da China. Tenha certeza que você já convenceu a mim a ler o livro assim que puder. Obrigada pela indicação!

    Um beijo!
    Débora
    http://www.amorlivronico.com.br/

    ResponderEliminar
  9. Tudo bem? Faz tempo não leio nada com animais e gosto, pois são leituras que carregam uma grande carga emocional e reflexões boas.
    Não li esse livro e nem sei se conseguirei tão breve, pois minhas listas estão cheias. Mas vou anotar a dica.

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderEliminar
  10. Oi Ivy!
    Parece ser um livro muito emocionante realmente. A história e forte, sem sombra de dúvidas, mas não é muito meu tipo de leitura. Mesmo com sua resenha muito positiva, não me motivo a ler porque provavelmente eu floparia ele. Não consigo levar histórias de superação ou meio auto ajuda.

    Abraços
    David
    https://territoriogeeknerd.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  11. Oi Ivy,

    Faz tempo que não leio biografias e de vez em nunca eu pego uma rsrs.
    Gostei do relato dessa e me cativou. Vou colocar na lista para ler.
    Bjs
    http://diarioelivros.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  12. Oi, Ivy! Tudo bom?
    A primeira vista, esse não seria um livro que me ganharia pela capa ou premissa, mas tua resenha me chamou bastante a atenção. Gosto muito de histórias cativantes assim, onde a gente se conecta de tal modo que parece mais uma conversa do que uma leitura <3
    Vou adicionar na wishlist e procurar quando puder!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderEliminar
  13. Oi Ivy,
    Eu não leio muitos não-ficção, mas não vou usar isso como justificativa para não ler essa obra, rs. Fique tranquila, rs. Na verdade, é muito pelo contrário, porque se você amou tanto, acho que deveria dar uma chance, posso me surpreender, né?
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  14. Oi Ivy!
    Parece ser um livro lindo para quem tem esse apego aos animais.
    Beijos,
    Alem da Contracapa

    ResponderEliminar
  15. Eu gosto bastante de livros de não-ficção, não conhecia esse ainda e fiquei interessada. Gostei de ver a sua resenha sobre a obra e espero poder realizar a leitura,

    ResponderEliminar
  16. Oi, Ivy!
    Só de ler o título já fico sensível. Tudo o que fala de cachorros ou que os usam como ponto principal da trama, me deixa emocionada. Acho que o amor e o carinho que esses livros demonstram são a maior verdade do mundo e somos capazes de sentir enquanto lemos.
    Eu não sou fã de não-ficção, mas acho que vou colocar esse livro na wishlist.
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderEliminar
  17. Olá Ivy, Se eu não me engano essa é sua primeira resenha, certo? Adorei! Adorei a forma como você enriqueceu a resenha com os detalhes que te impressionaram! Eu também tenho certo preconceito quando vejo livros com histórias de caozinhos fofos porque eu sempre acho que vai ser triste e que só vou chorar, mas sempre que fico assim de preconceito com algum livro, quando leio, só levo na cara por ter interpretado mal algo que eu nem conhecia. Por isso, com certeza posso dar uma chance!

    Um beijo da Yana,
    Marshmallow Com Café

    ResponderEliminar
  18. Olá, Ivy
    Eu ouvi falar muito da obra por aí mas não parei para ler sobre a sinopse e fiquei impressionada com o tanto que o autor traz de sua própria história. Também não gosto muito de não-ficção, mas eu acho interessante a forma como algumas pessoas captam a essência do que passaram em frases bonitas que nos cativam e tocam profundamente.
    Eu provavelmente não leria, mas vai saber, se eu tivesse o livro em mãos com toda certeza já estaria lendo.
    Beijos

    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderEliminar
  19. Oi Ivy, eu amo livros que tem animais na história. Antes eu não gostava de biografias (nunca tinha lido), mas depois da primeira, me apaixonei, não são chatas como eu pensava.
    Eu adoro quando tem fotos, e quando ler, provavelmente também sentirei falta deste complemento. Adorei a resenha, entrou para a lista de desejados.
    Bjos
    Vivi
    http://duaslivreiras.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  20. Oi Ivy!
    Eu sempre choro muito com histórias com cachorros, não sei se leria esse livro. Mas gostei bastante da resenha, o autor trata de vários assuntos interessantes.

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderEliminar
  21. Olá, tudo bem? Ultimamente eu tenho me interessado muito por livros com animais em geral, principalmente porque tenho várias na minha casa: são sete gatos, três cachorros e uma loura...rs! Todos os meus animais são bem cuidados mas, sempre tem um vizinho que insiste em envenenar um dos gatos ou algo assim.
    Eu não conhecia esse livro e a sinopse me deixou emocionada, um dos meus cachorros se perdeu da nossa casa uma vez quando esquecemos o portão aberto, ficamos quinze dias sem ele e choramos muito sua falta, ainda bem que ele conseguiu nos encontrar. Assim, que eu tiver uma oportunidade irei comprar esse livro.

    Beijos e Abraços Vivi
    Resenhas da Viviane

    ResponderEliminar
  22. Livros assim também não reinam por aqui, mas saber que o autor manteve uma narrativa transparente sobre sua própria vida e fiquei muito curiosa para saber como se desenrolou Gobi perdida em Urumqi, tadinha. Assim como você gosto de ler no escuro, é bem mais emocionante. Vamos anotar a dica e espero me apaixonar assim como você.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  23. Oi Ivy, tudo bem?

    Eu sempre passo longe de livros que tem animais, especialmente cachorrinhos. Sou apaixonada demais por esses animais e temo sofrer muito com eles nos livros, por isso acabo não lendo nada que os envolva (ou outros animais).
    Sou da turma do "não curto biografia/autobiografia/etc", mas esse ano está sendo de quebra de paradigma e estou buscando diversidade literária, por isso estou embarcando na leitura de gêneros até então não lidos.
    Adorei a indicação, adorei mesmo! E vou anotar a dica na minha lista de desejados, porque toda a tua resenha me convenceu a ler esse livro.

    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  24. Olá, tudo bem? Realmente é difícil eu ler algo que envolva não ficção e ainda por cima animais. Parece ser uma história maravilhosa, pela que você disse. Gosto de livros reflexivos, e vindo de uma leitura que você gostou, com certeza deixarei como dica anotada. Adorei as fotos <3 Realmente acho complicado um livro vir com fotos pessoais, ainda mais nesse caso, então entenderia de boa a falta de uma acervo desse. Ótimas palavras <3
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  25. Olá
    Realmente não costumo ler biografias, mas depois dessa resenha vai ser a minha primeira kkkk.
    Que legal quando nos surpreendemos ao ler um livro que "não damos nada", essas são as nossas melhores leituras.
    Dica anotada.
    Bjus

    ResponderEliminar
  26. Já tinha visto livro mas confesso que não bateu ainda aquela vontade de ler.
    Bjs Rose

    ResponderEliminar
  27. Olá, essa é a primeira vez que vejo esse livro, mas só de ver essa capa e ler o título, já me passa a ideia de uma leitura tocante, ainda que seja não ficção. Ficou ótima a sua resenha, já quero muito ler e conhecer mais da história do Dion com a Gobi.

    ResponderEliminar
  28. Olá,
    eu também não lia livros de não ficção, com exceção dos técnicos que preciso para o trabalho. Mas quando deu uma oportunidade não parei mais, é impressionante a força da mensagem que livros como esse passam. Fica algo positivo na gente. Vou colocar na minha lista. Gostei muito da resenha;
    bjs.
    Pri.
    http://nastuaspaginas.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  29. Oii.
    Esse parece ser um livro delicinha mesmos, adoro esses livros que prendem a gente e quando percebemos, já passou uma tarde, ou noite inteira.
    Já está na minha listinha, amei a resenha.
    Bjs Mary

    ResponderEliminar