(Review 212) - The Cellar (The Cellar, #1)

em 29 de junio de 2018

Título original: The Cellar
Autor: Natasha Preston
Editora: Crossbooks / Destino (Argentina) /  Sourcebooks Fire (EUA)
Páginas: 327
Saga: The Cellar
The Cellar
You´ve always be mine

Goodreads / Amazon / Skoob / Saraiva
19155234Nada nunca acontece na pequena cidade de Long Thorpe. Isso até a adolescente Summer Robbinson, de dezesseis anos, desaparecer sem deixar rastros. Nem a família e nem a polícia parecem conseguir encontrar qualquer pista sobre ela. Sobrevivendo dentro de um sótão da casa de seu sequestrador, junto à outras três garotas, Summer pouco à pouco vai conhecendo o passado abusivo de Colin, e sua obsessão em tornar suas vítimas em uma família, garotas que sejam perfeitas e puras como suas flores. Mas nem mesmo as flores conseguem sobreviver muito tempo trancafiadas longe da luz e do sol, e a sobrevivência destas garotas naquele sótão parece estar se extinguindo. 


 Resenha:


The Cellar é um suspense que cumpre à perfeição o que promete: inserir o leitor na pele de seu personagem principal, Summer, e através de sua voz, desesperadora e por vezes sombria, contar-nos a história de quatro garotas com quase nada em comum, que viram suas vidas tomarem um rumo drástico quando seus caminhos se cruzaram com os de Clover, um sequestrador que, tomado pela loucura decide criar o que considera ser a familia perfeita, mantendo cativas para si em um sótão as quatro garotas, mudando seus nomes e as tornando reféns de seus próprios medos e dores.

Natasha Preston soube traçar de maneira bastante convincente a trajetória de Summer. De início, quando recém chegada ao cativeiro, está disposta à fazer frente, resistir, mas pouco à pouco começa a perder as forças, torna-se apática, as esperanças começam a minguar, como ocorreu com as garotas que chegaram antes dela. Apesar de ter sua trama ambientada quase que inteiramente no sótão da casa de Clover, o livro em nenhum momento perde o ritmo. A trama é bastante tensa, até mesmo claustrofóbica, o leitor quer descobrir qual será o próximo passo desse louco psicopata ou até onde Clover será capaz de ir para manter sua fantasia. 

O perfil do vilão que Natasha Preston nos apresenta varia entre alguém realmente mal, alguém com requintes de crueldade e sem remorsos, uma pessoa demente e fora de si, para logo depois tornar-se alguém "comum", um simples contador de um escritório de advocacia, o sujeito solitário e prestativo que ninguém desconfiaria. Isso nos faz questionar bastante sobre como as aparências realmente enganam, pois Clover é o tipo de personagem que a própria Summer descreve como um tipo que dificilmente alguém suspeitaria.

Apesar de ser uma trama que mexe com o leitor, abala o emocional, carregada de uma atmosfera terrorífica, achei que houveram algumas falhas que não deu pra ignorar.
A autora tenta trazer-nos um livro narrado em três vozes distintas: Summer, o namorado dela Lewis e o vilão Clover. 
A narrativa de Lewis nos mostrará a luta para dar com o paradeiro de Summer, o desespero dos familiares, a inquietação, a incerteza, as eternas buscas por respostas que nunca parecem chegar.
A narrativa de Summer nos traz os dias de cativeiro, quem são aquelas quatro meninas e como elas farão para sobreviver àquele calvário durante meses sem perder a sanidade. 
O meu porém foi nas partes de Clover, A autora nos quis mostrar algo do passado, nos deixando breves momentos sobre sua mãe, e sobre garotas que teria sequestrado anteriormente. O grande problema é que tudo isso foi abordado de maneira superficial, o leitor fica sem saber o desenlace das histórias. Sabemos que Clover é um louco, e apesar de Natasha Preston ter respondido muitos detalhes de sua psicopatia de maneira muito convicente, houveram outros detalhes abordados que acabaram sendo esquecidos pela autora, e senti que mereciam ter tido melhor explicação e desfecho.

O mesmo vale para o final. A trama é bem escrita, tem um ritmo linear, e no final parece que os últimos eventos ocorrem de maneira apressada, sem dar tempo ao leitor para assimilar o que realmente aconteceu e como aquilo aconteceu. Essa mudança brusca no ritmo se sente demasiado, e defrauda bastante a leitura, justamente no final, que merecia as respostas mais coerentes. Inclusive, achei que uma das personagens teve um desenlace precipitado e mal explicado, não consegui assimilar até agora o desfecho dado pela autora à esse personagem e grande parte disso se deve ao fato de que não consegui entender o que realmente aconteceu nos últimos capítulos quando tudo deveria se esclarecer. 

De qualquer maneira, The Cellar terá uma continuação que tenho vontade de conferir, pois a última página deixa evidente que a trajetória das garotas ainda não terminou e eu quero saber o que Natasha Preston ainda tem reservado para surpreender o leitor nesta trama.

17457945

Resultado de imagen para natasha preston authorNatasha Preston nasceu na Inglaterra e viveu em pequenas cidades e aldeias no campo desde então. Já trabalhou como recepcionista e na área administrativa e, em 2010, começou a escrever. Mora com seu marido, Joseph, e é mãe de um menino.

Twitter: Natasha Preston




Nos lemos, 

Alice

17 comentarios:

  1. Oi, Alice
    Eu lendo a sinopse e pensando, caramba que trem bizarro, mas gostei kkkk Eu tenho medo de livros assim porque eu fico assustada com o tanto de mal que pessoas assim podem fazer a outras e tenho certo receio de ler algo do tipo, mesmo já tendo lido e gostado de livros com essa temática.
    Pena que tinha tudo pra ser maravilhoso e a autora ter dado aquela cagada básica, infelizmente. Tomara que melhore no segundo volume.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderEliminar
  2. Suspense é um dos meus gêneros literários favoritos de todos os tempos, a sinopse me chamou muita atenção assim como os pontos que apresentou na resenha, acredito que ele ser narrado por 3 pessoas nos dá uma perspectiva bem diferente de tudo o que está rolando, com toda certeza irei ler! Beijos e até a próxima!

    ResponderEliminar
  3. Oi Alice, quando um suspense consegue isso, de fazer o leitor entrar na cabeça dos personagens que vivem situações realmente tensas é uma coisa muito boa. Ainda mais tendo em vista que nesta obra vemos quatro mulheres presas as mãos de um louco sequestrador. Só é uma pena que a autora pecou um pouco na superficialidade de algumas situações, não se aprofundando em algumas coisas. E sobre o personagem ser alguém assim, sem ninguém imaginar que seria ele, é a mais pura realidade.

    Beijos
    Vento Literário

    ResponderEliminar
  4. Este comentario ha sido eliminado por el autor.

    ResponderEliminar
  5. Olá! Primeiramente quero dizer que esse gatinho da foto é muito fofo!! Bom que esse livro fez você sentir o personagem na pele. Pela história passa o maior tempo no mesmo lugar - o sótão - podia se tornar chata, mas, que bom que pensou que não perdeu a força da trama e ainda despertou curiosidade do que seria o próximo passo do louco do Clover. Pelo jeito a autora conseguiu criar um perfil para o vilão bem completo e cheio de complexidade, já que vai desde um louco, cruel, remorsos, solitário á um ser comum. É complicando quando um livro traz mais de um narrador, às vezes podem ser ótimo outras fazer o autor “falhar”, pena que você pensa que isso neste foi uma falha. Apesar disso, bom que a trama foi bem escrita. Acho bem chato quando a história fica presa em algo e o final é corrido de mais e acontece tudo de uma só vez. Tomara que a continuação de The Cellar te surpreende mais. Sua resenha ficou bem completa e boa. Beijos

    ResponderEliminar
  6. Oiiiii,

    Parece ser muito interessante, mas infelizmente este não é muito o meu tipo de leitura porque eu fico impressionada, ainda mais por você dizer que as vezes da uma sensação de claustrofobia, nem li e já fiquei desesperada kkkkk Mas para quem gosta do gênero parece ser realmente um ótima dica.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderEliminar
  7. Olá, Alice.
    É nessas horas que eu queria saber ler em inglês, porque a premissa do livro é muito boa. E mesmo com esse final não tão bom quanto o resto do livro, eu quero ler ele. Mas acho que no próximo pode vir as explicações que ficaram em aberto. Ah, amei seu gatinho, é muito parecido com minha Sofia hehe.

    Prefácio

    ResponderEliminar
  8. Oi Alice,
    Não conhecia a obra... E mesmo com as falhas apresentadas, fiquei curiosa.
    A obra parece forte, intensa. Vou esperar lançarem aqui no Brasil!
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com

    ResponderEliminar
  9. Olá!
    Gostei bastante do enrendo já que suspense é um dos meus gêneros favoritos, o chato que tem continuação (procuro evitar livro em séries).
    E talvez a superficialidade de algumas cenas do livro seja justamente por ter continuação. Bem, vou esperar a resenha do segundo. Bjs

    ResponderEliminar
  10. Oi, Alice!

    A premissa da história me lembrou um filme que assisti recentemente baseado em fatos reais do sequestro de três garotas que passaram 11 anos aprisionadas. O livro em questão me deixou curiosa, principalmente por esse ponto que você levantou de a autora mostrar dois lados do vilão, o insano e o comum, e como de fato as aparências enganam

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com

    ResponderEliminar
  11. Oii!
    Não curto suspense por isso a premissa não me conquistou! E que pena que a leitura não foi não tão agradável! Realmente é muito ruim quando um livro não é bem desenvolvido e acaba sendo uma história superficial :/ Ótima resenha!

    bj
    https://blogperdidanasnuvens.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  12. Olá!
    Apesar de gostar de suspense a premissa do sequestro não me chamou a atenção. Geralmente evito leituras muito tensas pelo pavor com que elas são narradas na trama. Mas é bom saber que a autora escreve bem.
    Gosto muito de ler em inglês, mas no momento estou optando por leituras mais leves, então vou passar a dica dessa vez.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  13. Oi, tudo bem?
    Eu nunca tinha ouvido falar sobre esse livro, mas confesso que não fiquei curiosa para ler. Já é um estilo que eu não leio, porque me pareceu um suspense que vai quase para o terror. Sou muito medrosa, então, esse tipo de livro foge muito do que eu me sentiria confortável lendo.
    Além disso, as ressalvas que você fez são coisas que me incomodariam também, porque me pareceu que algumas coisas ficaram mal explicadas e que o final foi muito apressado.
    De qualquer forma, adorei sua resenha e espero que você goste mais do próximo livro.
    Beijos!

    ResponderEliminar
  14. Oi Alice,

    Thrillers, suspenses, terror não fazem parte da minha lista de livros lidos, sou medrosa demais, ainda mais quando envolvem situações que podem ser muito reais... não são distópicas ou fantasiosas! Acho que eu morreria de medo, olharia dez vezes para todos os lados quando estivesse na rua, sei lá.. me aterrorizaria.
    Eu sou curiosa e acabo tendo vontade de ler os livros, mas pela minha própria sanidade, procuro outras leituras que não me impactem tanto.
    Acredito que eu não conseguiria nem enxergar as falhas na narrativa de tão assustada que ficaria, mas a premissa é bem interessante, parece coisa de episódio de "Criminal Minds", hahaha.

    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  15. Oi Alice!
    Não conhecia o livro, mas gosto de suspense e achei a premissa interessante. O que não me agradou muito, foram as falhas na trama, citadas por você.
    Parabéns pela resenha, sem spoiler e bastante sincera.
    Mas dessa vez vou deixar passar a dica.
    Beijo

    ResponderEliminar
  16. Mesmo com as ressalvas, acredito que daria uma chance para a leitura. É um dos meus gêneros favoritos e só a sinopse em si já me atraiu. Gosto de histórias bem construídas, então sinto que tbm ficaria insatisfeita com o desfecho. Mas sera que não será que esses assuntos não serão tratados na continuação? =/

    Beijos
    Sai da Minha Lente

    ResponderEliminar
  17. Olá! Realmente, esse parece se rum livro bem tenso desde o início, afinal, não tem como falar de um psicopata e tudo ser calmo e leve, não é? Uma pena que alguns pontos mais fracos deixaram a desejar, mas espero que goste da continuação. Acho que ainda não tem ele aqui no Brasil, né? Uma pena, acho que eu ia ficar tensa, mas ia curtir.
    Abraços

    ResponderEliminar