(Review 223) - Champion (Legend #3)

em 6 de agosto de 2018



Título original: Champion
Autor: Marie Lu
Editora: Rocco (Brasil) / Ediciones SM (Argentina) / Putnam Juvenile (EUA)
Páginas: 369
Gênero: Distopia
Saga: Legend
Legend ✔
Prodigy
Champion 

Goodreads / Amazon / Skoob / Saraiva
ChampionJune e Day abriram mão de muita coisa pelo povo da República, sem falar no quanto sacrificaram um pelo outro. Agora o país está vivendo um novo momento. June voltou a ser celebrada menina-prodígio da República, ocupando uma posição privilegiada dentro do governo como Primeira Cidadã, euquanto Day passou de criminoso mais procurado a herói nacional e garoto propaganda do governo de Anden. Nenhum dos dois, no entanto, poderia ser capaz de prever as circunstâncias que os reuniriam novamente. No momento em que a paz parece iminente, um vírus mortal começa a espalhar o pânico nas Colônias, e a ameaça de guerra volta a rondar as cidades fronteiriças da República. A nova praga é a mais mortal de todas, e June é a única que tem a chave para a defesa do país. Mas salvar a vida de milhares de pessoas significa pedir ao seu amor que abra mão de tudo o que lhe restou. 

Resenha:   
E por fim pude ler Champion, o desfecho final da brilhante trilogia Legend, de Marie Lu. Uma coisa posso dizer: Marie Lu possuí o dom de criar uma história fascinante em um cenário desolador que resulta bastante crível já que a nefasta República em Legend se assemelha (e muito) à algumas ditaduras que hoje vemos ao redor do mundo.

A trama é absolutamente viciante, apenas lamento não haver lido esta terceira parte antes, já que muitos dos fatos ocorridos em partes anteriores eu não conseguia mais me lembrar.
June e Day retornam aqui marcados por todas as tragédias ocorridas. Day está aqui mais fechado, mais rude e ainda mais disposto a lutar para proteger ao seu irmão, Eden.
June continua fiel às suas crenças. É uma garota que cresceu de maneira privilegiada, acreditando na República, e que no fundo, em seu íntimo, parece ainda albergar a esperança de poder voltar a confiar nesta mesma República. 
O amor entre June e Day é cheio de dores e altos e baixos. Day ama June com todas as suas forças, ainda que isso possa quebrá-lo por dentro. Porém June, eu confesso, algo na personagem não termina por me convencer de seu amor por Day. Eu senti falta de uma June mais honesta e mais decidida em quanto aos seus sentimentos. A impressão que dá é a de que Day poderia fazer qualquer coisa por June, mas tenho dúvidas se June faria o mesmo por ele. 

Não vou falar sobre a trama em si. Ao se tratar do terceiro e último livro da série, é muito complicado trazer algo da trama sem revelar um spoiler odioso para os que ainda não leram os volumes anteriores. Apenas posso garantir que o livro prende bastante, principalmente depois de sua primeira metade.
A primeira metade foi um pouco lenta, talvez porque eu não conseguia me lembrar de muitas coisas e até mesmo de alguns personagens... Na segunda metade temos bastante ação, uma guerra e uma invasão e tudo isso mantém o leitor pegado às páginas de Champion.

O romance continua bastante em secundário, como tem sido durante toda esta trilogia. 
Day ama June. June parece gostar de Day. Porém, não veremos aqui um casal de adolescentes se agarrando ou suspirando um pelo outro à todo o instante. Day e June são mais profundos, mais maduros e carregam as responsabilidades de gente adulta. 

A autora sabe exatamente quando se faz necessário uma cena mais romântica, ou um momento mais cheio de afeto entre o casal, e ela presenteia o leitor com cenas assim que, embora sejam breves, conseguem marcar e ser emotivas, não fazendo falta que haja mais do que isso.

Um dos pontos mais fortes da trilogia é a narrativa, com os capítulos em primeira pessoa intercalados entre os dois protagonistas. Fomos conhecedores da perspectiva de June e de Day em igual proporção, e creio que esse diferencial trouxe mais agilidade à trama e a tornou mais interessante.

A ambientação também é outro ponto dos mais interessantes na trama de Marie Lu. Na primeira parte a autora nos apresentou a República. Na segunda parte tivemos um panorama das Colônias e aqui conheceremos um pouco da Antártida, a sofisticada aliada da República.

Entre os personagens secundários teremos velhos conhecidos dos leitores da saga como Thomas, a comandante Jameson e Tess, mas também conheceremos mais profundamente personagens pouco explorados nas entregas anteriores como Anden - o Novo Eleitor - e Eden, o irmão mais novo de Day.

O final me deixou um sabor agridoce. 
Eu entendo o final que a autora quis trazer, acho que foi o mais sensato e necessário, porém, senti falta de um epílogo. Esse é o clássico final com um desfecho abrupto, daqueles que faz o leitor querer imaginar o que pode ter ocorrido com os personagens adiante. Não se trata de um final aberto, mas sim de um tipo de final onde de sopetão tudo finaliza e fica no leitor aquela incerteza de se não foi rápido demais. 

Resumindo, Champion é o desenlace da famosa distopia que fez famosa Marie Lu. Com um enredo ágil, personagens cheios de facetas e reviravoltas para deixar o leitor em choque, Champion é uma boa leitura. Com um final abrupto, ainda assim, é uma distopia maravilhosamente bem escrita que apresenta um cenário convincente e uma trama arrebatadora.

Marie Lu nasceu na China e mudou-se ainda criança com a família para os Estados Unidos. Formou-se na Universidade do Sul da Califórnia e começou a trabalhar como programadora na indústria de videogames. Hoje é escritora em tempo integral. Nas horas vagas, ou quando não está presa em engarrafamentos, ela gosta de ler, desenhar e jogar Assassin’s Creed. Ela mora em Los Angeles, na Califórnia (por isso os engarrafamentos), com o namorado, um Chihuahua sem pedigree e dois cachorrinhos da raça Welsh Corgi Pembroke.


Twitter: Marie Lu



Nos lemos,

Alice

20 comentarios:

  1. OI Alice! Eu li apenas a trilogia Jovens de Elite, mas pelas resenhas, tenho impressão que esta é ainda melhor. Preciso conferir o mais breve possível, a Marie é super versátil em suas tramas.
    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderEliminar
  2. Alice, que livro! Que final!
    Fiquei com a mesma sensação que você, de agridoce e querendo um pouco mais.
    Mas gostei muito.
    Achei o final bem épico e condizente com toda história.
    Assim como você, eu demorei a ler a última parte e fiquei bem perdida em vários pedaços do começo, sem lembrar bem quem era quem e o que rolou no livro dois.
    Mas eu amei e estou ansiosa pelo filme.
    Adoro o fato de que eles são adolescente, tem romance, mas não são adolescentes que não conseguem tirar as mãos um do outro. Tem tantas mais camadas do que isso!

    Beijooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderEliminar
  3. Olá, Alice.
    Eu amei essa trilogia, consegui ler ela na sequencia. Uma coisa que gostei muito foi que o romance é algo muito sutil. Mas fiquei com uma dúvida agora porque pelo que me lembro teve si um epílogo porque eu tinha ficado com o coração em pedaços mas dai gostei bastante da forma como a autora finalizou. Será? hehe. Vou até conferir lá no livro.

    Prefácio

    ResponderEliminar
  4. Amei!!!

    Excelente artigo!

    Um dos melhores blog que acesso, sempre tem artigos novos e com bastante conteúdo de qualidade.

    Parabéns!


    Meu Blog : Loterias da Caixa

    ResponderEliminar
  5. Oi Alice!
    Ainda nao li nenhum dos volumes, mas tenho os 3 aqui e pretendendo. Gosto muito da escrita da autora e dos seus personagens. Eles sao sempre muito facetados e isso e de fato o que eu mais gosto, personagens mais imperfeitos. To ansioso.

    Abraços
    David
    https://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  6. Oi, Alice!

    Depois que li Warcross, sou doida pra ler mais séries da Marie Lu! Adorei a sua resenha e acho que já sei em que livro dela apostar agora hahha

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com

    ResponderEliminar
  7. Oi, Alice!
    Nossa, até hoje sofro com meu Dune nesse final. MARIE LU POR QUE ME MATASTES???
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderEliminar
  8. Oi, Alice
    Quando a gente gosta de uma trilogia é muito bom terminá-la, né? Eu detesto séries porque ás vezes demoro demais pra ler e quando vou ver, não lembro de nada mais. Mas que bom que a Marie Lu conseguiu criar uma boa trama. Eu nunca li nada dela mas tenho interesse.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com

    ResponderEliminar
  9. Me sinto bem à vontade com enredos ágeis, não conhecia a série e nem a autora, então já sei que a possibilidade de eu gostar é grande a julgar os aspectos que você explana na resenha. Pena que faltou epílogo.

    ResponderEliminar
  10. Eu preciso ler algo dessa autora urgente hahahaha
    Nunca li nada dela e eu amo distopias. Vou atrás dessa série =D

    Sai da Minha Lente

    ResponderEliminar
  11. Oi Alice! Nunca li nada da Marie Lu, apenas críticas super positivas! Eu acho que todo fim de trilogia deveria ter epílogo mesmo, os leitores sempre merecem rsrsrs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderEliminar
  12. Oi Alice!
    Guria eu me sinto MUITO envergonhada por não ter dado continuação a essa trilogia, principalmente porque eu amei o primeiro e acho uma das melhores distopias que já li. Fiz o mesmo com a trilogia de Jovens de Elite, que eu adorei cada página mas até hoje ainda não li o último. QUAL O MEU PROBLEMA?

    Att.,
    Eduarda Henker
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderEliminar
  13. Olá!
    Só tive contato com a escrita dessa autora quando li Batman e gostei bastante. No entanto uma série me desanima a pegar pra leitura. Fiquei com a impressão de ter muitos altos e baixos ao longo das tramas, além de uma narrativa arrastada por ser distopia.
    Ainda não decidi se dou uma chance ou não, mas quem sabe futuramente eu leia.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderEliminar
  14. Olá, tudo bem? Eu já vi falarem suuuper bem dessa triologia, então tenho bastante curiosidade de ler, principalmente por ser uma distopia tão cheia de surpresas. Adorei tua resenha, minha curiosidade só aumentou!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderEliminar
  15. Já tinha visto o livro, mas não conhecia a premissa dele e menos ainda da série de qual ele faz parte. Saber que a trama é viciante é animadora, sem dizer que fiquei curiosa para conhecer a ambientação interessante criada pela autora. Uma recomendação anotada.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  16. Olá,

    Eu estou adiando a leitura dessa série, porque ela tem tudo para me conquistar, mas me falta tempo para lê-la e ela merece toda minha atenção e concentração.
    Day e June me lembram Peeta e Katniss. Confesso que acreditava verdadeiramente no amor do Peeta por Katniss, porém nunca no inverso.

    Lerei e sua resenha está maravilhosa.

    Beijos!

    ResponderEliminar
  17. Olá! Eu já tinha ouvido falar dessa série, mas não tinha lido nada sobre ela. Apesar de ser o último, adorei conhecer suas impressões sobre ela e, confesso, aguçou minha curiosidade. Vou procurar mais sobre, pois amo distopias!

    Abraços

    ResponderEliminar
  18. Oi Alice, estou empolgadíssima para começar a ler essa história. Me apaixonei pela escrita da Marie Lu na primeira leitura que fiz dela, de Jovens de Elite, apesar de ela ter me feito sofrer bastante hahaha Acho que Legend faz mais a minha cara com essa distopia na manga, porque achei JE muito diferente e fiquei meio chocada com a forma sombria da história, a série Legend é assim ou nada haver?

    Beijos da Yana,
    Marshmallow Com Café

    ResponderEliminar
  19. Essa série tem ganhado milhares de fãs, e pelo que você descreveu já sabemos qual a razão. A premissa me agrada muito, e eu amo distopias! Percebi que o enredo é bem desenvolvido e certamente será uma das séries que lerei ainda esse ano. As capas são maravilhosas!!
    Beijos do Wes ^^

    ResponderEliminar
  20. Olá!
    Tenho Legend aqui em casa que ganhei em algum amigo invisível que não estou lembrada no momento, mas toda vez que quero iniciar a leitura, outra corta a vez e acabo deixando para lá, o que é realmente lamentável, pois só ouço maravilhas sobre a escrita dela. Vais ver se dessa vez vai!

    ResponderEliminar