(Review 232) - Melancia (Walsh Family, #1)

em 30 de agosto de 2018

Título original: Watermelon
Autor: Marian Keyes
Editora: Bertrand (Brasil) / DeBolsillo (Argentina) / Penguin (EUA)
Páginas: 489
Gênero: Chick Lit / Romance Contemporâneo
Saga: Walsh Family
Melancia (Watermelon) ✔
Férias! (Rachel`s Holiday)
Los Angeles (Angels)
Tem alguém aí? (Anybody out there?)
Chá de Sumiço (The mystery of Mercy Close)
Mamãe Walsh (Mammy´s Walsh´s A-Z of the Walsh family)

Goodreads / Amazon / Skoob / Saraiva

MelanciaMelancia é um romance sobre a arte de manter o bom humor mesmo nos momentos mais adversos. Com 29 anos, uma filha recém nascida e um marido que acabou de confessar um caso de mais de seis meses com a vizinha também casada, Claire se resume a um coração partido, um corpo inteiramente redondo, aparentando uma melancia, e os efeitos colaterais de gravidez, como, digamos, um canal de nascimento dez vezes maior que seu tamanho normal! Nada tendo em vista que a anime, Claire volta a morar com sua excêntrica família: duas irmãs, uma delas obcecada pelo oculto, e a outra, uma demolidora de corações; a mãe viciada em telenovelas e com fobia de cozinha; e o pai, à beira de um ataque de nervos. Após passar alguns dias em depressão, bebendo e chorando, Claire decide avaliar os prós e os contras de um casamento de três anos. E é justamente nessa hora que James, seu ex marido, reaparece. Claire irá recebê-lo, mas lhe reservará uma bela surpresa. 

Resenha: 


Desde que conheço o chick lit, sempre escutei mil recomendações sobre os livros de uma das rainhas do gênero, Marian Keyes, a autora do best seller Sushi. Eu ainda não tinha experimentado ler nada dela (e nem estava nos meus planos para esse mês) mas, quando minha irmãzinha mais nova me emprestou Férias!, da mesma autora, eu decidi me arriscar e conhecer a tal família Walsh.

Melancia é o primeiro livro da série da família Walsh (Férias! é o segundo) e eu como boa chata não quis ler a saga fora de ordem, então, coloquei às pressas Melancia na TBR, pra poder seguir em ordem as aventuras desses personagens. 
Descrito como uma espécie de "Bridget Jones irlandês", Melancia só serviu pra provar dois pontos pra mim: a) chick lit é um gênero que ou amo muito ou simplesmente odeio; b) nem sempre o que todo mundo ama pode me agradar. 

Desde que ouvi falar desses livros, eles nunca haviam me chamado a atenção. Nem as capas, nem os títulos, nem as sinopses, mas, aquele lado mais otimista dentro de mim esperava no mínimo dar algumas risadas, afinal, Marian Keyes é amada por tantos leitores!
Ok, houveram partes até divertidinhas, mas no geral, Melancia foi uma leitura arrastada, longa demais e sem graça ao extremo. 

A protagonista aqui será Claire Walsh, uma jovem mãe que é abandonada pelo marido justamente no dia em que acabou de dar à luz à filha deles, Kate. Sem saber o que fazer, Claire parte rumo à Dublin, na Irlanda, para passar uma temporada na casa dos pais e assim, quem sabe, superar essa fase negra. Obviamente, o caminho será cheio de espinhos. Claire deverá amadurecer, lidar com o fracasso do casamento, cuidar de um bebê e, quem sabe, refazer sua vida.

Eu queria demais uma protagonista mais bem resolvida. Claire é tão insegura, fraca, volúvel, manipulável e apática que foi difícil até mesmo torcer por ela. Talvez estejamos mal acostumados como leitores, sempre lendo sobre garotas fortes, que desafiam reinos e impérios e se descobrem poderosíssimas. Sim, talvez seja eu que esteja mal acostumada. Mas a verdade é que suportar mais de 400 páginas com uma protagonista que se lamenta e se compadece de si mesma o tempo todo foi um martírio total. 
Claire é tola, carente. É aquele tipo de personagem sem nenhum amor próprio e que faz o leitor sentir apenas pena. 

Além dela, me estressei até o infinito com os personagens secundários. Vejamos bem, a tal família Walsh pode até ser engraçadinha quando quer, mas na maior das vezes os personagens me pareceram pedantes e forçados, egoístas e insensíveis, especialmente Helen, a irmãzinha mais nova e Mamãe Walsh, a matriarca da família que passa parte da história tentando convencer sua filha à voltar para o marido infiel e "salvar o casamento" porque afinal de contas "eles tem uma filha e a mulher deve ficar com o marido porque ele é o "pai" da criança" (ainda que o tal marido seja um lixo de pessoa!!). 
Eu sei que isso é ficção e que não há razão pra se estressar com uma opinião como essa, mas falando sério, não consigo não me incomodar com isso. 
A maneira como a mãe quer literalmente "empurrar" a filha de volta para um casamento arruinado é patética, triste, um mal exemplo para leitores e para mulheres. Entendo que Marian Keyes quis retratar uma senhora, de outra geração, com valores mais antiquados, porém, por mais que quisesse agregar realismo, a situação toda foi ridícula e me fez ter vontade de abandonar a leitura. 

A narrativa de Keyes é como caminhar no deserto em dia quente: cansativa, exaustiva e sem surpresas. A autora divaga demais! Pela história desse livro, 250 páginas bastariam. Mas o livro tem mais de 400 páginas da mais pura enrolação. 
A autora às vezes está num ponto da trama e simplesmente pausa tudo pra começar a divagar, a tecer exemplos e detalhes, como se fosse a personagem debatendo-se consigo mesma. Era cansativo porque a autora saía completamente do contexto onde estava e ficava por vários parágrafos citando outras coisas e aí, de repente, parecia se lembrar do que estava contando e, do nada, recomeçava do ponto onde havia se perdido. Esse tipo de situação acontece demais em Melancia e cansa o leitor, me fez inclusive pular parágrafos porque eu já não aguentava mais tanta reflexão.

Um livro chato, basicamente. Me desculpem, mas é isso. Quando penso nessa leitura não há mais nada à dizer pois em mim só deixou a sensação de ter em mãos um livro que poderia ter sido bem legal, mas vai perdendo pontos em cada capítulo, até se tornar uma decepção na minha estante. 
O fato de ter sido frustrante pra mim, não significa que vá ser frustrante para os outros milhões de leitores Brasil afora. Livros acompanham momentos e às vezes estamos em um momento onde esse tipo de leitura é o que precisamos. Por isso, antes de simplesmente riscar o livro da lista, pense bem, e se ele realmente te atraiu vá em frente, pode ser que pra você ele funcione e eu vou adorar escutar uma opinião diferente, que pode inclusive me ajudar à enxergar certos bons pontos que talvez pra mim tenham passado despercebidos. 


Marian Keyes é uma escritora irlandesa.
Graduou-se em Direito na Dublin University, sem, contudo, jamais ter exercido a profissão. Morou em Londres por muitos anos, trabalhando ora como garçonete ora em escritórios. Neste mesmo período começou sua luta contra o vício do alcoolismo e inclusive uma tentativa de suicídio, depois de vencida a batalha, alcançou o sucesso como escritora.
Autora de vários best sellers do gênero Chick Lit, os seus livros exploram o universo feminino com muito humor e leveza. Seus temas centrais no entanto levam a tona muitos assuntos delicados, tais como: luto, depressão pós parto, violência domestica... As personagens criadas pela escritora possuem perfis realistas, que permitem com que o leitor se identifique com a trajetória de vida narrada.

Web Page Oficial: https://www.mariankeyes.com/

Twitter: Marian Keyes



Até a próxima, 



Ivy

22 comentarios:

  1. Oi Ivy!
    Eu tbm sempre vi os livros dessa autora por aí, mas nunca me interessei em ler nenhum... E lendo sua resenha, passo, rs.
    Adoro chick lit, mas realmente tem uns q n dão certo!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Oi, Ivy!
    Eu adoro o gênero, mas nunca tive interesse em ler nada da autora também. A sua não é a primeira resenha que vejo com tantos pontos negativos desse livro, por isso essa série não está na minha wishlist. Talvez eu tente ler mais para frente, mas hoje ela não é uma prioridade.
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderEliminar
  3. OI Ivy!
    Conheço esse livro, parece ser muito legal!
    Amei o seu blog, estou te seguindo! ♥

    Outono Literário

    ResponderEliminar
  4. Oi, Ivy!
    Esse argumento de voltar pro marido embuste por causa da criança é a pior coisa que existe no mundo, mas infelizmente muita gente em pleno 2018 ainda usa..
    As histórias dessa série nunca me chamaram atenção e agora mesmo que não vou ler esse.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Concorra a um exemplar autografado de O que eu tô fazendo da minha vida
    Sorteio de aniversário Balaio de Babados e O que tem na nossa estante. São quatro kits; um para cada ganhador

    ResponderEliminar
  5. nossa essa autora e esse livro sao tao famosos, nao sabia que a historia era arrastada e sem graça, já nao sou muito fã de chicklit esse vou passar mesmo

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderEliminar
  6. Oi Ivy! A gente quer personagem forte e bem resolvida, a história tem que nos inspirar e não fazer passar raiva. Eu nunca li nada da autora e garanto que não pretendo começar por esse. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderEliminar
  7. Gostei da sua postagem, sempre estou visitando seu blog e lendo suas postagens.. Seu blog está salvo em meus favoritos..

    Parabéns!

    Amo seu blog ❤..

    Visite Meu Blog www.tudosobreobadoo.com

    ResponderEliminar
  8. Oi, Ivy! Tudo bom?
    Já passei por esse livro algumas vezes, mas a premissa nunca me chamou tanto a atenção. Acho que é um ponto positivo eu nunca ter me interessado, depois de ler tua resenha UHUHASUHASUHASUHAS
    Personagem com motivação desse tipo não dá vontade de acompanhar. Pode ser interessante se a autora trabalhar o lado de um relacionamento abusivo, não só por ser plot preguiçoso...

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderEliminar
  9. Parabéns pela resenha Ivy! Já li Melancia e amei! É uma pena que a leitura não tenha sido agradável para você e compreendo perfeitamente o seu ponto de vista, visto que se trata também da opinião de vários outros leitores. Os personagens realmente não agradam, mas acho que a experiência de vida deles agregam algumas coisas e servem até como uma espécie de crítica para determinadas situações. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderEliminar
  10. Oi Ivy! Já li vários chick-lits na minha vida, principalmente na adolescência, e "Melancia" foi um deles... mas abandonei total e nunca mais cheguei perto de um livro da Marian Keyes. Não lembro muito os motivos desse abandono, mas me recordo de ter achado a história chata e o desenvolvimento lento e cansativo, não me via lendo o livro até o final. Não sei que vim levou meu exemplar, acho que doei ou "emprestei" sem pedir de volta, porque realmente a única tentativa de ler minou qualquer intenção futura de continuar. Muito chato mesmo!
    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  11. Olá! Eu conheço algumas obras da autora, mas nunca li nenhuma. Melancia é uma obra que sempre vejo nas livrarias, mas eu não sabia que se tratava de uma comédia mesclada com drama. Eu gosto muito de acompanhar os personagens se erguendo depois de um desastre, e pelo que entendi, a protagonista passou por isso. Gostei muito da resenha, obrigada por compartilhar!

    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderEliminar
  12. Oi, Ivy! Tudo bom?
    Li "Melancia" já faz alguns anos, na época da escola ainda (lembro, inclusive, que foi uma das primeiras resenhas que escrevi na vida! XD). Confesso que demorou um tempo pra leitura me cativar, mas quando aconteceu, eu devorei o livro!
    Ainda acho a história de "Férias!" MUITO melhor e mais bem trabalhada que a de "Melancia", mas acho que a história da Claire tem lá as suas qualidades. Apesar de também ter me estressado em alguns momentos com a personagem e a família da mesma, não fiquei irritada como você ou pensando em abandonar a leitura. Ainda que tenha muitos pontos que possam irritar o leitor, acredito que a autora retratou uma realidade muito frequente na vida de diversas mulheres. A preocupação com o que os outros vão pensar, problemas de auto confiança, uma família que ao mesmo tempo que quer o seu melhor, as vezes não sabe o que, de fato é melhor pra você; um marido bosta e traíra, insegurança...
    Acredito que o charme desse livro está justamente nisso. Apesar de não ter nada de grandioso na história, a simplicidade da realidade e as reações que ela gera ao longo da leitura, acabam tornando a história da Claire mais real e crível para o leitor. Do tipo que poderia ser a história da vizinha ou de algum outro conhecido. Pelo menos, essa foi a interpretação que eu cheguei após a leitura. Não sei se eu pegar o livro pra reler eu vou continuar gostando e interpretando da mesma forma, mas ainda assim, na época que eu li foi uma leitura válida.

    Um super beijo e um ótimo fim de semana! :* <3
    www.inconstantecontroversia.blogspot.com

    ResponderEliminar
  13. Oi, Ivy
    Minha irmã leu e não gostou. Eu nunca quis por causa da capa, é triste e nada convidativa, mas muita gente fala sobre a obra e imaginei que algo de bom ela deve ter. O que me irrita é a postura do marido e da família da protagonista, eu fico indignada quando o livro tem traição porque eu não consigo perdoar, então fico p da vida quando alguém fica tentando persuadir a protagonista a fazer o mesmo.
    Acho que não leria nem agora.
    Beijo
    http://www.suddenlythings.com

    ResponderEliminar
  14. Olá, Ivy.
    Por isso que sempre digo que cada livro tem seu leitor. Diferente de você eu gostei muito do livro, claro que fiquei com raiva dela cogitar voltar para o marido, mas foi uma leitura muito interessante e até depois li todos os livros da autora que já tinham sido lançados por aqui. Como li uma edição econômica do Avon, não senti ele muito grande não. E isso da mãe querer que a filha volte por causa da criança conheço muita gente assim, mulheres que ficam sofrendo traição atrás de traição porque tem que pensar no filho.

    Prefácio

    ResponderEliminar
  15. Oi Ivy, adorei a forma como colocou na resenha as suas insatisfações com o livro, até hoje eu não ouvi ninguém falando bem desse livro e sinceramente ele nunca me chamou atenção - como você mesmo disse no início, nem a sinopse e nem a capa te deixaram ansiosas para leitura - sobretudo por causa do que você disse, sobre a persoangem ser tão imatura e não nos inspirar nada.

    Beijos da Yana,
    Marshmallow Com Café

    ResponderEliminar
  16. Olá
    Eu já tentei ler esse gênero e com o livro dessa autora,mais eu abandonei a leitura e sinto que se eu for tentar ler novamente o gênero vou abandonar então vou deixar essa dica passar pois chic- lit não é para mim

    ResponderEliminar
  17. Tudo bem? Eu nunca li nada dessa autora.. Uma vez até tentei, mas não curti.
    Pelo visto você também não. Engraçado que ainda assim, vejo tantas pessoas falarem tão bem da autora que me perguntou se eu que não sou "chata" demais.

    Independente do livro que também tentei ler e não curti.. Sua postagem está excelente. Adorei as imagens e a forma como passou suas impressões.

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderEliminar
  18. Olá, eu adorei a sua sinceridade na resenha! Eu tinha a maior curiosidade com esse livro, mas fui perdendo o interesse com o passar do tempo. E ainda bem. Com certeza eu teria me irritado muito com o livro, muita coisa que você mencionou na resenha me incomodaria.

    ResponderEliminar
  19. Ouço falarem tão bem desse livro e fico tipo "QUE?", pois só lendo a sinopse eu vejo que não parece nada espetacular assim... Já não queria ler antes, agora menos ainda kkkk ótima resenha.

    ResponderEliminar
  20. Oi, Ivi!
    Te entendo perfeitamente. Eu li Férias e gostei bastante, mas quando peguei Los Angeles... Argh! Que coisa chata! Por isso nem pensei em pegar Melancia (sim, li fora de ordem). Já me falaram também que Melancia não é o melhor da Marian Keyes, mas de boas, as personagens dela são geralmente bem inseguras mesmo. Eu diria que elas são todas bem reais, e que a narrativa não é daquelas da mais compacta, ela realmente divaga demais. Quem sabe vc não curta mais Férias, não desista!
    Bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderEliminar
  21. Olá
    Sempre me chamou atenção essa série de livros pelas capas e tals. Mas só pela sua resenha eu sinto que jamais consiguiria ler esse livro, me deu raiva essa personagem só de ler, imagine suportar uma mãe dessas. Sem chances de ler esse livro tão cedo
    Beijos

    ResponderEliminar
  22. Oie tudo bem?

    Menina pensa numa pessoa chocada com a sua resenha!!
    Meninaaaaaa sempre ouvi muito muito muito bem sobre o livros da Marian e então essa bomba diante de mim.

    Nunca tive a oportunidade de ler esses livros, queria, confesso... agora, bom... não sei bem.

    Beijos

    ResponderEliminar