(Review 240) - Marie Antoinette, Serial Killer

em 20 de septiembre de 2018

Título original: Marie Antoinette, serial killer
Autor: Katie Alender
Editora: Scholastic Press (EUA)
Páginas: 296
Gênero: Thriller Juvenil
Goodreads / Amazon / Skoob / Saraiva
Marie Antoinette, Serial KillerAs cabeças vão rolar! Paris, França: Cidade da moda, dos croissants de chocolate e dos garotos bonitos. Colette Iselin está encantada em visitar a cidade pela primeira vez, durante suas férias de verão. Mas uma série de horríveis assassinatos passaram a ocorrer na cidade, colocando à todos em polvorosa. E enquanto visita os lugares que sempre sonhou conhecer, Colette segue vendo uma estranha criatura: uma mulher pálida, em um vestido antigo de festa, usando uma peruca branca, muito parecida à Maria Antonieta. Colette logo fica obcecada, seus amigos não acreditam nela, e ao final só encontra ajuda em um charmoso garoto francês. Juntos, eles descobrem que as vítimas assassinadas são todos descendentes das pessoas que causaram a decapitação de Maria Antonieta. O fantasma da rainha despertou e agora está levando adiante uma vingança sanguinária. E Colette pode ser um dos descendentes... o que significa que pode não sair com vida desta viagem. A aclamada autora Katie Alender nos traz desta vez uma história de suspense, traição, mistério, encanto, história e uma rainha assassina. 

Resenha: 


Marie Antoinette, serial killer é um young adult divertido, com uma pegada de mistério e um toque sobrenatural que nos remete à encantadora Paris.
Colette Iselin é uma garota de dezesseis anos cuja maior preocupação na vida é andar na moda e agradar as amigas: a insegura Pilar e a mais que mesquinha Hanna. Colette passou por um ano cheio de altos e baixos quando o divórcio de seus pais atingiu a vida da familia, os colocando em uma tremenda dificuldade financeira. Quando surge a oportunidade de viajar à Paris junto com os estudantes de francês de seu curso, Colette quer aproveitar imensamente cada canto da cidade-luz. Algo ali a faz se sentir em casa, cômoda até. Mas, quando começam a ocorrer terríveis assassinatos, Colette descobre que nem mesmo a capital do amor está isenta de seus pecados e, no momento em que ela passa a ver um certo fantasma com ares de grandeza rondando por seu caminho, Colette crê que pode estar enlouquecendo. Afinal, a rainha Maria Antonieta, decapitada há séculos atrás não pode estar simplesmente aterrorizando vidas inocentes por nada, certo? Mas, quando Colette descobre que seus antepassados estiveram ligados à mesma rainha e que todas as vítimas também eram descendentes de velhos conhecidos de Antonieta, a situação se torna mais mórbida ainda. Agora, Colette deverá tentar escapar da rainha assassina até o fim da viagem e ainda assim estar pronta para as festas no Versalhes e as visitas ao Louvre e à Torre Eiffel, além da atenção constante de Jules, um charmoso garoto francês que entende muito de história antiga e de Armand, um dos descendentes dos velhos conhecidos de Antonieta que, junto à Colette, vai tentar escapar das garras da monarca vingativa.

Eu estranhei muito o começo de Marie Antoinette, Serial Killer. A escrita de Katie Alender é muito juvenil e Colette é uma personagem bem típica. Ela é uma adolescente em todas as suas atitudes e, como estamos tão acostumados à um novo perfil de personagem que são as garotas valentes e altruístas das fantasias, foi um pouco dificil e incômodo entender algumas das atitudes vazias de Colette. Ainda assim, com o passar das páginas a leitura foi me prendendo, e embora Colette não tenha conseguido me conquistar por completo, se tornou pelo menos um personagem verdadeiro aos meus olhos. Ela é uma jovem cheia de sonhos, que também carrega um fardo de vergonha por tantas coisas, e em muitos momentos o leitor entende, se compadece e até torce por Colette. Ela é uma adolescente bem comum e real, tentando agradar e ser bem quista, cheia de dúvidas e inseguranças, e expressa bem esse perído turbulento pelo qual todos nós já passamos.

O grande trunfo desta obra é com certeza a ambientação e o contexto histórico inserido. Eu pude entender mais sobre a história de Marie Antoinette e foi bem legal conhecer aspectos da rainha que não conhecia (Sabia que ela era austríaca e não francesa? E que se casou aos catorze anos com Luís XVI? E que diferente do que pregam, ela não era tola e egoísta, mas apenas um ser humano que se tornou realeza bem cedo e como qualquer um cometeu erros e pagou caro por eles?). A autora mescla bem esses aspectos históricos com a trama juvenil, deixando tudo bem leve, fresco e fácil de entender. O tal fantasma de Marie Antoinette é bem mais complexo do que imaginava e as motivações que o movem foram bem originais, interessantes com certeza. 

A ambientação é requintada, reflete bem a gloriosa Paris. As descrições da autora são cheias de exuberância e bem específicas, me senti tão imersa naquele ambiente que por muitas vezes deu pra sentir a doçura da cidade-luz em cada linha. O Rio Sena, a Torre Eiffel, o Palácio de Versalhes, as cafeterias e o charme francês são palpáveis nesta trama adolescente.

Infelizmente não deu pra conectar com os personagens. Eu até queria me apegar à Colette, ela é tão humana! Mas a verdade é que tanto Colette quanto os outros personagens, todos, me deixaram fria e indiferente. Sabe quando você nem se importa com quem vai morrer? Sabe quando por mais fofo que sejam certas cenas elas não conseguem enternecer por completo o coração da gente? Foi assim que aconteceu comigo. 
Eu achei Colette muito superficial e volúvel até a metade da história, e apesar de ser engraçadinha, certas atitudes suas me faziam enjoar. As amigas dela então são ainda piores. Hanna é uma bruxa e Pilar parece a princesa sem opinião presa na torre. Dois personagens bem caricatos, clichês ao extremo.
Os dois mocinhos, Armand e Jules, também são bem típicos. É o clássico mocinho gentil versus o bad boy sensual, e é aquele tipo de romance que a gente já intui como se desenrola e como termina sem nenhuma surpresa.

Mas em tudo, o que menos gostei foi o final. Tá que foi legalzino e fechou todas as pontas soltas mas... achei um pouco precipitado. Por todos os problemas que Antoinette criou, seu desfecho foi bem simplório. Achei que fosse ser mais sangrento, exigir mais dos personagens, mas não, a autora apenas encerra sua trama com muita simplicidade e pouca emoção. 

Resumindo, Marie Antoinette, serial killer foi um livro bem mediano. Não figura entre meus favoritos, e provavelmente até o final dessa resenha já terá sido esquecido, mas... enquanto lia foi entretenimento garantido. É uma leitura modesta, pra desconectar a mente mesmo e distrair com a ambientação apaixonante. Senti por muitos momentos uma vibe meio Scooby Doo no livro, é uma história divertida, com personagens fofos, mas nada chocante ou cheio de tensão, apenas isso, um livro leve que permite ao leitor aprender algo da mórbida história da rainha Maria Antonieta enquanto se diverte um pouco com um mistério carregado de pitadas de romance e muito charme adolescente. 


Katie Alender cresceu na Flórida, onde cursou a escola de artes de Palm Beach. Depois disso cursou Cinema na Universidade do Estado da Florida, e se mudou para Los Angeles, onde trabalhou para a TV, na parte da produção de diversos projetos, incluindo vários programas para o Animal Planet.
No seu tempo livre ela está sempre escrevendo, lendo, praticando yoga, fotografando, visitando os blogs de amigos e saindo com a família. 
Apesarde escrever livros com um toque de terror, ela admite que não gosta de asssitir e nem de ler livros e filmes de terror.

Web Page Oficial: http://www.katiealender.com/

Twitter: Katie Alender


Nos lemos,

Alice

19 comentarios:

  1. Olá, Alice.
    Acho que se fosse ler esse livro seria por causa dessa parte histórica porque sei quase nada sobre ela. Mas de resto não me chamou muito a atenção não. Vamos ver se chegar por aqui.

    Prefácio

    ResponderEliminar
  2. Oi, Alicia

    Achei a proposta do livro bem louca! Hahaha Uma pena essa estranheza do texto e essa superficialidade dos personagens, quando nosso santo não bate com eles não tem jeito.
    Não leria o livro, mas se tem uma coisa que me chama a atenção é essa ambientação glamorosa, e eu adoro a história da Maria Antonieta, apesar de trágica.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderEliminar
  3. Oi Alice,
    Eu tinha achado a premissa tão original e criativa quando li a sinopse que já tava quase indo comprar o livro rsrs.
    Uma pena que autora não conseguiu desenvolver melhor a protagonista. E final morno é para acabar né? Acho que autora podia ter explorado melhor o potencial que a premissa tinha.
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. Oi Alice! Acho que os elogios para ambientação foi o ponto que mais chamou minha atenção, adoro histórias nessa cidade. Já a personagem, acho que me sentiria como você em relação a ela. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderEliminar
  5. Oi, flor!
    Eu não conhecia nem a autora e nem o livro, mas gostei muito da premissa, mesmo vendo que não funcionou tão bem assim pra você.
    Esse gênero me pegou de jeito e já tem uns 3 anos que eu sou fascinada em thriller.
    Nunca li um juvenil como esse, acho que gostaria igual
    De toda forma, gostei de conhecê-lo!

    Beijinhos :*
    Sankas Books

    ResponderEliminar
  6. Oi, Alice! Tudo bom?
    AAAAAAAA que eu tô louca pra ler esse livro! Mas fiquei com um pé meio atrás por causa dos personagens muito caricatos e juvenis demais. Estava esperando outra coisa por causa da sinopse </3
    Vou tentar baixar as expectativas pra quando for ler.
    Pelo menos no quesito ambientação e história tem pontos positivos!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderEliminar
  7. Oi, Alice
    Eu fiquei meio assim com o título, não foi nada do que imaginei. Eu acho que leria, eu gosto de personagens assim até porque não é sempre que iremos encontrar tantas personagens adolescentes fodonas assim, até porque na realidade quem realmente é né? Eu adoraria conhecer a história da Marie Antoinette, porque eu gosto dessas coisas de reis e rainhas da Inglaterra e ela teve um fim tão tenso que é bom saber o porque. Vou anotar a dica.
    Beijo
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderEliminar
  8. Oi Alice, tudo bem?
    A sinopse é até que interessante, fiquei curioso para ler e ver o que acho.
    Blog Entrelinhas

    ResponderEliminar
  9. Oi, Alice!
    Eu fiquei curiosa sobre esse livro desde que ouvi falar dele porque o título chama a atenção, né?
    Pena que foi meio mediano para você, mas ainda assim quero ler.
    Quero conhecer mais do fantasma de Maria Antonieta.
    Eu adoro Paris, História e enredos juvenis, então é a minha cara, haha.
    Eu sei um pouco da vida da rainha por causa do filme da Kristen Dunst. Sabia que era austríaca, porque tem uma cena, na hora que ela atravessa a fronteira, que precisa deixar tudo para trás, inclusive roupas e cachorros, porque agora será francesa.


    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderEliminar
  10. Oi Alice, eu não conhecia este livro, achei ele a cara da minha filha, por ser adolescente e ter Paris, que ela ama, como plano de fundo. Eu já não curto muito romances adolescentes, com personagens superficiais e pouco cativantes, menos ainda, a parte do mistério e lembrar Scooby Doo, que eu amo, são o que me fazer ter um interesse na leitura, até porque, de vez em quando é bom uma leitura mais levinha e divertida.
    Bjos
    vivi

    ResponderEliminar
  11. Oi, Alice!
    Achei a premissa bem legal e fiquei interessada. Não gosto muito de personagens muuuito juvenis, mas como você já avisou, posso começar a leitura com outros olhos. Espero que eu goste e que seja uma leitura divertida para mim também!
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderEliminar
  12. Oi, Alice!
    Um contexto histórico bem trabalhado sempre salva a leitura. Pelo menos ela não foi toda ruim, o que já é um lucro.
    Fiquei de cara que o livro é YA. Jurava que passava na época da Maria Antonieta.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Concorra a um exemplar autografado de O que eu tô fazendo da minha vida
    Sorteio de aniversário Balaio de Babados e O que tem na nossa estante. São quatro kits; um para cada ganhador

    ResponderEliminar
  13. Oi, Alice.
    Eu não conhecia o livro e não me senti atraída por ele, olhando a capa eu imaginava ser um romance clichê, mas ao ver o título duvidei disso hahaha
    Eu gostei de ver a sua resenha com sinceridade, acredito que possa mesmo ser uma leitura divertida em alguns momentos, mas que no geral não me agradaria tanto, assim como foi com você.

    ResponderEliminar
  14. Oi Alice,

    Achei a premissa bem criativa, e gostei da mistura dos gêneros.
    Gosto de livros com uma boa ambientação e pelo que você disse parece ter um ponto positivo para isso.
    Dica anotada!
    Bjs e uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderEliminar
  15. Oi, tudo bem?
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas, apesar de ter achado a premissa criativa, não fiquei interessada em ler. Não parece o tipo de leitura que iria me prender e, pelo que vi da sua resenha, acho que eu também não iria me apegar aos personagens. O único aspecto que me interessaria um pouco mais é a questão da ambientação e o contexto histórico, porém, muitas informações que você mencionou eu já sabia por ter assistido ao filme Maria Antonieta. Então, não sei se a leitura iria agregar muito nesse sentido.
    De qualquer forma, achei uma pena você não ter se apegado aos personagens e nem ter gostado dos personagens. Porém, adorei a sinceridade e a forma como você explicou suas impressões sobre a leitura.
    Beijos!

    ResponderEliminar
  16. Olá, achei super bacana essa ambientação em Paris, cidade que sonho conhecer. Eu ainda não tinha ouvido falar sobre o livro e gostei de conferir suas considerações sobre ele. A ligação com a História parece bem bacana, pena que há tantos pontos negativos.

    http://petalasdeliberdade.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  17. Olá Alice, não conhecia esse livro e achei o enredo bem diferente, então é uma pena que os personagens não conseguiram te conquistar e o final não foi condizente com o resto do livro =/ Mesmo assim ainda tenho curiosidade de lê-lo.

    ResponderEliminar
  18. Oi Alice tudo bem?
    Eu gostei da proposta e da ambientação ta história. Pra ser be sincera, lendo a sinopse, me lembrei de um episódio de Doctor Who com a rainha em Londres hahaha.
    Fiquei curiosa para saber o final. E sobre não se "conectar" com personagens é tão ruim né? A gente fica com aquela sensação de que "será que eu não entendi?" hahaha

    Beijos
    Sai da Minha Lente

    ResponderEliminar