(Review 276) - Cidade das Almas Perdidas (Os Instrumentos Mortais #5)

em 20 de abril de 2019

Título original: City of fallen angels
Autor: Cassandra Clare
Editora: Galera Record (Brasil) / Simon & Schuster (USA) / Destino (Espanha)
Páginas: 364
Ano de Publicação: 2011 (EUA) / 2012 (Brasil)
Gênero: Fantasia Juvenil
Saga: Instrumentos Mortais (The Mortal Instruments)
1. Cidade dos Ossos (City of Bones) 
2. Cidade das Cinzas (City of Ashes) 
3. A Cidade de Vidro (City of Glass) 
4. Cidade dos Anjos caídos (City of fallen angels) 
5. Cidade das almas perdidas (City of Lost Souls)
6. Cidade do fogo celestial (City of Heavenly Fire)
Valoração: 

Quando Jace e Clary voltam a se encontrar, Clary fica horrorizada ao descobrir que a magia de Lilith, um demônio muito poderoso, ligou Jace ao perverso Sebastian, transformando o Caçador de Sombras em um servo do mal. A Clave decide destruir Sebastian, mas não há nenhuma maneira de matá-lo sem destruir Jace. Clary e seus amigos, no entanto, irão tentar mesmo assim. Ela está disposta a fazer qualquer coisa para salvar o namorado, mas ainda pode confiar nele? Ou ele está realmente perdido?


Minha opinião:

Eu acho que nunca vou me cansar da escrita de Cassandra Clare ou do universo maravilhoso que ela criou desde o primeiro livro dessa série, junto com o sensacional spin off da mesma ambientado na época vitoriana. Sou suspeita em escolher até mesmo um favorito pois com Cassandra sempre me acontece de cada vez que leio um livro creio que esse será meu favorito, mas de repente vem o livro seguinte e descubro que estou amando ainda mais, por essa razão não saberia sequer apontar minha série favorita da autora. Minha única recomendação é Leiam Cassandra Clare! Ela é com certeza uma das melhores autoras de fantasia juvenil que já tive a oportunidade de ler (e olha que eu leio muita, mas muita fantasia).

A resenha deste livro, assim como vem sendo a resenha dos outros livros da série, vai ser relativamente curta. Acho péssimo eu querer me prolongar demais e acabar soltando spoilers assassinos que podem arrancar completamente toda a surpresa para os futuros leitores da série. O mais bacana desses livros são justamente suas constantes reviravoltas, e ficar aqui, relembrando a evolução e conflitos de cada personagem seria apenas me arriscar a estragar a leitura futura de alguém. 

Primeiramente, por mais que ame essa série, tenho que ser racional. Instrumentos Mortais não precisava de 6 livros embora seja uma delícia de série, e eu adore os personagens. Até o terceiro livro a história se fez realmente necessária, à partir do quarto livro, todos sabemos, a autora quis apenas estender um pouco mais sua trama de sucesso. Acho legal o fato de Cassandra conseguir criar novas histórias, romances que abalam o leitor e convencem (Izzy e Simon são insuperáveis!), mas a trama em si muitas vezes se torna enrolada, a gente nota a exaustão, o esforço da autora em prolongar ao máximo e isso prejudica o brilho da história. 
Peguei ranço de Jace por exemplo. Eu gostava muito dele nos três primeiros livros, mas é como se Cassandra decidisse que à partir daqui o guri deveria ser a bola da vez em tudo, e ficou bem maçante ver Jace sempre atormentado, sempre sofredor e o mundo girando sempre ao seu redor. Esse ar de "guerreiro melancólico" já perdeu um pouco o charme e neste livro, Jace perdeu uns 25 pontos comigo, achei ele um verdadeiro porre.
Quanto aos outros, todos eles, achei que evoluíram muito. Gosto de Clary. Essa protagonista não foi exatamente minha favorita nos princípios da saga, mas relembrando tudo o que Clary passou, acho que ela melhorou demais e nesta quinta parte, mostrou seu lado mais combativo, independente e guerreiro e eu gostei disso.

Ainda assim, quem brilha nesta série são os "secundários". Izzy e Simon, Alec e Magnus, eu adoro os quatro, e acho que sem eles e o destaque que alcançam, a série não seria tão viciante. É um grupo bem diferente entre si, cheio de conflitos, mas que no fundo se entendem, compartilham de confiança, possuem química, funcionam bem juntos. Torço muito pra um final digno pra cada um destes, foram personagens que aos poucos adquiriram um carisma e um magnetismo que me empolgou como leitora e me deixa super ansiosa em ter mais de cada um no último volume. 

As cenas de batalha descritas por Cassandra são sempre na medida. Ela nunca se prolonga demais, consegue narrar confrontos épicos sem se tornar surrealista, mas ainda dá uns escorregões, querendo produzir "milagres" que deixam alguns pontos da história um pouco bizarra.

Eu andei repensando em tudo que li, e notei que Cassandra abriu tantos novos núcleos neste livro. Temos o grande vilão da vez que ainda precisa ser derrotado, mas também temos conflitos nos núcleos dos vampiros, e segredinhos a se descobrir sobre Magnus, e a relação abalada de Cassandra e sua mãe Jocelyn que precisa ser melhor trabalhada... Tem várias pontinhas soltas em histórias paralelas que a autora vai ter que fechar no último volume e eu espero que ela consiga dar um desfecho digno à todos esses detalhes.

Eu quero demais conhecer o final da saga, mas ainda me falta ler o último de As Peças Infernais, e como sei que a leitura deste é fundamental antes do sexto livro da série principal, já me preparo pra voltar ao universo vitoriano de Cassandra o quanto antes, pois sei que aguardam fortes emoções em ambos os finais.

Concluindo...

Resumindo, Cidade das Almas Perdidas, o quinto livro da consagrada série dos Instrumentos Mortais cumpre bem seu papel, entretendo o leitor, mantendo o bom nível, com um vilão à altura e conflitos paralelos que empolgam. Porém, se nota que alguns personagens como Jace acabam ficando forçados demais, pois muitos conflitos se centram sempre nele e isso o tornou cansativo e chato (essa é a desvantagem de uma série que se prolonga demais, há um desgaste na imagem de seus protagonistas). Ainda assim, é o tipo de livro que li em nada, me divertiu aos montes e cujos personagens tenho certeza que relembrarei, com grande carinho, por muito tempo.

"Nos conduza do irreal ao real - ele leu em voz alta - Nos conduza da morte à imortalidade"


"Esses eram aqueles momentos que se guardavam pelo resto da vida. Mas ela se sentia como se só conseguisse encostar na felicidade; sempre que olhava para seu amado, a felicidade voltava a escapar dela. Como podia ser Jace e ao mesmo tempo não ser Jace? Como ela poderia estar com o coração partido e se sentir feliz ao mesmo tempo?"
Cassandra Clare nasceu em uma família americana no Teerã, Irã, e passou parte de sua infância viajando pelo mundo com sua família. Pelo fato de que sua família viajava muito, ela encontrou familiaridade no livros, e estava sempre com um debaixo do braço.
Após a faculdade, Cassandra viveu em Los Angeles e Nova York, onde trabalhou em várias revistas de entretenimento e tablóides. Ela começou a trabalhar em seu romance YA, Cidade dos Ossos, em 2004, inspirada na paisagem urbana de Manhattan. Passou a dedicar-se em tempo integral à escrever fantasia. 
Cassandra atualmente reside em uma antiga casa vitoriana em Nova York com sue noivo, seus gatos e lotes e lotes de livros. A série Mortal Instruments é semrpe citada em várias listas de best-sellers. 


Twitter: Cassandra Clare



Nos lemos, 

Alice

11 comentarios:

  1. Oie
    Sempre tive vontade de ler esta série, mas ainda não tive oportunidade. Eu amo essas capas.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Oi Alice! Cidade de Vidro é meu favorito da série achei que depois dele a autora não conseguiria manter a história boa, mas ela se saiu bem e este livro vem para mostrar que Jace ainda tem muito que enfrentar.
    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderEliminar
  3. Oi Alice, tudo bem?
    Li o primeiro livro mas, apesar de não ter achado ruim, não curti tanto pra seguir lendo.
    Os personagens secundários também foram os que mais curti em Cidade dos Ossos. Clary e Jace nunca fizeram minha cabeça hahaha!
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderEliminar
  4. Oi Alice, tudo bem? Essa série tem meu coração, comecei a leitura do primeiro livro sem saber que eram seis no total tendo devorado quase um atrás do outro. Concordo que se estendeu e poderia ter sido encurtado, mas eu gostei tanto do universo que não me importei. Talvez hoje eu teria me incomodada com algumas coisas um tanto protelatórias, mas ainda assim não tenho queixas e simplesmente adoro tudo nesses livros.
    Beijos, Adri
    Espiral de Livros

    ResponderEliminar
  5. Boa noite,

    Essa é uma série e autora que eu quero muito ler, só leio comentários positivos e fico sempre muito curioso, quem sabe um dia...kk...bjs.

    https://devoradordeletras.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  6. Oi Alice!
    Eu nunca me interessei muito em ler essa série, não sei bem o pq... Cheguei a ver o filme que achei ok e vi uns eps da série da netflix (q n curti).
    Sem falar q é uma série grande né, estou evitando, tenho muitas abandonadas XD
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderEliminar
  7. Oi, Alice

    Nossa, primeira vez que eu vejo algum fã da série falando que a autora quis estender por causa do sucesso. Eu não li nenhum dos livros, mas assim que vi que ela não largava o osso perdi totalmente o interesse. Acho que é preciso saber a hora de parar, por mais que ainda haja várias ideias para serem desenvolvidas. Vide a Rowling, por exemplo. Ela vive soltando informações aleatórias até hoje, imagina se quisesse fazer um livro pra cada uma delas? Hahahaha
    Que pena que você acabou pegando ranço do personagem... mas espero que as próximas leituras (pelo que entendi faltam duas, né) sejam boas finalizem com chave de ouro.


    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderEliminar
  8. Oi Alice!
    Eu acho esse livro uma canseira, nao vou mentir nao. Super parado e tem pouquissimas coisas que acontecem que soam relevantes pra mim. Eu nao curti esse e o quarto nao. Pra mim a serie tinha acabado no 3 e tava perfeito.

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com

    ResponderEliminar
  9. Hey Alice! Tudo bem?
    Eu sou doida pra adentrar no mundo da Cass, nunca li nada dela, acredita? Mas isso vai mudar ainda esse ano, pois pretendo começar essa saga!
    Adorei a sua resenha, dá pra ver o seu amor pela série!
    Obrigada por comentar lá no blog.
    Volte sempre!

    | Blog Misto Quente | Siga no Instagram | Curta no Facebook |

    ResponderEliminar
  10. Oi, Alice!

    Concordo total com você! Sou também do clube que ama a escrita da tia Cass e que quer que ela continue escrevendo sobre o universo Shadowhunter pra sempre hahaha sou viciada nas histórias dela, acho sensacional a sua criatividade e os personagens que constrói, gostei muito desse volume em questão, veio pra mostrar que o que era pra ser uma trilogia acabou se transformando em algo ainda melhor. Pode ter certeza que você vai adorar As peças infernais também!

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  11. Oi Alice,

    Adoro os livros da Cassandra, ela escreve muito bem mesmo.
    Essa série só não é a minha favorita por ela se estender muito e acabar cansando em certas partes, mas guardo ela no meu coração mesmo assim.
    Agora essa última trilogia dos Artifícios das Trevas está simplesmente maravilhosa!
    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderEliminar