(Review 285) - O Bicho-da-Seda (Cormoran Strike #2)

em 22 de mayo de 2019

Título original: The Silkworm (USA) / El Gusano de Seda (Espanha)
Autor: Robert Galbraith
Editora: Rocco (Brasil) / Mulholand Books (USA) / Editorial Planeta (Espanha) 
Páginas: 464
Ano de Publicação: 2014 (EUA) / 2014 (Brasil)
Gênero: Mistério / Suspense / Intriga
Saga: Cormoran Strike
1. O Chamado do Cuco (The Cucko´s Calling) 
2. O Bicho da Seda (The Silkworm) 
3. Vocação para o Mal (Carrer of Evil)
4. Branco Letal (Lethal White)
5. Sem Título
Valoração: 
Goodreads / Amazon / Skoob / Saraiva


O detetive Cormoran Strike, protagonista de O Chamado do Cuco, está de volta, ao lado de sua fiel assistente Robin Ellacott, no segundo livro de Robert Galbraith, pseudônimo de JK Rowling. Dessa vez, o veterano de guerra terá que solucionar o brutal assassinato de um escritor. Quando o romancista Owen Quine desaparece, sua esposa apela ao detetive particular Cormoran Strike. No início, ela pensa que o marido se afastou por alguns dias - porque ele já fez isso antes - e quer que Strike o encontre e o traga para casa. Mas, à medida que Strike investiga, fica claro que há mais no desaparecimento de Quine do que percebe a mulher. O romancista acabara de concluir um manuscrito retratando de forma venenosa quase todos que conhece. Se o romance for publicado, destroçará a vida de muitos. Muita gente, portanto, pode querer silenciá-lo. Quando Quine é encontrado brutalmente assassinado em circunstâncias bizarras, começa uma corrida contra o tempo para entender a motivação de um assassino impiedoso, um assassino diferente de qualquer outro que Strike já viu. Romance policial que se lê compulsivamente, com guinadas a cada virada de página, O Bicho-da-Seda é o segundo de Robert Galbraith numa série muito aclamada apresentando Cormoran Strike e sua decidida jovem assistente Robin Ellacott. 


Minha opinião:

O Bicho-da-Seda é o segundo livro da série policial do Detetive Cormoran Strike, escrito pela JK Rowling sob o pseudônimo de Robert Galbraith.

Desde já adianto que eu gostei muito desse livro, ele é bem melhor do que o primeiro e me envolveu até o final.

Neste novo volume, Cormoran Strike investiga o desaparecimento de um escritor polêmico, conhecido por escrever bizarrices e por ofender sem pudor seus colegas de profissão. Owen Quine é o que se pode chamar de lunático com ares de grandeza. Ele se achava um gênio injustiçado e não se importou em inserir até mesmo as pessoas que amava em seu último romance, um livro que debocha e revela os podres de muita gente.

Quando Owen desaparece, ninguém parece se importar muito à exceção de sua esposa, Leonora. É que o rebelde autor tinha essa mania de sumir sem deixar rastros quando lhe convinha, porém, as coisas se torcem por completo quando o corpo de Owen é encontrado e o assassinato, cometido com requintes de crueldade, desafia a polícia londrina e até mesmo o próprio Cormoran Strike que, junto com sua assistente, Robin Ellacott, vai tentar encontrar o assassino antes que um inocente pague por um crime que não cometeu.

Eu achei essa trama muito mais ágil do que o livro anterior. Entendo que O Chamado do Cuco era um livro introdutório, onde estamos conhecendo Cormoran e sua personalidade, assim como somos apresentados sutilmente a Robin. Além disso, o mistério do primeiro livro não foi tão intrigante e bizarro como foi nesta segunda parte, o que me fez preferir muito mais ler O Bicho-da-Seda

Aqui Cormoran lida com um assassinato confirmado e não apenas isso, a autora nos apresenta um crime bem cruel, cometido por uma mente distorcida e raivosa que Cormoran terá que caçar, enquanto lida com vários outros personagens que, embora possam ser inocentes, escondem uma porção de segredinhos sujos que coloca em dúvida o leitor até o final.

Eu adorei encontrar um Cormoran mais solto nesta segunda parte. Ele está mais aberto com Robin, mais confiante de seu talento investigativo e, embora ainda seja um pouco perturbado por conta de seu próprio passado, ele não é um cara sombrio e emburrado, mas sim um detetive que dosa bem um lado irônico bem peculiar com uma inteligência aguçada. Em resumo, eu gosto do Cormoran e adoro ainda mais a parceria que ele tem com a Robin, que nesta segunda parte se torna mais evidente. 

Aliás, aqui conheci melhor a Robin e os conflitos que ela enfrenta entre o que é, o que deseja ser e o que deve fazer pra chegar lá. Ela se sente menosprezada por Cormoran, por seu noivo Matthew e muitas vezes reage com raiva e angústia. Foi interessante acompanhar a evolução da personagem, a luta pra se impor e fazer sua voz e convicções serem ouvidas.

Meu único problema com esse livro foi no final. Me parece que a autora estava tão ansiosa pra causar um impacto grande no leitor que acabou pesando a mão e tornando o final mirabolante demais. Foi legal, foi original, foi interessante, mas foi surreal também. As motivações do assassino, seus movimentos prévios, tudo me pareceu exagerado e, embora Galbraith/Rowling conseguiu deixar bem transparente no leitor o lado mais doentio de seu vilão, por outro lado também o tornou fantasioso. Eu li o livro em poucos dias e fiquei grudada nas páginas até desvendar o final, mas quando terminei ficou a sensação de que o desfecho poderia ter sido um pouco mais realista.

Apesar dessa ressalva sigo insistindo que O Bicho-da-Seda valeu muito a pena e foi bem elaborado. A personalidade da vítima, um sujeito mesquinho e cheio de deturpações choca o leitor, pois nos deparamos com um homem que foi cruelmente assassinado mas que também, enquanto vivo, agiu de maneira cruel com as pessoas ao seu redor, então isso divide o leitor, choca, e ao mesmo tempo em que a gente rejeita a maneira repulsiva como Owen foi assasinado, a gente também acaba enxergando Owen, a vítima que enquanto vivo agiu como carrasco, como alguém cheio de falhas, um sujeito que não consegue se demonstrar inocente de tudo nem mesmo depois da morte.

Para o próximo livro, Vocação para o mal, eu espero que a autora continue com esse ritmo mais ágil e destemido que ela encontrou em O Bicho-da-Seda e também espero que Cormoran e Robin continuem evoluindo como personagens, nos mostrando mais de suas vidas e da relação curiosa que mantém entre eles. Também espero que Rowling/Galbraith consiga dosar o final, nos permitindo desfrutar de um desfecho menos fantasioso, e mais crível, pois essa é uma falha que já havia notado na primeira parte e que voltou a se repetir na segunda parte.

Concluindo...

No geral, O Bicho-da-Seda mostra uma evolução na própria escrita da autora dentro do gênero policial/investigativo. Rowling/Galbraith nos apresenta um crime bem mais ousado, com personagens de perfis bastante incomuns, a autora se arrisca e não tem medo de escancarar os podres da vítima e seus supostos oponentes. Eu desfrutei muito mais dessa segunda parte, e achei bastante positivo como a relação entre Cormoran e Robin se torna mais evidente aqui. É um livro mais bem elaborado do que o primeiro, com um ritmo mais intenso e intrigante e que consegue deixar no leitor a sensação boa de querer seguir acompanhando as trajetórias de Cormoran Strike e Robin Ellacott.

"Nós precisamos de leitores - concluiu Daniel Chard. - Mais leitores, e menos escritores".


"Escritores são uma raça selvagem, Sr. Strike. Se você quer amizades duradouras e companheirismo, junte-se ao exército e aprenda a matar. Mas se você quer uma vida inteira de alianças temporárias com colegas que se alegrarão de todos os seus fracassos, escreva livros". 

A escritora britânica Joanne Kathleen Rowling nasceu na cidade de Yate, nas proximidades de Bristol, na Inglaterra, em 31 de julho de 1965. Ela se tornaria célebre pela criação do bruxinho Harry Potter, que lhe renderia sete volumes de uma série premiada e aceita quase unanimemente pela crítica e pelo público.
Desde cedo a autora cultivava o gosto da leitura, e vários escritores despertaram na menina o desejo de ser uma escritora. 
Foi uma longa jornada até que Harry Potter e a Pedra Filosofal fosse aceito pelo mercado editorial. A autora teve que realizar um ‘tour’ por diversas editoras, e em 1994 experimentou a miséria e um estado depressivo, até a Bloomsbury decidir lançar sua primeira obra como mais uma na galeria da literatura infantil. Quando enfim ele foi publicado, em junho de 1997, Joanne ministrava aulas de francês. O sucesso foi instantâneo, vieram os primeiros prêmios no campo dos livros para crianças. Ela conquistou até mesmo a premiação de Livro Infantil do Ano, concedido pelo British Book Awards.
Em 2001 ela se casou novamente, com o anestesista Neil Michael Murray, com quem teve dois filhos, David e Mackenzie, além de Jessica, do primeiro matrimônio. Em fevereiro de 2009, ela obteve das mãos de Nicolas Sarkozy, presidente francês, a divisa de Cavaleiro da Ordem da Legião de Honra.

Web Page Oficial: https://www.jkrowling.com/



Twitter: JK Rowling



Até a próxima, 




Ivy

15 comentarios:

  1. Oi, Ivy!

    Eu não li O Chamado do Cuco ainda, um dos motivos que me desanimou foram as tantas resenhas um pouco negativas. Mas essa sua resenha dizendo como esse segundo livro melhora, já me chamou bem mais a atenção. Começo a pensar em com certeza dar uma chance pra JK nesse gênero.

    Gostei bastante da resenha!

    Beijos,
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. Oi, Ivy
    Eu queria gostar de suspenses porque eu vejo tanta indicação boa que me deixa mega curiosa, pena que a leitura não flui infelizmente, então vou passar a dica.
    Beijo

    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderEliminar
  3. Olá! Li sua primeira resenha sobre O Chamado do Cuco e dá para perceber que o segundo é bem mais interessante mesmo! Acho engraçado que numa série de livros (até filmes), sempre o segundo é melhor que o primeiro (não é uma regra, mas já vi acontecer várias vezes). Amei a resenha! ♥

    Beijos!
    Estante Bibliográfica > blog novo!

    ResponderEliminar
  4. Oi, Ivy! Ainda não li essa série, embora seja fã da autora por causa de Harry Potter rs. Já li algumas resenhas mais negativas, mas a sua me animou em tentar (e olha que já tenho os e-books).
    Bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderEliminar
  5. Olá Ivy, eu tenho muita vontade de ler esta série, é bem o estilo que eu gosto. Acho bobagem a autora usar um pseudônimo, mas ela ter um bom motivo. Que bom que o segundo livro superou o primeiro, coisa rara.
    Bjos
    Vivi
    Blog Duas Livreiras

    ResponderEliminar
  6. Oi Ivy!
    Da J.K eu so li Harry Potter mesmo e apesar de ter amado, esses livros novos dela, com a legada mais adulta nao me interessam. O genero nao é muito minha praia e a trama em si tambem nao me chama muito atençao. Mas fico feliz que tenha curtido.

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  7. Oi Ivy,

    Da autora eu só li Harry Potter e confesso que a história desses livros não me atrai tanto.
    Mas é a segunda resenha que vejo que gostaram mais desse que o anterior.
    Bjs e um bom fim de semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderEliminar
  8. Oi!

    Eu também achei que "O bicho de seda" foi melhor do que o primeiro livro, ela desenvolveu muito mais os personagens (adoro a Robin) e a trama ficou mais completa. Porém, quando penso em romances policiais, ainda penso que essa série fica aquém quanto à complexidade da história. Espero que o terceiro livro seja bom!
    Adorei a resenha.

    Beijocas!
    http://artesaliteraria.blogspot.com

    ResponderEliminar
  9. Olá Ivy,

    Estou com os três livros aqui aguardando para serem lidos, a lista está enorme, mas a hora de ler eles logo vai chegar....bjs.


    https://devoradordeletras.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  10. Que bom saber que a leitura deste volume foi bem melhor que a leitura do anterior, eu estou bem curiosa com os livros dessa série, eu adoro o gênero e quero dar uma chance aos livros. Já quero ler a sua resenha do terceiro livro, ele parece ser ótimo!

    ResponderEliminar
  11. Olá, tudo bem?

    Confesso que, apesar de achar a história de vida da autora, sua obra principal e o contexto todo extraordinário, não sou uma fã de HP e consequentemente da escrita da autora. Confesso também que essa série não me chamou muito a atenção inicialmente, mas lendo essa sua resenha sobre o segundo volume até que me aguçou um pouco a curiosidade... Acho que pode ser legal conhecer esse outro lado de escrita da autora, quem sabe...

    Beijo!
    Ana.

    ResponderEliminar
  12. Olá

    Como falei na resenha passada, eu detestei a escrita da autora no romance policial e abandonei nesse volume. Ela escreve bem, mas não suspense haha. Nisso a série da BBC ficou bem melhor - mesmo sendo previsível - e espero que ela melhore nos próximos, se não melhor só ficar na fantasia.

    Beijos

    ResponderEliminar
  13. Olá, tudo bem? Ainda não tive oportunidade de me arriscar nessa escrita da J.K. Rowling, mas estou curiosa ainda mais que parece que saiu mais um volume né? Ótima resenha, que com certeza me instigou mais ainda.
    Beijos,
    https://diariasleituras.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  14. legal vc ter curtido a leitura, apesar de um ou outro pormenor... eu confesso que tenho ojeriza da autora hahahaahah desde HP que peguei abuso e não consigo ler mais nada que seja dela... =T

    bjs...

    ResponderEliminar
  15. OLá!! :)

    Eu fiquei muito curioso com a leitura, mesmo que nao tenhas adorado a leitura!! Enfim... ja conhecia e quero ainda mais ler.

    Estou curioso para experimentar a Rowling nesse estilo policial... Que otimo que ela explorou a trama com ousadia...

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderEliminar