(Review 287) - Príncipe Mecânico (As Peças Infernais #2)

em 27 de mayo de 2019

Título original: Clockwork Prince
Autor: Cassandra Clare
Editora: Galera Record (Brasil) / Simon & Schuster (USA) / Destino (Espanha)
Páginas: 406
Ano de Publicação: 2011 (EUA) / 2013 (Brasil)
Gênero: Fantasia Juvenil
Saga: As Peças Infernais (The Infernal Devices)
1. Anjo Mecânico (Clockwork Angel) 
2. Príncipe Mecânico (Clockwork Prince) 
3. Princesa Mecânica (Clockwork Princess)
Valoração: 

Tessa Gray não está sonhando. Nada do que aconteceu desde que saiu de Nova York para Londres - ser sequestrada pelas Irmãs Sombrias, perseguida por um exército mecânico, ser traída pelo próprio irmão e se apaixonar pela pessoa errada - foi fruto de sua imaginação. Mas talvez Tessa Gray, como ela mesma reconhece, nem sequer exista. O Magistrado garante que ela não passa de uma invenção. Para entender o próprio passado e ter alguma chance de projetar seu futuro, primeiro Tessa precisa entender quem criou Axel Mortmain, também conhecido como Príncipe Mecânico.


Minha opinião:

Príncipe Mecânico é a segunda parte da maravilhosa trilogia Infernal Devices, um spin off de Mortal Instruments escrito por Cassandra Clare.

Após os eventos que finalizaram a primeira parte, Anjo Mecânico, eu não conseguia nem pensar em ler qualquer outro livro que não fosse a continuação da história, pois eu terminei completamente envolvida com o universo vitoriano fantástico de Cassandra e também seus personagens, bem desenvolvidos e carismáticos.

Príncipe Mecânico é uma segunda parte que me pareceu mais parada do que o anterior, mas apesar de não ter tanta ação, ocorrem eventos importantes e fundamentais nesta sequência. Os planos do grande vilão da trama, o Magíster, continuam um mistério pra mim, assim como as origens de Tessa, a protagonista feminina que possuí a estranha capacidade de mutação, Tessa pode se tornar qualquer pessoa que quiser, porém, nesta sequência o leitor descobre já eventos importantes do passado de Tessa e também de Will Herondale. Aliás, esse segundo volume é um divisor de águas para o personagem de Will já que ele começou a primeira parte como um típico bad boy, muito parecido à Jace, protagonista de Mortal Instruments, porém à partir dessa segunda parte, Will se distancia do clichê do bad boy e mostra seus segredos mais bem escondidos, que são a causa da própria personalidade ardida que o personagem optou por adotar.

Eu fiquei muito imersa nesta leitura, li o livro em questão de 2 dias e embora tenha terminado satisfeita, desta vez não senti aquela agonia louca em dar sequência à trilogia de imediato. Digamos que estou curiosa em conhecer o desfecho da saga porém, desde aqui já dá pra deduzir muitos dos eventos que devem ocorrer o que, de certa maneira, acaba fazendo minha curiosidade diminuir um pouco. Ainda assim, Cassandra Clare é minha meta pra esse ano e pretendo finiquitar tanto esta trilogia quanto Instrumentos Mortais e Lady Midnight durante 2019.

A narrativa de Cassandra Clare é maravilhosa. Ela consegue criar um triângulo amoroso envolvente que não se torna chato, ela consegue fazer vilões e mocinhos inverterem os papéis quando necessário, e nas cenas mais carregadas de emoção, Cassandra parece escrever com sentimento, pois o leitor passa a sofrer e vivenciar todas aquelas experiências junto à seus personagens.

Eu adoro o cuidado que a autora tem também com os secundários. Cassandra se preocupa em desenvolver a personalidade de cada personagem, desde a cozinheira do Instituto até o arrogante líder da família Lightwood, caçadores de sombras que nessa segunda parte se levantam como rivais dos mocinhos da história.

Também achei fenomenal como a autora segue conseguindo mesclar com maestria os elementos fantásticos da história com o ambiente da Londres vitoriana. 
Cassandra consegue retratar os costumes e tradições com bastante realismo, ao mesmo tempo em que insere neste contexto a figura de magos, vampiros e toda classe de seres fantásticos. 
Os diálogos são bem trabalhados, e até aqui a autora vai surpreendendo e pouco a pouco fechando cada uma das pontas soltas da trilogia.

Pretendo em breve conferir a última parte da história, Princesa Mecânica, um desfecho que promete ser tocante, cheio de ação e eventos trágicos. Tenho certeza que até lá ainda me surpreenderei com a originalidade de Cassandra e as constantes reviravoltas dessa trama que, por enquanto, tem garantido ser 5 estrelas.

Concluindo...

Príncipe Mecânico tem sido pra mim ainda melhor do que Mortal Instruments, a série principal, já que aqui fica nítido como a autora evoluiu em sua narrativa e aperfeiçoou sua escrita desde o primeiro livro. Essa ambientação vitoriana carregada de um ar mágico, nostálgico e sombrio contribuem (e muito) para que o leitor se sinta apaixonado pela trilogia criada por Cassandra e, com um misto de ansiedade e saudade ao ter que se despedir desses personagens marcantes na próxima sequência, Princesa Mecânica, que encerra a trilogia.

"Estamos presos a esta vida por uma corrente de ouro, e não nos atrevemos a cortá-la por medo do que há depois da queda"


"Não posso explicar o amor - ele confessou - Não saberia te dizer se te amei desde o primeiro momento em que te vi, se foi no segundo, no terceiro ou no quarto. Mas lembro da primeira vez que te notei enquanto você caminhava em direção a mim e me dei conta de que o resto do mundo parecia desaparecer quando eu estava com você. Que você era o centro de tudo o que eu fazia, sentia ou pensava". 
Cassandra Clare nasceu em uma família americana no Teerã, Irã, e passou parte de sua infância viajando pelo mundo com sua família. Pelo fato de que sua família viajava muito, ela encontrou familiaridade no livros, e estava sempre com um debaixo do braço.
Após a faculdade, Cassandra viveu em Los Angeles e Nova York, onde trabalhou em várias revistas de entretenimento e tablóides. Ela começou a trabalhar em seu romance YA, Cidade dos Ossos, em 2004, inspirada na paisagem urbana de Manhattan. Passou a dedicar-se em tempo integral à escrever fantasia. 
Cassandra atualmente reside em uma antiga casa vitoriana em Nova York com sue noivo, seus gatos e lotes e lotes de livros. A série Mortal Instruments é semrpe citada em várias listas de best-sellers. 


Twitter: Cassandra Clare



Nos lemos, 

Alice

13 comentarios:

  1. Oi Alice!
    Essa trilogia pisa muito em Intrumentos tanto no quesito personagens quanto no quesito trama. Eu amo demais esse trio e sofri ate nao poder mais com eles. Jem e meu favorito mas em alguma parte do proximo ce vai ler eu torci pelo o Will. E eu tambem adoro o cuidado que ela tem com os personagens mais secundarios. Ninguem fica solto esse é o bom.

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. Oi Alice, tudo bem?
    Adorei a resenha!
    Me senti assim com Cidade dos Ossos. Gostei da leitura, mas não quis correr pro próximo volume, sabe? Sendo que, até hoje, não concluí a série. :(
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderEliminar
  3. Que legal ver que você está gostando mais até do que a série principal. Nunca li nenhuma das duas séries mas estou adorando ver suas opiniões...

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderEliminar
  4. Oi Alice,

    Eu li totalmente errado essas séries da Cassandra, comecei com Instrumentos Mortais, Fui para Artifícios das Trevas e agora tenho essa para ler hahaha. Mas mesmo pegando pequenos spoilers estou curiosa para ler essa trilogia. Assim como essa, achei a evolução da escrita da Cassandra muito melhor. Nessa ultima série dela ela está arrasando na escrita!

    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderEliminar
  5. Oi Alice! Eu espero gostar muito desta trilogia, que ela supere IM para mim. Assim que eu terminar de ler Artificios das Trevas, vou para essa. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderEliminar
  6. Oi, Alice!

    Concordo sobre essa trilogia ser melhor que Instrumentos Mortais. Acho que é mais profunda, mais sofrida também, e nos envolvemos com maior facilidade. Eu odeeeio triângulos amorosos, mas esse aqui é impossível não conquistar, sou team will mas obviamente também adoro o jem, e se prepare pra grandes emoções no último volume viu hahah

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  7. Na época que comprei estes livros, estava bem afim de ler, agora já nem estou com vontade mais. Que bom que tu está gostando e quase sempre o primeiro livro é melhor.
    Bjos
    Vivi
    Blog Duas Livreiras

    ResponderEliminar
  8. Parabéns pela resenha, ficou top. Sobre o livro, passo a dica, acho a Cassandra Clare muito midiática e panfletária, tirando a essência de qualquer coisa. Se bem que alguns livros dela são medianos

    ResponderEliminar
  9. Oi, tudo bem?

    Eu vejo MUITA gente dizendo que essa série é bem melhor que a principal, cuja nunca terminei ahahha

    Amei sua resenha e as fotos que compuseram o post.

    Beijos,
    Blog Diversamente

    ResponderEliminar
  10. Oi, tudo bem?
    Eu ainda não li essa trilogia, mas não vejo a hora de começar. Já li toda a série Instrumentos Mortais e a nova trilogia da autora, então, preciso começar As peças infernais logo. Confesso que li sua resenha um pouco por cima, porque não li o primeiro livro ainda, mas deu para ver o quanto você gostou. Acredito que essa trilogia seja melhor mesmo que Instrumentos Mortais, pois senti que a escrita da Cassandra Clare evoluiu muito ao longo dos livros. Pelo menos, eu senti isso com os livros de Instrumentos Mortais (acho os dois últimos muito melhores que os primeiros) e com a trilogia Artifícios das Trevas.
    Adorei saber que você gostou da leitura e estou muito ansiosa para começar esses livros. Adoro a escrita da Cassandra e tenho certeza que não irei me decepcionar.
    Beijos!

    ResponderEliminar
  11. Eu acho essa capa tão linda <3
    Não acompanho esse universo, acho que já citei aqui no seu blog que nunca li nada da autora, mas tenho vontade.
    Mas gostei de saber que curtiu a leitura, adoro spinoff... gosto do cuidado que ao autor tem ao criar um, se preocupando com os fãs e expandindo a história

    Sai da Minha Lente

    ResponderEliminar
  12. Eu morro de vontade de ler os livros da Cassandra Clare, mas sempre fico confusa porque são tantos e não sei por onde começar e aí entra a questão de ter que comprar muitos e o bolso pede socorro kkkk mas quero ver se consigo ler pelo menos pelo kindle. Adorei a sua resenha desse volume e saber que a sua experiência foi tão positiva, isso me anima mais para ler.

    ResponderEliminar
  13. Oi Alice! Tudo bem?
    Eu confesso que me interesso pelos livros da Cassandra Clare, mas ao mesmo tempo conheço pessoas que amam incondicionalmente e outras que odeiam na mesma proporção essa autora pelos mais variados motivos. Bem, eu costumo ser daquelas que prefere tirar as próprias conclusões embora eu não negue já ter me negado a ler autores por trechos que vi. Mas como eu gosto muito de fantasia, darei uma chance a esse em um futuro próximo.
    Abraços e beijos, Lady Trotsky...
    http://osvampirosportenhos.blogspot.com

    ResponderEliminar