(Review 291) - A Criança do Fogo

em 24 de junio de 2019

Título original: The Fire Child
Autor: S. K. Tremayne
Editora: Bertrand (Brasil) / Harper Collins (USA)
Páginas: 366
Ano de Publicação: 2016 (EUA) / 2019 (Brasil)
Gênero: Suspense Psicológico
Valoração: 

O marido perfeito. O enteado perfeito. A mentira perfeita.
Quando Rachel se casa com o maravilhoso David Kerthen e se muda para Carnhallow, sua vida é tomada por luxos, romance e um carinhoso enteado, Jamie. Porém, sua nova casa e sua nova família estão cercadas de segredos e mistérios que ela nem sequer consegue imaginar. O comportamento de Jamie começa a mudar, e suas perturbadoras profecias ameaçam abalar a sanidade de Rachel. À medida que o passado da família vem à tona, ela passa a questionar a verdade por trás da trágica morte da primeira esposa de David, temendo que a predição feita por seu enteado, de que ela irá morrer no dia de natal, se torne realidade. Fantasmas habitam os corredores de Carnhallow, mil anos de história ecoam nos frios túneis, antes ricas minas de estanho e cobre, que se expandem sob a propriedade, e a vida que Rachel acreditava ser perfeita de repente se torna um terrível pesadelo.


Minha opinião:


A Criança do fogo é um thriller psicológico ambientado na isolada Cornualha, na Inglaterra, escrito em um tom bem sombrio por S. K. Tremayne. 

Rachel Daly veio da periferia de Londres. Com uma infância dura, ela conseguiu superar as adversidades e conquistar vários objetivos e quando se torna a nova Sra. Krethen, ela sente que alcançou o seu auge. Agora ela irá morar em uma mansão na Cornualha chamada de Carnhallow, um lugar que possuí séculos de história, onde gerações do clã dos Kerthen construíram sua glória e fortuna extraindo das ricas minas da região. Além disso, Rachel tem um marido carinhoso, o herdeiro único dos Kerthen, David Kerthen, e um enteado lindo e compreensivo, o pequeno Jamie, de oito anos. Em Londres, a relação dela com pai e filho ia muito bem. E agora, na rica Carnhallow, Rachel só pode esperar por uma vida de sonhos.

Porém, desde que se mudaram para a mansão coisas estranhas começaram a acontecer. Jamie se tornou retraído, assustado e sombrio. A sogra, Juliet, diz coisas sem sentido. E Rachel começa a ouvir coisas que não deveria. Quando Jamie afirma que o fantasma de sua falecida mãe, Nina Kerthen, está rodeando a casa, Rachel não quer acreditar. Mas os sinais deixados dia após a dia sugerem que algo sinistro e sobrenatural realmente ocorre em Carnhallow e que, talvez, Nina realmente esteja disposta a retomar seu posto de senhora da casa.

Primeiramente, tenho que elogiar o ritmo do autor. Eu nunca havia lido nada dele (embora já tenha As Gêmeas do Gelo anotado na lista) e gostei bastante de como ele desenvolvia a história, como os personagens foram se tornando mais perturbadores e iam aos poucos revelando umas caracteristicas bem insanas. A narrativa prendeu minha atenção e consegui ler o livro em um sopro, pois eu fiquei imersa na história, no climão sombrio e obscuro e em como o mistério se resolveria.

A ambientação, pra mim, foi outro dos pontos mais fortes da história. Tremayne consegue transportar o leitor para aquelas terras longinquas e cheias de lendas, consegue nos assustar e nos inspirar com cada detalhe, e o ambiente de Carnhallow conseguiu captar minha atenção pois o autor descrevia cada detalhe de maneira bem certeira, permitindo que o leitor visualize aquele mausoléu dark. 

No entanto, apesar da trama prometendo tensão e dos acontecimentos que pareciam conduzir à um clímax brutal, admito que me decepcionei bastante com o final. Tremayne optou pelo final mais fácil e menos coerente. Houveram alguns pontos que o autor simplesmente lançou na história e que ficaram bem complicados para o leitor aceitar, pois o final que prometia emoção, foi morno e nada empolgante. A história inteira é carregada de um tom bem obscuro, a gente fica se preparando para um grande baque e de repente, justamente no grand finale, o autor decide simplificar as coisas e optar por um final monótono e improvável, até mesmo vago. É como se Tremayne tivesse escrito a história sem ter idéia de como terminaria a trama e ao se deparar com as últimas páginas decidiu encerrar tudo de qualquer jeito, com um argumento que não convence o leitor. 

Os personagens são bons. Eu gostei de todos e achei que a construção de cada um foi bem trabalhada. Rachel sofre uma mudança gigantesca, surpreende e se mostra diferente de tudo que já li. Jamie também não fica trás e consegue prender o leitor pois é um personagem misterioso e pouco confiável, embora seja só uma criança. Aliás, eu achei bem interessante notar que à partir de determinado momento da história, praticamente nenhum personagem se torna confiável e o leitor passa a duvidar até mesmo de Rachel, que nos narra parte da trama. Essa falta de credibilidade no narrador deixa o leitor tenso, querendo desvendar todos os segredos e se perguntando à todo instante o que é real e o que não é na história que nos é contada. 
Além de Rachel e Jamie, protagonistas absolutos da história, a gente também encontra uma sogra esquisita, um marido perfeito demais e a falecida primeira esposa, que embora esteja "aparentemente morta" se torna uma presença sempre constante na trama. O mistério em torno da própria morte de Nina Kerthen foi bem construído também, eu gosto quando o autor brinca com diversas hipóteses e Tremayne conseguiu me deixar na dúvida até a hora em que tudo é revelado. 

Concluindo...

Enfim, apesar de ter tido um desfecho que me deixou com uma sensação bastante agridoce, pois não me senti completamente convencida de muitos detalhes, A Criança do fogo foi uma leitura que me prendeu bastante, por conta de seu ritmo rápido e ambientação sombria. Eu gostei da narrativa do autor e de como ele vai apresentando os fatos, adicionando detalhes aos poucos mas de maneira direta, permitindo que o leitor seja mantido sempre na dúvida, intrigado em desvendar o mistério em torno da mansão de Carnhallow e da morte de Nina. É um livro que pode agradar tanto os que buscam um suspense psicológico com boa ambientação, quando também aos que procuram por histórias com um toque sobrenatural onde nada parece ser exatamente o que é.

"Ele já acreditara que a cura para o desejo era a morte. Mas agora se questionava. Talvez nada pudesse extinguir o desejo do amor humano; talvez viajasse eternamente pela escuridão. Como a luz de estrelas mortas".


"Ah, minha querida, há tantos mistérios, tantas pessoas nesta casa. Eu nunca sei em quem acreditar. Mas talvez você esteja certa, porque você sabe o que dizem: duvidar da dúvida é o começo da fé".
S. K. Tremayne é o pseudônimo do jornalista londrino Sean Thomas, nascido em Devon, na Inglaterra em 1963. Premiado autor best-seller que escreve sobre viagens e colabora frequentemente com jornais e revistas do mundo inteiro como o The Guardian e o Times. 
As Gêmeas do Gelo, um dos best seller de Tremayne já foi traduzido à mais de vinte idiomas. 
Tremayne tem duas filhas e atualmente vive em Londres. 


Twitter: S.K. Tremayne


Até a próxima, 


Ivy

14 comentarios:

  1. recentemente eu li um livro maravilhoso no decorrer da história, mas o fim foi péssimo. kkk
    Eu já vi gente falando desse livro e o genero dele me agrada muito, tem tudo pra eu gostar desse livro! Quero muito ler, só falta ele chegar aqui em casa kkkk
    Adorei!

    ResponderEliminar
  2. Oi, Ivy. Tudo bem? <3

    Nossas opiniões foram beeeem distintivas, só concordamos com o final, que realmente foi bem pobrezinho.
    O que te agradou, infelizmente, me repeliu. A ambientação é de fato interessante, mas para mim houve uma repetição desnecessária das mesmíssimas coisas. Achei o texto bem prolixo, na verdade. Mas fico feliz que você tenha tido uma experiência melhor! :D

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderEliminar
  3. Olá, tudo bem? É muito doido isso, a história caminha bem, logo ali pra ganhar cinco estrelas mas o autor dá uma deslizada no final haha isso chega a ser frustrante até, uma pena. Gostei bastante da sua resenha, foi muito específica e detalhada, isso é ótimo porque já dá um panorama completo da história.

    ResponderEliminar
  4. Oi, Ivy! Tudo bem?
    Já li uma resenha sobre esse livro em um outro blog, e apesar de não lembrar o conteúdo dela, tenho uma lembrança de a autora não ter gostado também do final. O gênero não me interessa muito, então a probabilidade de eu chegar a lê-lo é bem baixa haha. Mas uma pena que um livro com uma proposta tão boa e diferente tenha tido uma conclusão mediana.
    Amei a resenha ♥

    Beijos!
    Estante Bibliográfica > segue meu blog?

    ResponderEliminar
  5. Ooi,

    Thriller Psicológico é muito minha praia! Amo demais, mas fiquei um pouco receosa quando você disse que o desfecho não convenceu muito, eu tenho um sério problema com isso e ultimamente li livros assim, que me deixaram imersa na história mas no fim desandou. Eu crio expectativas demais e quero que o fim me impressione, está sendo complicado kkk.

    Beijos
    abobrinhacomchocolate com.br

    ResponderEliminar
  6. Oi Ivy! Este livro tem dividido opiniões, na verdade a maior parte das resenhas que li não foram positivas. Eu gostei bastante do livro anterior do autor e espero que este me satisfaça, mesmo com as ressalvas que tenho lido, eu não desanimei. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderEliminar
  7. Olá Ivy, sei bem como é ler um livro maravilhoso com um final que parece que o autor cansou e foi pelo desfecho mais fácil. Apesar disso, fiquei interessada, adoro o gênero. Ótima resenha.
    Bjos
    Vivi
    http://duaslivreiras.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  8. Olá, eu acho a premissa do livro bem interessante, bom saber que a ambientação e o ritmo são bacanas, mas pena que o final não ficou satisfatório. Gostei de conferir sua resenha.

    ResponderEliminar
  9. eu no inicio da sua resenha: sabia que ia amar o livro, vou começar ele agora, preciso.
    eu no meio pro final da sua resenha: poooh autor, porque faz isso comigo kkk.
    é meio decepcionante saber que o autor seguiu um final mais simplista, com uma premissa dessa =/ mas de todo jeito lerei pra ter minha opinião.

    ResponderEliminar
  10. Oi, tudo bem? Putz, acho que esse não é um livro pra mim. Apesar de ter curiosidade com thrillers psicológicos, esse suspense todo da história não casa muito comigo. Suspense funciona melhor comigo quando em audiovisual, me prende mais; na literatura acaba me entendiando e irritando. Mas gostei muito da premissa, bem diferente de tudo o que já vi.

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderEliminar
  11. Olá, tudo bem?
    Confesso que, apesar da sinopse ser bem instigante, eu não fiquei muito animada para ler esse livro. Não curto muito suspense sobrenatural e esse parece ser bem sombrio mesmo. Uma pena que o final tenha deixado a desejar em alguns aspectos, mas que bom que a leitura tenha se desenvolvido em um bom ritmo e tenha prendido sua atenção. Adorei conferir sua resenha.
    Beijos!

    ResponderEliminar
  12. Olá! Tudo bem?

    Mesmo que a pontuação não tenha sido tão boa, o livro despertou meu interesse, a premissa parece ser ótima!

    Beijos,
    Blog Diversamente

    ResponderEliminar
  13. Andei lendo algumas resenhas não muito favoráveis e realmente não é um livro que chamou minha atenção, mas fico feliz que tenha agradado você. O importante mesmo é que em todas as leituras é possível tirar aprendizados, eu prego muito isso e mesmo quando um livro não me agrada muito fico procurando algo bom para justificar o investimento da leitura.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderEliminar
  14. Olá, tudo bem? Estou com esse livro para ler por aqui, mas ainda não tive coragem. Sua resenha me deixou curiosa, mesmo com o final agridoce, e talvez eu dê uma chance. Adorei a resenha e fotos!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com

    ResponderEliminar