(Review 301) - Fúria Vermelha (Red Rising #1)

em 25 de julio de 2019

Título original: Red Rising
Autor: Pierce Brown
Editora: Del Rey - Random House (USA) / Globo Livros (Brasil) / Molino (Espanha)
Páginas: 468
Ano de Publicação: 2013 (EUA) / 2019 (Brasil)
Gênero: Distopia
Saga: Red Rising
1. Fúria Vermelha (Red Rising) 
2. Filho Dourado (Golden Son)
3. Estrela da Manhã (Morning Star)
4. Iron Gold
5. Dark Age
6. Sem Título
Valoração: 
Goodreads / Amazon / Skoob / Saraiva

O romance se passa em um futuro não tão distante, no qual o homem domina a tecnologia das viagens interplanetárias e começa a colinizar outros planetas. Marte é uma das primeiras colônias instaladas, e possui uma sociedade estratificada, em que o papel de cada indivíduo é definido pela hereditariedade e a ascensão social é impossível. Um regime arcaico, de castas, contrasta com a tecnologia do período. Darrow é um dos jovens nascidos em Marte e sua vida está bem longe de felicidade. Ele é um Vermelho, faz parte da base da pirâmide social, composta por operários. Passa seus dias escavando túneis subterrâneos a mando das autoridades, pois essa seria a única forma de, um dia, as próximas gerações habitarem na superfície do planeta. Dia após dia, ele cava, pensando em um futuro melhor e sem jamais ver a luz do sol. Até que Darrow percebe que o mundo em que vive é uma mentira, e decide desvendar o que há por trás daquele sistema opressor. Com a ajuda de um misterioso grupo de rebeldes, ele descobre a verdade: que a superfície de Marte já havia sido habitada, porém o privilégio de viver ao sol é permitido apenas aos Ouros, a classe dominante. Os vermelhos, na verdade, são usados como escravos. Tomado pela vingança e com a ajuda de outros rebeldes, Darrow vai para a superfície e se infiltra entre os Ouros. Lá, ele tem que ser forte o suficiente para não se deixar levar pelos prazeres fáceis de uma vida confortável, enquanto tenta proteger sua identidade, além de se envolver em intrigas que darão início a uma guerra muito maior do que ele poderia esperar. Um sucesso internacional, "Fúria Vermelha" figurou na lista dos mais vendidos do The New York Times, foi considerado o livro do mês da Amazon em Fevereiro de 2014 e seus direitos foram comprados pela Universal Pictures. 

Minha opinião:
Incrível pensar que essa foi a estréia de Pierce Brown como autor. Fúria Vermelha entrou fácil na lista dos meus queridinhos, o livro é bem elaborado, narrado numa intensidade que nunca perde o fôlego e com personagens que surpreendem o leitor à cada página. Com ares de Jogos Vorazes, Fúria Vermelha é mais adulto e também mais peculiar do que Jogos Vorazes, o protagonista aqui, Darrow, é bem mais sombrio do que era a Katniss de Jogos, mas a intensidade da trama, as perdas irreparáveis e as reviravoltas angustiantes me fizeram relembrar JV muitas vezes durante essa leitura. 

O livro é uma mistura de distopia com ficção cientifica inteligente e fácil de entender. Todo ambientado em Marte, nos conta a história de quando o universo passou a ser colonizado pelos homens. Primeiro foi a Lua, e dali os outros planetas do sistema solar, e agora, extrair os recursos de Marte para torná-lo mais e mais habitável é a missão dos "Vermelhos", um grupo inferiorizado numa sociedade desigual. Os "Vermelhos" vivem em lugares pobres, privados de comida e luxos, e Darrow, nosso protagonista, é um minerador, extraindo helio-3, um combustível necessário para a purificação da atmosfera. A Sociedade de marte é dividida por raças especificas, que facilmente se diferenciam por conta de suas cores. Os Vermelhos como Darrow possuem o cabelo cor de cobre ou vermelho, há também os prateados, os rosas, os verdes, e no topo dessa sociedade se encontram os dourados, mais claros, mais fortes, mais poderosos e mais respeitados. É impossível um Vermelho ascender ao nível de um Dourado, pois as hierarquias são desde sempre definidas por essas cores e raças, e como cada casta não interage afetivamente com as demais, é quase impossível se confundir um Vermelho com um Dourado por exemplo.
Quando Darrow sofre uma de suas maiores perdas, o mundo acabou para ele. Todo o seu talento como minerador, seus sonhos e anseios se desvanecem em segundos. A esperança só retorna com a oportunidade de vingança, que é quando um misterioso grupo revolucionário o recruta para lutar contra a opressão dourada, elaborando um plano ousado para atacar os poderosos dourados desde dentro. 
Darrow será transformado em um Dourado pelas mãos de um talentoso artista. Seus traços, seus cabelos, sua genética, já não não serão mais os mesmos. De repente, lançado no topo da sociedade, Darrow será ingressado no Instituto, o lugar onde os jovens dourados devem ir para ser treinados para se tornarem líderes. Ali aprendem a dominar, a sobreviver, a se tornar implacáveis. 
Darrow sabe que precisa se destacar, para derrubar essa sociedade desde dentro ele não pode se conformar em ser só mais um, e no caminho para se tornar o melhor, ele terá que lutar pela própria sobrevivência de uma maneira que jamais esperou, pois o Instituto é mais do que uma mera escola. Ali, lançados em meio a nada, esses jovens deverão derrotar uns aos outros, e só so mais fortes prevalecem,

Os primeiros capítulos foram um pouco cansativos pra mim. Demorei pra pegar o ritmo, mas quando Darrow finalmente enfrenta o maior golpe de sua vida, o ritmo do livro se torna alucinante, muitas coisas vão acontecendo e a trama sofre uma tremenda reviravolta, adquirindo um ritmo intenso que nos faz querer devorar cada página sem parar.
É aquele tipo de história que fica na cabeça mesmo após ter terminado o livro e confesso que já estou tentando abrir uma brecha na minha TBR pra conferir o segundo livro, pois acompanhar a trajetória de Darrow se tornou uma necessidade na minha meta de leituras.

Esse livro é tão maravilhosamente bem escrito. Pierce Brown criou uma ambientação interessante, nova e incrível. O protagonista Darrow se vê lançado em um jogo sádico que ultrapassa qualquer limite e somos à todo instante surpreendidos com todas as revelações e traições que rolam.

Há um leque enorme de personagens secundários e eu adorei a dualidade óbvia que impera em todos eles. Os concorrentes de Darrow são jovens audazes, pequenos lords acostumados ao poder e à glória e quando são lançados uns contra os outros em nome da sobrevivência e da vitória absoluta, eles não possuem ética e nem se importam em esconder seus sentimentos mais vis. Meu troféu "personagem kick-ass que eu amo" fica dividido entre o leal Sevro e a determinada, empoderada e maravilhosa Mustang.
O protagonista, Darrow, sofre uma evolução notável, passando de um conformado garoto pacato para alguém duro, vingativo e metódico, tornando o leitor testemunha de seus pensamentos e ideais de uma maneira tão íntima que aos poucos vamos nos apegando à ele e aos seus, de maneira inevitável. 

Concluindo...

Fúria Vermelha é aquele tipo de livro que vai causando impacto aos poucos, mas quando a gente menos espera se descobre preso na narrativa poderosa de Pierce Brown. É aquele tipo de livro onde nem tudo são flores, onde os personagens passam de heróis a vilões em um simples virar de páginas, onde as perdas e fracassos são inevitáveis e o leitor acaba se sentido de certa forma parte daquele universo louco, predador e voraz. 
Se você gosta de distopias, livros intensos onde a ação é parte frequente, esse é o seu livro!

"Um império não se ataca por fora se não for destruído primeiro desde dentro. Lembre-se disso. Nós não somos terroristas. Nós derrubamos impérios".



"Sou a faísca que provocará o fogo nos mundos. Sou o martelo que rompe as algemas".


Pierce Brown é um jovem autor americano que atualmente vive em Los Angeles. Cursou ciências políticas e economia na faculdade e trabalhou como analista de redes sociais em uma startup de tecnologia e nas redes de televisão NBC e ABC, enquanto tentava escrever livros em seu tempo livre. Fúria Vermelha é seu livro de estréia. 

Web Page oficial: https://www.piercebrown.com/

Twitter: Pierce Brown






Nos lemos, 

Alice

16 comentarios:

  1. Oi, Alice! Tudo bom?
    Essa é uma série que tá sempre na wishlist e eu nunca consigo comprar (quando tenho dinheiro, some a vontade; quando não tenho dinheiro, quero desesperadamente UASHASUASHASUASHASUA). Gosto bastante da temática e os elogios aos livros sempre vão me deixar curiosa.
    Espero conseguir ler em breve!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderEliminar
    Respuestas
    1. Leia sim Denise, ach que é o tipo de livro que vai te prender bastante, eu me surpreendi tanto com a primeira quanto com a segunda parte que acabei de terminar.

      Eliminar
  2. Oi Alice.
    Eu gostei bastante desse primeiro livro, apesar de ter achado ele rústico em termos narrativos. Espero continuar a leitura em breve, embora não tenha certeza se vou gostar dos outros ou não.
    Amei a resenha.
    Beijos.
    Fantástica Ficção

    ResponderEliminar
    Respuestas
    1. Jess, o segundo livro é amis focado em estratégias, complôos e conspirações, ele é cheio de adrenalina, mas segue um estilo diferente e mais complexo, acho que vc iria gostar

      Eliminar
  3. Oi Alice
    Eu já vi essa capa mas nunca vi resenha sobre o livro, parece ser uma daquelas histórias de arrasar nosso coração. Eu não tenho interesse por enquanto mas pretendo ler!
    Beijo

    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderEliminar
    Respuestas
    1. Mika, em distopias acho que pra mim acaba sendo uma das melhores que ja li, é mais complexa e mais inteligente, e achei o universo todo mais bem trabalhado, porém, a distopia é um gênero que nem todos gostam então acho que é aquele tipo de livro pra se ler só quando a gente realmente precisa ler algo bem nesse estilo

      Eliminar
  4. Oi, Alice!
    Não conhecia o livro ainda. Adoro distopias, ainda mais uma eletrizante como essa.
    Já está indo para minha lista de desejados!

    Beijos
    Construindo Estante

    ResponderEliminar
  5. Oi Alice!
    Esse livro está na minha lista há um tempão, tem tudo pra eu gostar! Adorei ler sua resenha! 😍
    Bjs
    A Colecionadora de Histórias - Blog

    ResponderEliminar
    Respuestas
    1. Oiii Carol, olha, das distopias que li achei essa uma das mais interessantes, pra mim valeu muito a pena

      Eliminar
  6. Oi Alice,

    Quando bati o olho nesse livro confesso que não me chamou tanta atenção, mas lendo agora sua resenha me bateu uma vontade gigante de ler essa história, pois pelo visto ela tem tudo para me agradar. Tem autores que já iniciam com uma escrita tão maravilhosa. Tenho vários autores que gosto que no seu primeiro livro já arrasaram!

    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderEliminar
    Respuestas
    1. Realmente, tem escritores que arrasam logo de estréia, e esse é um pra gente ficar de olho, escreve muito bem e consegue desenvolver um cenário daqueles de enlouquecer o leitor

      Eliminar
  7. Olá, tudo bem? Eu não costumo ler distopias, mas tenho bastante vontade de ler algumas obras específicas do gênero. Já tinha visto falarem sobre esse livro antes, mas não sabia que era uma leitura tão incrível assim. Adorei a resenha e dica, já quero ler!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderEliminar
    Respuestas
    1. Que bom que gostou da dica Larissa, é uma leitura que me deixou bem animada, inclusive ja li a segunda parte.

      Eliminar
  8. ADOREI sua resenha! Ainda não tive oportunidade de ler nada do autor, mas saber que a leitura mantem um ritmo sem perder o fôlego, é um ponto mega positivo para ele! Vou dar uma chance <3

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderEliminar
  9. Eu preciso ler esse livro, a premissa dele me atrai completamente e parece ser uma leitura excelente, pela sua resenha eu acredito que vou gostar demais e não vejo a hora de ler.

    ResponderEliminar