(Review 323) - Corte de Névoa e Fúria (A Court of Thorns and Roses #2)

em 19 de septiembre de 2019

Título original: A Court of Mist and Fury
Autor: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record (Brasil) / Bloomsbury USA (USA) / Planeta (Espanha) 
Páginas: 656
Ano de Publicação: 2016 (EUA) / 2016 (Brasil)
Gênero: Fantasia/ Juvenil
Saga: A Court of Thorns and Roses
1. Corte de Espinhos e Rosas (A Court of Thorns and Roses) 
2. Corte de Névoa e Fúria (A Court of Mist and Fury) 
3. Corte de Asas e Ruína (A Court of Wings and Ruin)
4. Sem Título
5. Sem Título
6. Sem Título
Valoração: 

O aguardado segundo volume da saga iniciada em "Corte de Espinhos e Rosas", da mesma autora da série "Trono de Vidro".
Nessa continuação, a jovem humana que morreu nas mãos de Amarantha, Feyre, assume seu lugar como Quebradora da Maldição e dona dos poderes de sete Grão-Feéricos. Seu coração, no entanto, permanece humano. Incapaz de esquecer o que sofreu para libertar o povo de Tamlin e o pacto firmado com Rhys, senhor da Corte Noturna. Mas, mesmo assim, ela se esforça para reconstruir o lar que criou na Corte Primaveril. Então, porque é ao lado de Rhys que se sente mais plena? Peça-chave num jogo que desconhece, Feyre deve aprender rapidamente do que é capaz. Pois um antigo mal, muito pior que Amarantha, se agita no horizonte e ameaça o mundo de humanos e feéricos. 


Corte de Névoa e Fúria é a elogiada continuação de Corte de Espinhos e Rosas, uma série escrita por Sarah J. Maas.

Ambientada em um mundo onde humanos e feéricos vivem em uma paz inconstante, separados por apenas uma muralha e Feyre Archeron, uma caçadora humana, após matar um fae, é condenada a viver em Prythian, território dos feéricos, na Corte Primaveril, liderada por Tamlin, um Grão Senhor que sofre com uma maldição e luta para proteger seu povo da perversa Amarantha, uma vilã cheia de poder e cobiça que não hesita em destruir todos os que se opõem à ela. 

Após ser feita prisioneira, Feyre enfrenta diverta provas em Sob a Montanha, o território de Amarantha, e mesmo ajudada por Rhysand, ao final a garota termina sendo assassinada pela grande vilã. Mas nem tudo está perdido já que Feyre acaba sendo refeita pelo poder dos sete Grão Senhores presentes e assim se tornando também ela metade humana e metade fae. 

Agora, nesta segunda parte temos uma Feyre destruída pelas lembranças e culpas de tudo o que teve que fazer em Sob a Montanha. O peso de ter sacrificado vidas inocentes ameaça fazer Feyre ruir, e Tamlin também está bem longe de estar em seu estado normal. Tamlin se tornou super protetor e temeroso, chegando ao ponto de manter Feyre cativa em sua mansão. Definhando e desesperada por liberdade, Feyre pede ajuda a seu único amigo, Lucien, mas quando este se mostra leal a Tamlin e incapaz de ajudá-la, é apenas Rhysand e os seus que podem resgatá-la através do laço que a une a Rhysand. Assim, liberta por Rhys, ela vai viver na Corte Noturna, onde conhecerá o lado mais secreto e piedoso do Grão Senhor da Corte Noturna e encontrar finalmente um lugar pra chamar de lar.

Minha Opinião:

Eu tinha tanta vontade de ler essa segunda parte logo! Mas a falta de tempo não me permitia embarcar nestas mais de 600 páginas e eu sempre ia atrasando a leitura. Felizmente, apareceu uma brecha neste mês e nem pensei duas vezes, passei o livro na frente de todos da TBR.
Vou ser bem honesta com meus sentimentos sobre ACOMAF. Eu gostei da leitura. Sarah J Maas criou um universo maravilhoso, com personagens que prendem o leitor e cativam, porém, sabe quando você também sente que sobram páginas? Essa foi a sensação que me perseguiu durante boa parte da leitura.

Eu já sei que é uma característica da J. Maas escrever calhamaços, cheios de detalhes, onde o leitor pode conhecer os personagens de maneira extremamente íntima, eu sei que o universo que a autora cria em suas histórias é sempre bem completo e cheio de detalhes, permitindo que a gente possa literalmente visualizar tudo aquilo, e que a trama sempre se desenvolve até um final de infarto, mas não dá pra negar que por muitos momentos eu senti que J. Maas aprofundava demais, dava voltas em círculos no mesmo lugar e tomava uma quantidade enorme de páginas para dizer algo simples e até óbvio, que poderia ter sido explicado em bem menos linhas. É certo que a maneira como a gente se envolve com a história conta muito, por ser um livro tão extenso a gente literalmente vive com Feyre suas experiências e sente uma empatia enorme por ela, porém, achei a leitura exaustiva em um certo momento e acredito que alguns detalhes foram desnecessários ou poderiam ter sido contados de maneira mais simples e direta.

Temos um novo romance, entre Feyre e Rhysand e vou dizer a real: gosto dos dois, acho que o amor se desenvolve de maneira pausada, gostosa de acompanhar, mas a autora pesou a mão nas cenas hot e quis tornar explícito detalhes que nem eram necessários. Não me incomodou grandemente, mas com a quantidade de páginas que o livro já tem, J. Maas poderia ter resumindo mais as coisas entre eles. A ligação que une Rhys e Feyre é mais profunda do que o que unia Feyre e Tamlin, e isso fica nítido. Tamlin se mostrou mais fraco desde o primeiro livro, diante de Amarantha implorando, e apesar de Feyre ter amado Tamlin, a gente percebe que havia ali também muita lealdade e gratidão por ele ter ajudado ela, a família dela e por ter sido "bom" com ela. Já com Rhys o amor é mais intenso e devastador, daqueles que faz a gente sofrer junto. E além de Rhys, Feyre constrói uma relação bacana de amizade com os membros mais leais da Corte Noturna, Mor, Amren, Cassian e Azriel, quatro personagens que entraram no meu rol de queridos, pois não apenas são apaixonantes, mas cheios de surpresas, conflitos, uma carga dramática profunda pouco comum em secundários, e isso eu adoro em J. Maas, por escrever com tantos detalhes ela quase sempre nos entrega personagens secundários completos, bem trabalhados e com toda uma história para apresentar. 

Eu fiquei super empolgada quando as irmãs de Feyre: Nestha e Elain começaram a aparecer mais perto do final da trama. Eu gosto muito das duas, e acho que ambas prometem brilhar na terceira parte já que são personagens interessantes, fortes e carismáticos, especialmente Nestha que tem um temperamento tão explosivo que impossível não querer conhecer mais da garota.

Aliás, já no final dessa segunda parte J. Maas começa a formar possíveis casais por aqui e ali, algumas declarações já explícitas enquanto outras ficam no ar, mas certo é que o próximo livro promete mais conflito e nem tudo tão centradinho em Feyre, Rhys e Tamlin, e eu gosto de mais personagens alcançando destaque pra jogar mais tempero numa história que tem tudo pra crescer mais e mais.

Apesar de J. Maas gostar de aprofundar tudo até os mínimos detalhes, eu curto a escrita dela, tem algo de apaixonante na maneira em como ela desenvolve cada fato e o desfecho encontrado pela autora é sempre inesperado, essa capacidade de surpreender o leitor é difícil de encontrar sempre num autor, e com Sarah J. Maas noto que vai ficando constante, a gente percebe em cada linha, em cada parágrafo o quanto ela realmente ama criar histórias fantásticas e ricas para nós, leitores.

Acho que já na resenha do primeiro livro comentei o quanto tinha adorado conhecer Prythian e a Corte Primaveril. Nessa segunda parte o foco vai pra Corte Noturna e só posso dizer que o que já era bom fica melhor, e me sinto cada vez mais envolvida com cada Corte apresentada pela autora nesta saga.

Concluindo:

Corte de Névoa e Fúria é uma segunda parte que, embora tenha vários eventos e mudanças na trama, ocorre de maneira mais lenta, por isso, é o tipo de livro pra se ler com calma, com tempo pra absorver tudo do universo complexo e original criado por Sarah J. Maas. O livro já se inicia com algumas intrigas ocorrendo e movimentos suspeitos, porém, da metade em diante o ritmo se torna cada vez mais ágil, até chegar ao final, chocante e com emoção na medida certa pra deixar o leitor numa expectativa enorme pela conclusão da história de Feyre (que se encerra no terceiro livro) e as muitas reviravoltas que desde já podem ocorrer com os muitos personagens secundários da história que, em virtude justamente da narrativa detalhada da autora, conseguem alcançar uma importância fundamental ao longo das páginas.

"Me pergunto se alguma parte minha sabia o que me esperava. Que eu jamais seria uma cultivadora mansa, ou alguém que queimava como fogo, mas que seria silenciosa e determinada e cheia de facetas, como a noite. Que eu teria beleza, para aqueles que soubessem onde procurar, e, se as pessoas não se dessem o trabalho de me olhar, mas apenas de me temer... Então, eu não gostaria muito delas mesmo."



"Não me importava de sair das sombras, não me importava de sequer estar nas sombras, na verdade, contanto que ele estivesse comigo. Meu amigo por tantos perigos - que lutara por mim quando ninguém mais lutaria, nem mesmo eu."


Sarah J. Maas é a autora #1 do New York Times e do USA Today por suas séries Trono de Vidro, a qual começou a escrever aos dezesseis anos e que já foi publicada em mais de trinta e cinco países, e Corte de Espinhos e Rosas. Atualmente a autora vive na Pensilvânia com seu marido, seu primeiro filho, Taran e seu cachorro de estimação. Ao longo dos anos desenvolveu uma apreciação pouco saudável por filmes da Disney e música pop ruim. Ela adora contos de fada e balé clássico, bebe muito chá e assiste muita televisão. Quando Maas não está escrevendo, pode ser encontrada explorando o belo condado de Bucks County.

Web Page Oficial: http://sarahjmaas.com/

Twitter: Sarah J. Maas


Até a próxima, 


Ivy

19 comentarios:

  1. Oi Ivy! Eu adoro as duas séries da autora, mas o meu personagem preferido criado por ela é o Rhys. Esse livro me deixou de ressaca quando li, amei tanto que foi difícil me empolgar com outros depois. Preciso conferir o último. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderEliminar
  2. Oi, Ivy
    Eu não curti tanto essa série como todo mundo fala. Eu comprei o box mas só li o primeiro. Acabei vendendo os outros livros já que eu não pensei em continuar. Quero ver como será o terceiro, tomara que seja melhor do que o segundo!
    Beijo
    https://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderEliminar
  3. Oi, tudo bem? Essa série faz a maioria dos leitores(a) se extasiar com a leitura não é mesmo! Pena que eu nunca consegui gostar tanto assim desse livro, de qualquer modo pra quem curte o gênero é uma obra que vale mesmo a pena. Ótima resenha, abraços!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  4. Oi Ivy!
    Pra mim esse é o melhor volume da trilogia. E depois desse começou a desandar pra mim. Apesar do ritmo mais lento, gosto de cada pedacinho, pq constroi bem todo o contexto que teremos para o final. E isso foi incrível. A reviravolta que ela coloca no romance do primeiro é foda. Pena que pra mim o casal principal desse morreu no último volume. Fiquei saturado. Gosto da escrita da Sarah mas tem hora q ela detalha muita coisa sem necessidade e não acho ela ousada a ponto de ter coragem de chocar o leitor.

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  5. Olá...
    Eu confesso que li sua resenha por alto, pois, pretendo ler esse livro em breve e fiquei com medo de aparecer algum spoiler kkkk... Assim que realizar a leitura volto aqui para a gente papear sobre essa obra que estou cheeeeeia de expectativas ;)
    Amei a foto do livro <3
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  6. Oi Ivy, ainda não tenho este livro, nem alguns outros da autora, são tantos que me desanima sabe!
    Não sei se leria este no momento, vou aguardar um pouco, me falta tempo agora..

    Beijos Mila

    Daily of Books Mila

    ResponderEliminar
  7. essa série de livros parece incrível! já fico babando nas capas deles e to adorando conhecer mais da história por aqui

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderEliminar
  8. Olá, Ivy.
    Eu quando gosto de um autor e da história quero mais é que tenham mil páginas mesmo no livro hehe. Eu amei esse livro mas me senti enganada pela autora por tudo o que ela escreveu no primeiro. E sou do time que odeia a Nestha.

    Prefácio

    ResponderEliminar
  9. Oi
    Eu nunca li nada dela, apesar de sempre ver elogios e mais elogios. O universo que ela cria não é do tipo que gosto de acompanhar e pelo seu texto a respeito do livro acho que eu ficaria irritada com tantos detalhes que dão a impressão de estar enchendo linguiça.

    Espero que o restante da saga te agrade

    Silviane Casemiro
    Blog Memento Mori@Blogueiras.Cansadas

    ResponderEliminar
  10. Conheço muito essa série de ouvir falar, pois além de participar de diversos grupos de leitura, algumas meninas do blog também curtem a autora e os livros que ela escreve.
    Eu ainda não tive interesse em lê-los. Mas, quem sabe, né? Só falta é arrumar tempo para tudo que eu quero ou preciso ler.
    Abraços

    Carol, do Coisas de Mineira

    ResponderEliminar
  11. Olá, amei conferir sua opinião sobre esse segundo livro. Não sei se tenho paciência para tantos detalhes na história, mas sou curiosa para ler esse e os demais da série, já que recebem tantos elogios dos leitores.

    ResponderEliminar
  12. Olá, tudo bem?

    Eu já conheço essa série por meio de outros blogs e igs literários, o que me chama muita atenção são essas capas, são lindas. Parabéns pela resenha/review, ficou muito boa. Infelizmente não pretendo ler essa série no momento, quem sabe no futuro?
    Abraço!

    ResponderEliminar
  13. Nossa 600 páginas não é fácil de ler só para quem é fã não se importa.
    Gostei de conferir ruas irasses desse segundo livro da série. Fico feliz que tenha gostado.
    Beijos

    ResponderEliminar
  14. Olá,
    Não é que ele seja perfeito, mas por tudo que me passou, pelo tanto que eu amei e senti eu gostei muito. Fazia tempo em que eu não ficava tão presa numa história.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderEliminar
  15. Olá, tudo bem?

    Eu ainda não tive a chance de ler essa série, mas tenho muita vontade. Sua opinião aumento minha curiosidade, ainda mais sabendo que a história é cheio de intrigantes e movimentos suspeitos. Parabéns pela resenha. Adorei.

    Bjos.
    https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  16. Então, um dos motivos por eu ter desistido dessa série logo no primeiro capítulo foi isso: a forma como tem informações que muitas vezes ficam dando voltas e mais voltas. É uma pena quando isso acontece, ainda mais quando estamos ansiosos demais para ler. Mas que bom que a autora conseguiu alcançar o que deseja no final do livro.

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderEliminar
  17. Temos algo em comum, eu ainda não li esse livro justamente pela quantidade de páginas, acho que deixarei essa leitura para as férias!
    Adorei saber a sua opinião sobre o livro e isso me animou a ler e vivenciar as emoções da história!!!

    ResponderEliminar
  18. Olá!
    Há algum tempo eu ouvi falar tanto desse livro e o coloquei em meus desejados, mas até então nunca consegui comprar ou pegar emprestado com ninguém. Cada vez mais vejo que eu iria pirar nessa história. Você me fez lembrar dele em meus desejados, espero agora não esquecer e tentar adquirir.

    ResponderEliminar