(Review 328) - As três partes de Grace

em 28 de octubre de 2019

Título original: Far from the Tree
Autor: Robin Benway
Editora: Galera Record (Brasil) / HarperTeen (EUA) / Destino (Espanha)
Páginas: 374
Ano de Publicação: 2017 (EUA) / 2019 (Brasil)
Gênero: Romance Juvenil  / Drama 
Valoração: 
Goodreads / Amazon / Skoob / Saraiva / Cultura


Grace acabou de ter uma filha. E a entregou para a adoção. Não foi uma decisão fácil, já que a própria Grace é adotada. Como escolher uma família para sua bebê? Como ter certeza de que ela terá bons pais? Era de se esperar que tudo isso fosse emoção suficiente na vida de uma adolescente, mas ela também acabou de descobrir que tem dois irmãs. 
Maya é a única integrante de cabelos escuros naquela família de ruivos. As fotos pela casa mostram como ela é diferente de seus pais e de sua irmã Lauren, filha biológica do casal. Quando a família começa a passar por problemas e tudo parece prestes a desmoronar, Maya não consegue parar de se perguntar se aquele é o seu lugar. Quem é sua família biológica? Onde está seu lar?
Joaquin é o irmão mais velho. Ele nunca foi adotado. Chegou muito perto por muitas vezes, mas algo sempre acabava dando errado. Agora ele vive com uma boa família acolhedora, cheia de amor e vontade de adotá-lo, mas o garoto, prestes a completar dezoito anos, não sabe se deve mesmo acreditar que o destino está lhe dando chances de ser filho de alguém. Criar laços afetivos não é fácil quando se passou a vida inteira sendo abandonado. Mas talvez suas irmãs possam lhe ajudar a vencer essa barreira. 
Na busca por amor familiar, companheirismo e, no fim das contas, por não se sentir sozinho no mundo, Grace, Maya e Joaquin vão contar uns com os outros na procura pela mãe biológica. E por si próprios. 



Grace engravidou no ensino médio. Foi inesperado e até assustador. O pior é que o namorado, Max, e os pais dele decidiram não assumir nenhuma responsabilidade e agora Grace está sozinha. E entregar seu bebê, tão perfeito e fofinho para adoção logo depois do parto marcou Grace profundamente. Marcou tanto que ela decidiu que é hora de ir procurar sua mãe biológica. Conhecê-la e entender de uma vez por todas porque ela entregou Grace para a adoção.
Nesse momento vem a revelação inusitada. Seus pais adotivos revelam que Grace tem dois irmãos: uma garota mais nova e um irmão mais velho, e ambos vivem perto.

É assim, meio do nada, que Grace resolve contatar Maia, sua irmã descontraída, vibrante e intensa. E desde o primeiro momento, as duas se unem. Encontrar Joaquin é bem mais complicado, o garoto demora pra responder, e quando as garotas finalmente o encontram, ele é um rapaz retraído, quieto e bem complicado. 
Grace é madura e doce. Maya é sincera e impulsiva. Joaquin é sofrido e triste. E juntos, os três se completam e se consolam, encontram uma força que não sabiam nem que faltava. 
Grace precisa superar a dor de ter que entregar seu bebê, a culpa que ameaça derrubá-la e a vergonha por seus erros. 
Maya está vendo sua querida família adotiva desmoronar, e ela precisa ficar firme, sabendo que é incapaz de mudar as coisas.
Joaquin já perdeu as esperanças de um dia ter uma família. Depois de passar a vida toda em famílias de acolhida, ele já desistiu de ser amado e o trauma que carrega parece sufocar. 
Cada um tem a sua razão pra ir em busca da mãe biológica, e enquanto eles tentam desenterrar o próprio passado, um laço de união inquebrável se forma.

Minha opinião:

As três partes de Grace é um drama juvenil cheio de sentimento. Vários momentos me comoveram, os personagens, super completos, me cativaram completamente, e achei toda a construção da trama bem coerente. 
Sei que Robin Benway é autora de outro livro publicado por aqui, mas essa foi minha primeira experiência com a escrita da autora e no geral foi bem satisfatório. Benway possuí uma escrita madura, aborda temas bem atuais e sabe retratar situações duras sem exagerar no drama. 
Os personagens foram o ponto alto da estória pra mim. Todos os três protagonistas são envolventes e conseguem ganhar a afeição do leitor, e além deles a autora insere personagens secundários muito interessantes, reais, com dramas e cotidianos que a gente entende e visualiza facilmente.

Torci demais por Maya, Grace e principalmente por Joaquin. Os três protagonistas possuem uma química enorme e a relação que se constrói entre eles é crível. A conexão não é do nada e nem instantânea, mas sim natural. Eles constroem aos poucos essa relação de confiança, e embora tenham suas vidas e rotinas paralelas, seus caminhos permanecem unidos, sempre se intercalando ao longo da narrativa.
Meu favorito foi Joaquin, porque ele é tão sofrido e cheio de facetas, imprevisível e altruísta, é aquele cara de coração bom que duvida de si mesmo o tempo todo e que até o final vai evoluindo lindamente. 
Maya também me surpreendeu bastante porque ela conseguia ser irritante e adorável, e eu adoro isso em personagens. 

Apesar de todas as mil coisas boas que encontrei nesse livro e desse enredo moderno, atual e tocante, senti que a estória ficou lenta por algum tempo. As coisas demoravam pra acontecer, e durante a metade da leitura isso me frustrou um pouco. Entendo que é um tempo que a autora precisava e que foi necessário para construir e apresentar seus personagens e nos mostrar suas rotinas e lutas, mas provavelmente por estar acostumada com um ritmo e estilo diferente em livros, essa narrativa mais pausada me pegou desprevenida.

Mesmo assim, é uma leitura que valeu super a pena pra mim. Achei a maneira como a autora explorou a temática toda da adoção bem abrangente. Benway não quis criar vilões, mas se apegou ao realismo, mostrando as caras da moeda que envolve o assunto, seja o lado bom e o lado ruim. Para isso, a autora usa de seus três protagonistas como exemplo. Grace é a filha única, adotada pela família que não podia ter filhos e que a ama intensamente. Maya também é amada, mas ela tem uma irmã que é filha biológica de seus pais adotivos e tem que lidar com ser fisicamente diferente de todo o resto da família. E Joaquin, ele não tem família, foi abandonado, sofreu e foi rejeitado de muitas maneiras. Esses três paralelos permitem a Robin Benway explorar todos os prós, contras e talvez que envolvem o drama e mitos de quando se fala em adoção e no tratamento dado pelo sistema às crianças sob tutela do Estado.

Achei o final carregado de uma intensidade quase poética. Benway diz tanto até o final do livro que fica até difícil tentar expressar em palavras tudo o que aquele final abarca. Ele traz esperança, mas também deixa a certeza de que o futuro é a gente que faz e muito do que fazemos determina se ele será ruim ou bom. Achei o final magnífico e muito inteligente porque a autora não traz um final cheio de purpurina prometendo um mar de rosas, mas algo bem próximo do realismo mesmo, estilo que marcou a leitura desde o princípio.

Concluindo...

As três partes de Grace  é mais maduro e mais aberto do que um simples livro juvenil, pois aborda temas diversos que fazem o leitor sofrer, sentir e refletir desde o princípio. O trunfo da autora é trazer-nos personagens cheios de defeitinhos mas também de muitas qualidades, o que os torna mais próximos de nós leitores. A trama é cheia de sentimento, e sofrimento, mas consegue deixar ao final uma mensagem de esperança e de perdão que achei bastante importante. É um livro que vai comover os leitores, trazendo à tona vários questionamentos e certezas que antes dessa leitura eu raramente havia refletido.

" Maya sorriu para ele, que retribuiu o sorriso. Eles tinham o mesmo dente ligeiramente torto na frente... Bem, Joaquin ainda tinha, mas os pais de Maya a obrigaram a usar aparelho por dois anos para corrigir isso. Ela se arrependia agora. Queria se parecer com as pessoas que tinham seu sangue. Queria que as pessoas os parassem na rua e exclamassem: "Nossa! Como vocês são parecidos!". Queria pertencer a eles, queria que eles pertencessem a ela do jeito que ninguém mais no mundo poderia. "


" - É exatamente isso que uma família é, Joaquin - gritou Maya. - Isso significa que não importa pra onde você vá, nem a distância, você ainda é parte de mim e de Grace e nós ainda somos parte de você também. Olhe só para nós! Levamos 15 anos para nos encontrarmos, mas mesmo assim nós conseguimos! E às vezes as pessoas de uma família podem magoar uns aos outros. Mas depois elas se consolam e seguem em frente. Juntas. Então, você pode continuar a achar que é um lobo solitário, mas não é. Você tem a gente agora, gostando ou não, e a gente tem você. "


Robin Benway é uma escritora americana natural de Orange County. Ela já escreveu seis romances juvenis, sendo que o primeiro deles, "Audrey wait!" foi um sucessso imediato, se tornando um best-seller.
Robin frequentou duas universidades: a Universidade de New York e a Universidade da California, onde se formou em Escrita Criativa. 
No Brasil tem dois livros publicados: "O extraordinário segredo de April, May & June" e recentemente "As três partes de Grace", este último foi nomeado um dos melhores livros do ano pelo The New York Times, The Los Angeles Times, Boston Globe, Entertainment Weekly, entre outros. 
Atualmente Robin vive em Los Angeles, onde ela passa o tempo com seu cachorrinho, Hudson, fazendo café e escrevendo. 

Web Page Oficial: https://www.robinbenway.com

Twitter: Robin Benway


Até a próxima, 


Ivy

21 comentarios:

  1. Oi, Ivy como vai? Que resenha agradável. Sua análise fez eu me decidir que preciso ler o livro. O gênero me agrada, abraço!

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. adorei conhecer esse drama que apesar de adolescente tem essa pegada mais madura e complexa, curti sua indicação

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderEliminar
  3. Oi Ivy! Eu gostei demais desse livro, de fato traz temas que nos fazem pensar muito. Eu e emocionei bastante com a leitura. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderEliminar
  4. Oi Ivy,
    Estou lendo resenhas lindas sobre esse livro e cada vez mais curiosa sobre essa busca, e tb o final.
    Acredito que eu tb vá simpatizar bastante com Joaquin.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderEliminar
  5. Oi Ivy,

    Esse livro é muito tocante mesmo. Dos personagens principais eu também gostei muito do Joaquim pela sua personalidade e história.
    Achei a trama bem trabalhada e elaborada deixando um misto de sentimentos dentro de nós.

    Bjs
    http://diarioelivros.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  6. Menina, esse Joaquin conquistou o coração de todo mundo mesmo. Até imagino o quão sofrida é a vida dele.
    No momento não estou muito para dramas, mas pretendo conferir a história.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderEliminar
  7. Oi, Ivy!

    A sua é a segunda resenha positiva que eu leio a respeito desse livro. São poucos os livros que falam sobre adoção, e esse parece ótimo, principalmente por a protagonista tomar a mesma atitude que a mãe biológica, e depois tentar entender se a razão por ela ter ido à adoção ser a mesma, além de ainda encontrar os dois irmãos perdidos. Deve ser uma obra bem sentimental e tocante. Curiosa pra ler também!

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  8. Oi, Ivy!
    A sua é a primeira resenha que leio desse livro e não fazia ideia de que era um drama juvenil. Pensei em algo bem mais maduro quando vi a capa pela primeira vez. No momento, eu estou fugindo de dramas e acho que ainda não cheguei no momento certo de ler esse livro, mas quem sabe em breve, né?
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderEliminar
  9. Olá, Ivy.
    Achei interessante você falar que o livro trouxe questionamentos que você nunca tinha parado para refletir porque eu também. A gente raramente pensa nessas coisas. Eu adorei o livro e me emocionei muito com ele. Principalmente com o Joaquin que eu queria pegar no colo e nunca mais soltar hehe.

    Prefácio

    ResponderEliminar
  10. Oi, tudo bem? Não conhecia o livro e fiquei interessada, adoção é um assunto que gosto muito, pois penso, um dia, em adotar, já que não quero ter filhos biológicos. Acho que cada personagem deve ter a sua beleza e as suas dores, deve ser mesmo bem sofrido saber todas elas. Não tô buscando novos livros agora, mas vou colocar este na wishlist.

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderEliminar
  11. Acho que nunca li uma obra que abordasse esse tema e é um assunto tão delicado. Tenho vontade de adotar um filho um dia e por isso gosto muito do tema. Anotei o nome do livro porque com toda a certeza é algo que eu pretendo ler.

    Abraço,
    Parágrafo Cult

    ResponderEliminar
  12. Eu achei a capa do livro maravilhosa, e o enredo parece ser bem crível e bem triste também. Eu não me dou muito bem com esse tipo de história que mexe com meu emocional. Um dia, quem sabe... talvez. Mas, por agora eu sei bem que não estou pronta para tal. hehehehe
    Adorei seu post.
    Grande beijo

    Carol, do Coisas de Mineira

    ResponderEliminar
  13. Olá, Ivy!
    Parabéns pela resenha, ficou incrível e eu achei essa capa maravilhosa, muito bela mesmo. Eu particularmente nunca li nada da autora e não me lembro de ler uma tema tão delicado. Deve ser uma boa leitura!
    Abraço!

    ResponderEliminar
  14. Acho a capa desse livro tão linda! *_*
    Estou vendo tantas opiniões positivas que já estou doida para embarcar nessa história! Eu gosto bastante de dramas familiares, então sei que esse livro irá me emocionar e, talvez, até me fazer chorar.

    www.sonhandoatravesdepalavras.com.br

    ResponderEliminar
  15. Eu nunca li nada dessa autora e quando vi esse livro ser lançado, fiquei curiosa e interessadíssima pela história. Acredito que vou me emocionar bastante com a leitura <3

    Sai da Minha Lente

    ResponderEliminar
  16. Oi, tudo bem? Primeiro queria dizer que desde a primeira vez que vi essa capa fiquei encantada. É tão delicada, nos faz sentir tantas coisas ao mesmo tempo. Achei interessante todo o enredo criado pela autora. As vezes não é fácil trazer uma história com dramas familiares, crianças, pais desconhecidos, etc. Imagino porque tantos leitores indicam essa leitura. Espero conseguir ler em breve. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderEliminar
  17. Li esse livro recentemente e tenho que concordar contigo em questão que algumas coisas demoraram para acontecer, mas exceto isso, é uma obra incrível, né? Tocante e cheia de lições. Juro que me cativei demais pelos personagens apresentados e sempre torcia para que algo extraordinário acontecesse com eles. Foi uma leitura maravilhosa.

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderEliminar
  18. Essa leitura foi muito surreal, muito emocionante e cheia de lições,adorei acompanhar a trajetórias dos três personagens que compõem essa obra, adorei sua resenha!

    ResponderEliminar
  19. Olá

    Eu me apaixonei por esse livro por causa de uma resenha que li num blog e fiquei imensamente tocada pelo drama e desfecho do mesmo. Quero comprar agora na Black Friday.

    Beijos

    ResponderEliminar
  20. Olá, tudo bem? Admito que tenho pé atrás com enredos que tem narrativa lenta, mas como vejo muitos elogios para a obra, irei me arriscar a ele. Adorei seu ponto de vista sobre a história, e espero também gostar.
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  21. Oiii tudo bem?
    Tinha visto esse livro rodando pelo booktuber mais nunca parei realmente pra saber da drama e posso dizer que fiquei super curiosa em conhecer e saber o que aconteceu com os três no final agora preciso do livro pra mim hahaha
    Obrigado pela dica viu ela foi mais q anotada. Também nunca li nada dessa autora a capa e linda e fofa isso ajuda muito .

    Bjss

    ResponderEliminar