(Review 330) - O Jogo da Mentira

em 5 de noviembre de 2019

Título original: The Lying Game
Autor: Ruth Ware
Editora: Editora Rocco (Brasil) / HarperTeen (EUA) / Salamandra (Espanha)
Páginas: 352
Ano de Publicação: 2017 (EUA) / 2019 (Brasil)
Gênero: Suspense / Mistério
Valoração: 

REGRA 1: Conte uma mentira.
REGRA 2: Insista na sua história.
REGRA 3: Não deixe que descubram. 
REGRA 4: Nunca mintam umas para as outras.
REGRA 5: Saiba quando parar de mentir.
Quatro amigas e um jogo perigoso. Talvez uma delas tenha quebrado uma das regras.
Isa Wilde e suas três melhores amigas, Kate, Fatima e Thea, costumavam brincar de O Jogo da Mentira quando eram adolescentes em Salten House, um colégio interno no litoral da Inglaterra. Era um jogo com regras próprias, que girava em torno de inventar histórias perversas sobre professores e outras alunas. Mas a brincadeira teve consequências desastrosas, o período escolar acabou em tragédia e escândalo, e as quatro amigas foram expulsas sob circunstâncias misteriosas envolvendo o desaparecimento do pai de Kate, Ambrose, um excêntrico e querido professor de artes. 
Quase duas décadas depois, um osso humano é encontrado no mesmo vilarejo litorâneo onde elas estudavam e no qual Kate ainda mora. na manhã seguinte, Isa, Fatima e Thea, as outras três mulheres do então inseparável quarteto, recebem de Kate o recado que sempre temeram, dizendo apenas: "Preciso de vocês".
Reunidas novamente naquele lugar onde viveram momentos insquecíveis de sua juventude - as escapadas do campus, as belas lições de Ambrose, os encontros furtivos e as tardes passadas no rio Reach -, essas quatro mulheres precisarão lidar com aquela descoberta que pode, literalmente, desenterrar um terrível segredo. Em pouco tempo, torna-se evidente que uma delas quebrou uma regra importante do jogo: Nunca mintam umas para as outras.
Intenso, imprevisível e com doses de suspense na medida certa, Ruth Ware constrói mais uma vez uma narrativa instigante em que histórias de vida são contadas à medida que mistérios são revelados com uma tensão crescente, que prenderá o leitor da primeira à última página.



O Jogo da Mentira é um thriller escrito pela autora britânica Ruth Ware e publicado recentemente pela Editora Rocco.
A trama nos apresenta quatro protagonistas, no passado foram amigas inseperáveis do ensino médio que estudavam em um internato localizado em Salten, um lugar pitoresco e remoto da Inglaterra. Hoje, todas são jovens mulheres de trinta anos, cada uma seguiu seu destino e aos poucos acabaram se afastando, apesar do enorme carinho que sempre nutriram umas pelas outras. 
Até quem dia, Isa Wilde, uma jovem mãe e funcionária pública que desfruta tranquilamente de sua licença maternidade recebe uma mensagem assustadora. "Preciso de vocês" é só oque diz na mensagem de Kate Atargon, mas essas três palavras são suficientes pra Isa largar tudo e levar sua filha bebê para Salten, para se hospedarem na casa de Isa. Logo, aparecem as outras duas inseperáveis do grupo, Thea, uma bartender liberal que carrega cicatrizes e muito caos, e Fatima, casada, mãe de dois e muçulmana fervorosa. Mas o que fez as três amigas abandonarem tudo e correrem pra Salten ao resgate de Kate que não viam há anos? 
Um segredo devastador une as quatro amigas, e a possibilidade que esse segredo venha à tona agora se torna cada vez mais provável. Elas tentaram refazer suas vidas após a tragédia que abalou a adolescência de cada uma delas e as fez serem expulsas do colégio de Salten, mas o grande problema é que após aquela tragédia, elas decidiram construir suas vidas com base em uma mentira, e o segredo que elas escondem pode colocar tudo à perder. 
Quando o passado ameaça ressurgir como um monstro, só resta se unir e ajustar as contas com ele, antes que seja tarde e o Jogo da Mentira se torne o maior de todos os desafios que essas mulheres tentarão manter.

Minha opinião:

Antes de começar a ler O Jogo da Mentira eu fui conferir algumas resenhas no Goodreads e vou dizer que algumas me desanimaram e me deixaram com o pé bem atrás com relação ao conteúdo todo da estória e talvez, por esperar pouco do livro, já começo concluindo que apesar de ter seus errinhos, O Jogo da Mentira até que foi uma leitura bem legal, que fluiu rápido pra mim e, embora não esteja entre os melhores do ano, foi pelo menos interessante em muitos sentidos.

Um dos pontos fortes da obra achei que foi o mistério ao redor das quatro amigas, o irmão de uma delas, o Luc, e o pai, Ambrose Atargon, um professor de artes que simplesmente desapareceu. Morto, desaparecido, afinal, o que foi que aconteceu com o Ambrose? O leitor fica se perguntando até a resposta surgir aos poucos, e, depois disso, a gente fica querendo saber quais eventos afinal culminaram no que abalou as vidas tanto do Ambrose como das quatro meninas. 
Achei que a autora conseguiu esconder bem as cartas que tinha na manga e conseguiu revelar bastante coisa perto do final. Alguns detalhes ficaram previsíveis, porém a grande maioria das revelações foi me surpreendendo porque eu criei algumas hipóteses na minha cabeça mas só acertei poucas. 

Eu gostei dos personagens apresentados. Ainda assim, também achei que faltou profundidade em duas das protagonistas. Queria ter conhecido mais dos entornos de Thea e Fatima por exemplo. Se revela pouquissimo delas e dos dramas que Thea enfrenta e achei que a autora desperdiçou algumas oportunidades com ambas. A trama fica bem mais focada na Isa, que é a narradora da estória, e também na Kate, cujo pai é Ambrose. De todas, a mais complicada foi certamente a Isa, achei ela bem paranóica e me irritava um pouco alguns detalhes de sua personalidade, no entanto, até que foi fácil acompanhar o ponto de vista da Isa e ver como as coisas iam se desenrolando e sendo reveladas através de sua percepção. 

A ambientação de Salten ficou bem interessante, meio mórbida até e carregada de um mistério obscuro que chamou a minha atenção desde o princípio. As razões ao redor de Kate me intrigavam e eu não conseguia entender sua teimosia em permanecer em Salten apesar de todos os eventos que abalaram as vidas das garotas. Com o passar das páginas a autora vai nos respondendo tudo e a trama passa a ganhar forma.

A narrativa da Ruth Ware é rápida, dinâmica e envolve. Eu fiquei fisgada e praticamente li metade do livro em uma tarde sem sequer notar. A partir de um certo ponto o mistério ao redor dos personagens se torna um quebra cabeças e fica dificil lançar hipóteses. Algumas coisas me pegaram desprevenida, outras pude intuir e acabei acertando mas, mesmo quando se torna previsível, O Jogo da Mentira segue sendo uma estória fácil de ler, daquelas que a gente quer saber o desfecho só pra conferir se acertamos nas hipóteses criadas ou não. 

Fiquei um pouco desapontada com o final. A autora optou por um desfecho que não me convenceu, achei que ficou corrido e faltou (e muito) um epílogo, pois o leitor fica querendo saber o que ocorreu depois, na vida daquelas personagens e como elas superam aquilo. Esse final deixou coisas no ar, e alguns detalhes ficaram mal explicados. Não é um final ruim, mas ficou a sensação de que faltava partes, explicações mais fundamentadas do que as que tive. 

Concluindo...

Com seus altos e baixos, O Jogo da Mentira é um suspense interessante pra quem gosta do gênero mas busca por um livro leve, carregado no mistério sem ser sanguinolento. Os saltos no tempo alternando entre passado e presente oferece ao leitor a condição de criar suas próprias teorias para o que aconteceu além de deixar a estória toda mais cheia de caos e intrigas. Faltou mais profundidade em certos pontos da trama, especialmente seu final que merecia um epílogo explicando melhor alguns detalhes, porém, ainda assim, O Jogo da Mentira acabou sendo uma leitura bem rápida que conseguiu manter parte de seu mistério intacto até o final. 

" Eles estão aqui: Luc, Ambrose e não só eles, nós também, os fantasmas do nosso passado, as meninas magras e risonhas que fomos antes daquele verão que terminou com um desastre cataclísmico e nos deixou cheias de cicatrizes, tentando seguir em frente, mentindo não mais como um jogo, e sim para sobreviver. " 



" Mesmo com minha filha dormindo ao meu lado, volto a ter quinze anos, um instante e estou lá de novo, ouço os gritos das gaivotas, vejo a luz clara e estranha no peitoril de madeira da janela, e minha melhor amiga está na cama ao lado da minha. Fecho os olhos e ouço os sons do passado, me imagino de novo a menina que era, uma menina ainda com as amigas por perto, com os erros ainda no futuro. "

Ruth Ware nasceu no condado de Sussex, no leste do Reino Unido, no ano de 1977. Ela estudou na Universidade de Manchester, depois se mudou para Paris durante uma temporada, e posteriormente fixou residência em Londres, onde atualmente ainda vive. Antes de se dedicar à literatura, Ruth foi camareira, vendedora de livros, professora de inglês para estrangeiros, e por último, assessora de imprensa. Hoje em dia, seus livros já foram traduzidos para vários idiomas e estão na lista dos mais vendidos do The New York Times e do The Sunday Times. 
Conhecida por escrever thrillers psicológicos e suspenses alcançou fama instântanea em sua estréia, publicada aqui no Brasil pela Editora Rocco sob o título "Em um bosque muito escuro". 
O Jogo da Mentira é o seu terceiro livro.

Web Page Oficial: https://ruthware.com/

Twitter: Ruth Ware


Até a próxima, 


Ivy

17 comentarios:

  1. Oi, Ivy!

    Tenho bastante vontade de ler esse livro, seu mistério me deixa intrigada só pelas resenhas, e acho legal o fato de envolver quatro amigas que um dia já foram bem unidas, e como mudaram com o passar do tempo. Gosto de suspenses assim mesmo, leves e que entretêm, então já deixei a dica anotada!

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. Oi Ivy!!
    Eu conhecia o outro livro dela, falamos dele no clube do livro aqui da minha cidade no mês de outubro, foi legal tomar conhecimento desse. O plot do livro é daqueles que já foi usado e reusado várias vezes por vários autores, parece até novela com a mesma formula de sempre, isso de certa forma já tira um pouco meu hype pelo livro porque ou a história é surpreendente ou vai te deixar achando que faltou alguma coisa.
    Assim como você eu não me deixo levar por resenhas "ruins" sobre livros que quero ler, até porque é importante nós ternos nossa própria opinião nem que seja pra xingar o livro hahaha.
    Também fico chateado quando o final do livro deixa a sensação que falta alguma coisa, mas ao menos a leitura não foi uma total perda de tempo para você!!

    Beijos!
    Eita Já Li

    ResponderEliminar
  3. Olá! Interessante sua resenha! Você consegue colocar os pontos negativos da história sem desmerecer a obra. Achei isso fantástico! Poucas pessoas conseguem fazer isso!

    Esse foi o fator que me deixou curiosa pelos detalhes da obra, confesso! hehe

    O que será que essas mwninas escondem??? Curti mais ainda quando voce falou que é um suspense mais leve. Gosto de estilos assim. Me agradam mais!

    Parabéns pelo trabalho!
    Um abraço!

    ResponderEliminar
  4. Oi, Ivy!
    Achei a premissa bem interessante, pois gosto muito de enredos com essa pegada de suspense. Achei uma pena que o final tenha deixado a desejar, mas ainda assim acredito que daria uma chance a obra.

    Beijos
    Construindo Estante || Instagram

    ResponderEliminar
  5. Acho que nunca li um suspense. Gosto de arriscar outros gêneros e se eu achar esse livro numa biblioteca vou pegar pra ler.
    Beijocas.

    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderEliminar
  6. Eu estou curiosa com esse livro, por todo o mistério e a trama do jogo em si. Tenho certeza que é um dos que eu iria acabar favoritando.
    Silviane, blog Memento Mori• Siga no Instagram: @kzmirobooks

    ResponderEliminar
  7. Oi Ivy!
    Pena que faltou um pouco de trabalho no final do livro!
    Algumas resenhas que li sobre ele n foram muito animadoras, talvez eu comece a ler o outro thriller da autora!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderEliminar
  8. Oi, Ivy como vai? Eu li esse livro e minhas impressões foram parecidas com as suas. Ótima resenha, parabéns. Abraço!



    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  9. Ola!
    Eu já vi esse livro pelas redes sociais e já estava louca para conferir. Sua resenha me deixou ainda mais curiosa. Sou uma leitora que está muito familiarizada com romance e estou entrando agora nos trillers, então imagina como não fiquei animada com esse?! Já anotsi a dica para poder conferir!

    ResponderEliminar
  10. Parece um belo suspense, desses que dá para ficar curioso só de ler a sinopse. Pena que você achou o final um pouco corrido, mas tem muito livro que decepciona desse jeito.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderEliminar
  11. quando o livro tem o final corrido me deixa um pouco triste, porque sempre fica aquela sensação que poderia ser melhor. Mas fiquei c=muito curiosa para realizar a leitura, pelo visto deve ser um bom suspense

    ResponderEliminar
  12. Eu adoro conferir opiniões antes de iniciar uma obra e apesar de às vezes não serem positivas, isso me instiga ainda mais em ler hahaha. Fico feliz que a obra tenha fluído e te conquistado em certos momentos e uma pena que a autora falhou no final.

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderEliminar
  13. Que pena que não se envolveu tanto com a leitura, pois tem uma premissa tão legal.
    Acredito que eu também me incomodaria com algumas coisas - o ritmo talvez. Mas acho que daria uma chance pq apesar de tudo fiquei curiosa pelo final hauhauhauha

    Sai da Minha Lente

    ResponderEliminar
  14. Sinceramente, parabéns pela bela resenha, adorei. Mas tenho que confessar que o gênero não me atrai em nada. Eu já tentei várias vezes mas não flui para mim. Deixarei essa dica passar mas quem sabe a próxima.

    Beijão.

    ResponderEliminar
  15. Oie, tudo bem? Conheci a autora esse ano fui conquistada por sua escrita. A Rocco já publicou três livros da Ruth no Brasil e já li todos. Apesar de ter gostado muito desse, que inclusive participei de uma leitura coletiva, meu favorito é A mulher na cabine 10. Um ponto que gostei foi essa dinâmica entre passado x presente. Mas pra mim não foi uma leitura rápida demorou um pouco. Dos três foi o que mais se arrastou. Mas vale a pena! Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderEliminar
  16. Oi, Ivy!
    Bom saber que é uma leitura que, embora tenha altos e baixos, parece ter fluido bem para você. Não sei se lerei esse livro, ele não chamou muito a minha atenção, ao meu ver, parece que ficou faltando alguma peça nesse quebra-cabeça para fazer dele um bom thriller.
    bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderEliminar
  17. Se tem mais de um protagonista, é preciso tratar todos com o mesmo peso, neste caso, profundidade, apesar disso, fiquei curiosa com a proposta do livro, parece bacana.

    ResponderEliminar