(Review 343) - Serpent & Dove (Serpent & Dove #1) - De repente, no último livro

10 de abril de 2020

(Review 343) - Serpent & Dove (Serpent & Dove #1)

Título original: Serpent & Dove
Autor: Shelby Mahurin
Editora: HarperTeen (EUA) / Puck (Espanha)
Páginas: 513
Série: Serpent & Dove
           1. Serpent & Dove 
           2. Blood & Honey
           3. Sem Título
Ano de Publicação: 2019 (EUA) 
Gênero: Fantasia Juvenil
Valoração: 

Criado como alguém para amar, honrar, ou queimar. 
Dois anos atrás, Louise LeBlanc fugiu do seu clã e se refugiou na cidade de Cesarine, abandonando toda a magia e vivendo do que conseguia roubar. Lá, bruxas como Lou são caçadas. Elas são temidas. E elas são queimadas. 
Jurado à igreja como Chasseur, Reid Diggory viveu sua vida com um só princípio: não permitirás que uma bruxa viva. Seu caminho nunca teve a intenção de cruzar com os caminhos de Lou, mas um golpe perverso os força a uma união impossível - o santo matrimônio. 
A guerra entre bruxas e a Igreja é antiga, e os inimigos mais perigosos de Lou trazem um destino pior que o fogo. Incapaz de ignorar seus sentimentos crescentes, mas impotente para mudar o que é, uma escolha deverá ser feita. 
E o amor faz de todos nós tolos. 




Acho que um dos livros de maior hype atualmente lá na gringa pode ser Serpent & Dove. É impossível não se contagiar pela avalanche de boas críticas que a bilogia (?) tem conquistado e, com uma premissa que transporta ao leitor ao período sombrio da Inquisição, com certeza eu sabia que precisava ler esse livro.

Serpent & Dove nos apresenta como protagonista Louise Le Blanche, a Lou, uma ladra bem astuta que conta com a ajuda de sua melhor amiga, Cosette, a Coco, para ajudar em seus pequenos truques e furtos. Ambas compartilham o mesmo segredo: Lou e Coco são bruxas. 
Lou é uma Dame Blanche, ela precisa sempre oferecer algo em troca na sua magia. Tem um preço a pagar.
Coco é uma Dame Rouge, ela faz magia de sangue. 
Ambos os grupos de bruxas possuem o mesmo inimigo em comum: os chassieurs, caçadores de bruxa da Igreja, homens fanáticos e dedicados à missão de queimar todas as mulheres praticantes da magia. 
Quando Lou se envolve em uma confusão e se vê obrigada a casar com o capitão dos chassieurs, Reid Diggory, ela pensa que o destino está fazendo uma piada cruel. Mas, os inimigos de Lou são perigosos, e a vida dela sempre está correndo risco. Talvez, estar sob o abrigo dos chassieurs afinal de contas possa ser uma vantagem para Lou salvar sua vida.

Conforme Lou vai se aproximando de Reid e dos seus, ela vai descobrindo outras facetas dos velhos inimigos, um lado mais amável. Ainda assim ela sabe que revelar quem ela é pode ser mortal. O problema é que o amor entre Loud e Reid vai ganhando forma, e de repente esconder a verdade de Reid parece ser ainda mais cruel do que o destino em uma fogueira. Lou tem um passado assustador, esconde um segredo e é perseguida tanto pelas bruxas como pelos chassieurs. Ela sabe que não deveria confiar em ninguém, mas quando as vidas daqueles que ama são colocadas em risco, não resta nada senão enfrentar as consequências de frente.

Minha opinião:

Os melhores livros sobre bruxas que li foram aqueles justamente ambientados nesse período da Inquisição, a famosa caça às bruxas promovida pela Igreja e apoiada por centenas de cidadãos devotos. Foi um período conturbado, onde as mulheres se tornaram alvo fácil de todo tipo de ódio e repressão. Andar desacompanhada, defender uma posição diferente, vestir-se fora dos padrões e até mesmo falar em uma linguagem considerada imprópria para uma dama já eram motivos para colocar uma mulher sob suspeita. Foi um período sombrio da humanidade e hoje, com certeza, é cenário intrigante para ser usado na literatura.

Serpent & Dove é a primeira parte da bilogia de Shelby Mahurin, uma estória de ambientação crível, personagens fascinantes e uma narrativa eletrizante que mantém o leitor atento à cada capítulo.
Eu adorei demais os personagens, inclusive os secundários. Embora não tenhamos muitos detalhes acerca dos secundários, o pouco que é mostrado me cativou e alguns deles ganharam meu coração. Coco por exemplo é mais do que a melhor amiga que participa ativamente de tudo. Coco é cheia de personalidade, também é uma bruxa, não vive à sombra de ninguém e é muito girl power. Sabe se defender, seja com palavras ou com atitudes, e não vacila. Eu adorei porque ela rouba a cena perto do final, ao mesmo tempo em que mantém uma química imensa com a protagonista, uma amizade gostosa de acompanhar.

Ansel  é um chasseur responsável por ser segurança e carcereiro de Lou na Torre dos chasseurs. A coisa é que o coração dele é imenso e ele se apega à Lou e os dois acabam criando uma relação de cumplicidade bem bacana, uma amizade que acontece de forma gradual, lenta, e que o leitor acompanha como pouco a pouco a confiança vai aflorando enre a Lou e o Ansel.

Temos vários outros secundários que também despertam curiosidade. Jean Luc  por exemplo é um chasseur problemático, ele era o melhor amigo de Reid, mas se tornou invejoso e fanático, e essa inveja é combústivel para ele se tornar um quase vilãozinho. O Arcebispo é outro que oscila entre fanático e malvado, porque conduz uma caça às bruxas implacável e até o final do livro a gente desconhece os motivos que movem esse homem. Ele é um personagem super interesante pra mim porque até o final vai ficando num meio termo e a gente quer descobrir mais das motivações dele. Temos também a chefe das cortesãs, a Madame Labelle, que num primeiro momento se apresenta sutilmente, sem importância, mas aos poucos vai ganhando sua parte na trama até revelar-se alguém bem diferente do que eu esperava, em termos de personagem foi uma das que mais me surpreendeu.
Há outros super interessantes, mas que por enquanto foram menos explorados, como a perversa Morgane  que certamente ainda terá seu destaque na segunda parte, e a família real, os Lyon.

Quanto aos protagonistas, embora tive meus sentimentos encontrados com a Lou em certos momentos, no geral gostei bastante do casal construído por Mahurin. Lou e Reid ao princípio não se gostam, ela representa muito do que ele detesta, e ele simplesmente é tudo o que ela abomina. Mas o relacionamento deles não é aquela coisa clichê que fica oscilando entre amor e ódio. Na verdade, eles admitem se odiar mas buscam se tolerar, e não há aquelas mil e uma briguinhas bestas. Os diálogos entre eles são divertidos, carregados de ironia, sarcasmo e uma boa dose de meias verdades. A personalidade da Lou logo de início me encantou, porque ela não tem papas na língua, é astuta, inteligente e parece estar sempre planejando algo. Fiquei um pouco decepcionada depois que ela se apaixona, achei que a personagem se tornou mais passiva, mais mansa, perdeu parte daquela ferocidade e daquele sarcasmo que arrancava risos do leitor. Reid se apresenta meio bruto e brusco desde os primeiros capítulos, ele é todo certinho e acredita em tudo o que lhe foi ensinado, é aquele tipo cabeça dura, que não se questiona de nada nunca e enxerga tudo preto no branco. Reid demora pra evoluir e abrir a mente, mas achei sua evolução coerente, eu gostei de como ele reluta e se apega com forças às velhas crenças mesmo quando tudo cai por terra diante dos seus olhos. Ele se coloca em uma espécie de estado de negação, não quer aceitar nada que seja diferente, e essa teimosia de Reid o torna bem real.

Já falei que sou obcecada por essa ambientação. A Europa dos tempos da Inquisição é carregada de mitos, de crenças, de medo e segredos, sempre me envolve, sempre me faz visualizar cada detalhe. Achei a construção da ambientação de Mahurin bem sutil e ao mesmo tempo suficiente pra imergir o leitor na estória que conta.

A trama sem dúvidas é o ponto forte. Mahurin é incrível descrevendo sentimentos e impressões de seus personagens, me senti íntima de Lou e Reid. Aliás essa narrativa intercalada entre os dois foi fundamental para o sucesso da trama. Através dos olhos de Lou e Reid o leitor vai ligando as peças do enorme quebra cabeças que a trama se torna, e as respostas só chegam lá no final, de maneira bem imprevisível.
O legal desse livro com certeza é o fato de não haver lado dos bonzinhos ou dos malzinhos. Tanto bruxas como chasseurs, até mesmo pessoas comuns, todos carregam sua parcela de culpa e méritos, e não há um lado que se mostrasse mais heróico que outro, todos são mostrados como falhos, sucumbindo aos vícios do poder.

A escrita da Shelby é perfeita. Nem muito lenta e nem muito apressada, tudo ocorre nos momentos certos e ela consegue fechar as pontas soltas de maneira inteligente e completa. Fica no ar muitos conflitos para serem finalizados na segunda parte, mas ao mesmo tempo, ela encerra e revela muito nessa primeira parte, e isso foi ótimo, porque aguça ainda mais a curiosidade da gente para querer saber o que vai acontecer.
O ritmo da trama é impecável, mesmo na metade, quando tudo parece se aquietar e se resumir no amor de Lou e Reid, a autora ainda permite que algumas coisas aconteçam para manter o leitor constantemente alerta.
Gostei do final porque tem muita ação, momentos desesperados, um clímax intenso como o livro merecia. Foi um final bem elaborado, pausado, que deixou claro como a autora soube conduzir com maestria toda a trama, do início ao fim.

Concluindo...

O hype é real. Serpent & Dove  é com certeza um livro pra conquistar leitores de todos as idades e estilos. Com seus protagonistas carismáticos e uma trama cheia de reviravoltas e imprevistos, o livro é uma montanha russa de emoções, daqueles que deixa uma tremenda ressaca ao terminar. Valeu a pena me render às recomendações de tantos e tantos outros leitores, e agora só resta ficar na torcida para que alguma editora brasileira se interesse em publicar o livro por aqui.

" Há coisas que não dá para mudar com simples palavras. É necessário ver certas coisas para crer. É necessário senti-las. "




" Talvez eu fosse arder no inferno pelo que havia feito. Havia mentido, roubado e matado sem vacilar em minha cruzada implacável por sobreviver. Mas, será que valia a pena uma vida como esta? Quando me tornei tão impiedosa, acostumada a ter sangue nas mãos? Quando eu me converti em algo pior que ambos? Pelo menos as Dame Blanche e os Chasseur haviam escolhido seus respectivos bandos. Cada um defendia algo, mas eu não defendia nada. Era uma covarde. "



Continua em:

Blood & Honey


Shelby Mahurin cresceu em uma pequena fazenda na zona rural de Indiana, nos Estados Unidos, onde os galhos se transformavam em varinhas mágicas e as vacas, em dragões. Sua imaginação sem limites não diminuiu com a idade, por isos mesmo segue criando fantasia todos os dias, mas agora com palavras ao invés de vacas. Ela ainda mora perto da fazenda com seu marido, seus filhos, dois cachorros e um gato. 
Quando não está escrevendo, Shelby está em seu escritório obcecada em sua conta do Twitter. 
Entre os livros favoritos de Shelby estão "A court of Mist and fury" de Sarah J. Maas, "Unprooted" de Naomi Novik, "The Night Circus" de Erin Morgenstern e, obviamente, "Harry Potter" de J. K Rowling, lista que só prova que a fantasia sempre fez parte da vida de Shelby e sempre buscou viver rodeada dela. 

Web Page Oficial: https://www.shelbymahurin.com/

Twitter: Shelby Mahurin





Até a próxima, 


Ivy

12 comentarios:

  1. Não conhecia, mas adorei sua resenha ... Beijos

    Segredosdamarii.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Eu tenho ouvido algumas pessoas falando sobre esse livro e realmente ele parece tudo para ser maior sucesso. Fiquei até um pouco mais curiosa sobre o livro agora :)
    Os Delírios Literários de Lex

    ResponderEliminar
  3. Oi, Ivy como vai? Já tinha ouvido falar deste livro. A estória me parece cativante e envolvente. Adorei a resenha. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  4. Oi Ivy!!

    Eu AMO livros de bruxas, eu já tinha ouvido falar sobre esse livro, mas, ainda não tinha parado para dar a devida atenção a ele e agora que descobri que ele é sobre bruxas já estou louco para ler, também acho interessantes livro sobre bruxas que se passam na inquisição para que deixa tudo ainda mais real e arrebatador.
    Não tenho costume de ler livros em inglês, mas, preciso começar a fazer isso, principalmente para treinar né? Eu geralmente chamo as séries de dois livros de duologia e vejo muita gente chamando assim, mas como a série foi idealizada com três livros eu chamaria ela de trilogia, mesmo o último livro não tendo saído ainda.

    Beijos!
    Eita Já Li

    ResponderEliminar
  5. Olá tudo bem? Já ouvi falar muito desse livro e, na maioria, muito bem. Mas confesso que não havia procurado saber mais para ver se iria gostar ou não. Adorei a sua resenha e com toda certeza irei procurar para ler.
    Beijos

    ResponderEliminar
  6. Oi Ivy.

    No momento não recordo de nenhuma história com bruxas e conhecendo um pouco da história através da sua opinião eu quero ler essa história. Adorei saber que a história é uma montanha russa de emoções. Obrigada pela dica.


    Bjos

    ResponderEliminar
  7. Uau! Eu não conhecia essa obra e fiquei realmente fascinada em conhecê-la através do seu ponto de vista. Achei a premissa muito interesse e pelo hype e o que você contou, ela parece ótima mesmo! E se conquista leitores de qualquer idade, é ainda melhor. Deixarei a dica anotada! Espero que alguma editora publique por aqui :)

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderEliminar
  8. Olá!
    Já havia visto uma resenha desse livro que me despertou bastante curiosidade, agora lendo a sua me sinto ainda mais intrigada pela história. Adoro todo o tema que envolve bruxas e bruxaria, mas, mesmo assim, é algo que não tenho tanto contato, por isso sei que iria adorar ler o livro. Fico no aguardo de alguma editora brasileira publicá-lo, já que por enquanto não leio em inglês.

    www.sonhandoatravesdepalavras.com.br

    ResponderEliminar
  9. Oi, tudo bem? Ainda não vi esse livro por aí, você leu em inglês? Eu gosto de livros de fantasia, especialmente sobre bruxaria, mas larguei um pouco o gênero. Atualmente estou relendo Harry Potter e percebo que sinto falta dessas tramas. Com certeza leria esse, mas achei muito clichê existir uma trama de romance, geralmente foi isso que me afastou do gênero, não vejo mais muitos livros de fantasia que realmente foquem somente na fantasia, sempre vem o romance para estragar tudo. Mas espero que o romance seja bem construído, pelo menos. Gostei muito das capas, são bem diferentes!

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderEliminar
  10. to precisando de uma fantasia, e adoro a tematica bruxa, sdds ler algo assim com essa pegada que parece fluída já queroo

    ResponderEliminar
  11. Olá

    Estou melhorando minha leitura em inglês(obrigada, porque detesto o idioma) para o teste no mestrado e também para ler obras no idioma, como essa, porque sou apaixonada por fantasia e essa sendo ambientada em um época bem obscura da nossa existência me atrai demais.

    Beijos

    ResponderEliminar



Subir