(Review 352) - A menina na torre (Winternight Trilogy #2)

em 19 de mayo de 2020

Título original: The girl in the tower
Autor: Katherine Arden
Editora: Fábrica 231- Rocco  (Brasil) / Penguim Random House (EUA) / Nocturna Ediciones (Espanha)
Páginas: 320
Série: Winternight
           1. O urso e o rouxinol (The Bear and the nightingale) 
           2. A menina na torre (The girl in the tower) 
           3. The winter of the witch
Ano de Publicação: 2017 (EUA) / 2019 (Brasil)
Gênero: Fantasia Juvenil
Valoração: 
Goodreads / Amazon / Skoob / Saraiva / Cultura  


Katherine Arden retorna aqui ao mesmo universo encantador e desafiador de "O Urso e o Rouxinol", o limite das terras selvagens russas em que o inverno parece ser eterno e as criaturas míticas dotadas de poderes mágicos interferem continuamente nos assuntos humanos. Quando isso acontece é quase sempre de modo danoso e inescapável, salvo para a jovem Vasilisa Petrovna, dotada da habilidade de ver e interagir com esses seres invisíveis, como Morozco, o demônio do gelo. 
Numa época sombria em que as mulheres não tinham liberdade e até mesmo as princesas viviam confinadas em torres que tanto podiam ser encaradas como palácios quanto prisões, Vasilisa se disfarça de menino sob o nome de Vasilii Petrovich, para escapar às acusações de feitiçaria e reatar o contato com a família. O problema é que essa impostura coloca em risco tanto o irmão, o monge Aleksandr Peresvet, quanto a irmã, a princesa Olga Vladimirovna, pois Dimitrii Ivanovich, o grão-príncipe de Moscou, jamais toleraria ser enganado por uma menina. Por sorte, Vasilisa tem um forte aliado, o garanhão Solovey, seu poderoso protetor, que não se cansa jamais de salvá-la das enrascadas em que ela se mete por sua própria conta, ou nas quais se vê envolvida pela astúcia de diversos inimigos, tanto humanos quanto sobrenaturais. 
A Menina na torre é uma obra de pura magia que cativa e encanta o leitor da primeira a última página, ao mesmo tempo que oferece uma visão panorâmica perfeita dos primeiros tempos da Rússia e daquela que viria a ser depois sua capital, Moscou. 



A menina na torre  é a segunda parte da trilogia Winternight, uma estória cheia de fantasia e misticismo, ambientada numa Rússia antiga e igualmente fascinante.

A primeira parte da trilogia, O Urso e o Rouxinol foi legalzinha, mas não conseguiu me ganhar completamente, e por conta disso, minhas expectativas diminuíram bastante quando comecei a ler essa segunda parte de trilogia. Conforme a estória de A Menina na Torre ia avançando, me via cada vez mais envolvida na narrativa misteriosa e cheia de charme de Katherine Arden que, nesta sequência, mostra uma evolução brutal em sua escrita e narrativa. A Menina na Torre tem mais encanto, mais força, mais ação e  mais surpresas do que seu livro anterior, e deixa um gostinho de quero mais pela terceira e última parte da trilogia.

Vasilisa Petrovna  teve que abandonar seu pequeno vilarejo, Lesnaya Zemlya, após os eventos trágicos que vivenciou. Seu apetite por liberdade se tornou maior, e agora a garota decidiu conhecer o mundo, ao lado de seu cavalo, Solovey. O problema é que numa Rússia medieval onde os costumes e as tradições são extremamente fortes, uma menina percorrendo florestas e vilas é escandaloso demais, e também perigoso. Por conta disso, Vasya é obrigada a se disfarçar de menino, e assim se torna Vasilii. Quando Vasya começa a adentrar lugares desconhecidos, ela se surpreende ao encontrar cada vez mais aldeias queimadas, morte e tristeza. Alguém está atacando as aldeias da Rússia, queimando tudo e levando embora as meninas. Do outro lado, em Moscou, o irmão de Vasya, Sasha  e o poderoso grão príncipe de Moscou, Dimitrii Ivanovich  também estão à caça dos bandidos que tem causado a desgraça às aldeias. E quando os caminhos de Vasya se cruzam com os de Sasha  e Dimitrii, a garota fará de tudo pra ajudar a caçar os malfeitores. Mas Vasya deve ocultar sua identidade do grão príncipe, já que uma donzela não pode fazer parte dos guerreiros da corte de Dimitrii. E, quando o grão príncipe e seus aliados se mostram cada vez mais espertos, Vasya vai precisar de uma boa dose de sorte e ajuda extra pra se livrar do peso de seu disfarce.

Minha opinião:

Vasilisa Petrovna volta aqui mais velha, mais madura também, igualmente inconsequente, embora aqui mais astuta e batalhadora do que no livro inicial. Eu amei essa evolução da personagem. Achei que ela voltou aqui melhor desenvolvida em sua personalidade, mais coerente em suas atitudes e muito mais carismática. 
Nesta segunda parte temos a personagem se fazendo passar por um menino, enquanto parte em busca  de sua liberdade, cavalgando seu cavalo mágico, Solovey, em uma Rússia cheia de perigos, feitiços, ameaças e brilho.

A Moscou apresentada por Arden é tão bela e tão ricamente descrita que fica fácil para o leitor se envolver completamente em sua ambientação e visualizar cada pequeno detalhe trazido por sua autora. Eu amei a mistura de fantasia com dados históricos e costumes locais, a cultura russa tão rica e cheia de fábulas se torna mais viva ainda nesta segunda parte e várias peças do quebra cabeças montado desde o primeiro livro começam a se tornar mais evidentes nesta segunda parte.

Temos a volta de personagens que ficaram num segundo plano na primeira parte: Olga Vladimirovna e Aleksandr Peresvet (Sasha), os irmãos de Vasya, que o leitor só conheceu superficialmente até então aqui voltam mais velhos também, e dá pra conhecer melhor cada um dos dois, entender suas personalidades e reações. Eu gostei bastante de Olga, ela é um oposto de sua irmã impetuosa Vasya, pois representa a mulher daquela sociedade, a bela princesa russa modesta, decente, devota, mas ainda assim forte e decidida, senhora de seu lar e zelosa de sua família. Sasha também foi um personagem incrível, bem construído, o monge que foge dos padrões pois é capaz de pregar religião e fé enquanto defende sua pátria com uma espada. Sasha é um herói além dos moldes e essa diferença que o marca faz a gente se encantar por ele.

Ainda assim, dentre todos, cabe destacar um novo personagem que se tornou meu favorito. O grão príncipe de Moscou, Dimitrii Ivanovich, que tem uma mente rápida, uma lingua afiada e um carisma inabalável. Vários momentos de Dimitrii me lembraram bastante do Nikolai, da trilogia Grisha, e isso me fez amar cada momento em que o personagem literalmente roubava a cena.

Outro ponto que fez A Menina na Torre uma estória superior ao seu livro anterior também é com certeza o vilão que se apresenta. Mais astuto, mais mordaz e com uma estória mais ricamente construída. Durante boa parte da estória permanece o mistério sobre quem é o grande vilão da trama, e quando sua identidade se revela, o leitor fica ansioso para conhecer suas motivações já que é um personagem que vai crescendo aos poucos ao longo da trama e que consegue se destacar positivamente ate o final.

O bacana é que o livro consegue encerrar parte do conflito criado, mas também deixa no ar novos mistérios e perguntas que surgem, fazendo o leitor aguardar ansioso pelo desfecho final, na terceira parte, quando tudo se conclui. 
Há romance também e eu gostei bastante de como tudo evoluí. O romance não ocupa espaço demais, consegue ser convincente e ganhar o leitor com momentos fofos e pouco exagerados. Bem sucinto e ao mesmo tempo ganha seu espaço na estória naturalmente, sem forçar a barra.

Concluindo...

Eu achei que A menina na torre  foi uma continuação mais bem escrita que sua primeira parte, com a dose certa de magia, romance, mistério e ação, tudo bem inteligado para transformar a estória em uma aventura incrível aos olhos do leitor. Vale a pena dar uma chance à esta trilogia fantástica, que foge do clichê apresentando personagens atípicos, uma estória sombria e envolvente, e uma ambientação apaixonante, que envolve o leitor por completo.

"Eu não sabia que era solitária até não estar mais sozinha".




" -Não posso viver - murmurou em seu ouvido. -Não se pode estar vivo e ser imortal. Mas quando o vento sopra, e a tempestade persiste pesada sobre o mundo, quando os homens morrem, estarei ali. Isso basta."



Continua em:


The Winter of The Witch
Katherine Arden nasceu em Austin, Texas, Katherine Arden passou um ano do ensino médio em Rennes, na França. Após ser aprovada para a Middlebury College em Vermont, ela adiou a inscrição por um ano para viver e estudar em Moscou. Na Middlebury, especializou-se em Literatura Francesa e Literatura Russa. Depois de formada, mudou-se para Maui, no Havaí e atualmente vive em Vermont. 

Web Page Oficial: http://katherinearden.com/

Twitter: Katherine Arden





Até a próxima, 


Ivy

9 comentarios:

  1. Oi, Ivy como vai? Achei esta capa muito bonita, muito embora inegavelmente discreta. Me parece um livro encantador e gostoso de ser desbravado. Que bom que houve evolução em relação ao livro anterior. Ótima resenha. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. Oi, Ivy!
    Eu não gostei muito da sinopse do primeiro livro, tanto que eu nem me interessei em ler, mas fiquei com dois pés atrás porque a capa é linda e a obra se passa na Rússia, que eu nunca li um livro especificamente de lá. Mas de modo geral ainda não me chamam atenção. Mas é ótimo que você tenha gostado, assim quem tem vontade de ler fica mais animado né?
    Beijo!
    https://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderEliminar
  3. Eu adoro ler fantasia e sempre gosto quando o autor mistura diferentes culturas na história. Nunca li nenhum livro que tenha referências envolvendo culturas da Rússia, mas fiquei curiosa com esse.

    Beijos

    Imersão Literária

    ResponderEliminar
  4. Oi, Ivy!

    A capa desse do primeiro livro são muito lindas! Confesso que a história em si não me atrai muito, mas é bom saber que esse segundo volume possui um desenvolvimento ainda melhor que o primeiro, é difícil encontrarmos isso, geralmente é o segundo que cai na maldição e é sempre o pior da trilogia hahaha ótima resenha!

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  5. Hola.
    Este libro lo voy a dejar pasar, no me llama mucho y ademas tengo demasiados pendientes y quiero centrarme en ellos. Gracias por la reseña.
    Nos leemos.

    ResponderEliminar
  6. Me gusta mucho la fantasía, me lo apunto. Me ha encantado tu blog, me quedo de seguidora y te invito a que te pases por el mío si te apetece (es Relatos y Más, es que aparecen dos en el perfil).
    Un abrazo.

    ResponderEliminar
  7. Oi Ivy, tudo bem?
    Eu não conhecia essa trilogia, mas fiquei muito curiosa a respeito lendo a sua resenha. Vou deixar anotada e quando possível irei comprar e conferir essa história que parece ótima.
    Bjus

    ResponderEliminar
  8. Olá, Ivy.
    Eu já tinha me interessado pelo primeiro livro, agora lendo a resenha do segundo então eu preciso hehe. É tão bom quando acontece isso, porque geralmente a gente espera que o segundo livro será apenas mediano e quando vem esse tipo de surpresa é maravilhoso.

    Prefácio

    ResponderEliminar
  9. Oi Ivy,

    Eu tenho curiosidade em ler o primeiro e fiquei bem feliz em saber que a sequencia consegue ser melhor que o anterior. Espero que o terceiro se mantenha assim.
    Vou colocar na lista de leitura, pois achei bem legal a ambientação.


    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderEliminar