(Review 354) - Destinos Divididos (Carve the mark #2)

em 23 de mayo de 2020

Título original: The Fates Divide
Autor: Veronica Roth
Editora: Rocco Jovens Leitores  (Brasil) / Katherine Tegen Books (EUA) / RBA Molino (Espanha)
Páginas: 448
Ano de Publicação: 2018 (EUA) / 2019 (Brasil)
Série: Crave a marca (Carve the mak)
           1. Crave a marca (Carve the mark) 
           2. Destinos divididos (Fates Divide)
Gênero: Ficção Científica Juvenil
Valoração: 
Goodreads / Amazon / Skoob / Saraiva / Cultura

O destino os uniu. E agora irá dividi-los.
As vidas de Cyra Noavek e Akos Kereseth são pautadas por suas fortunas, destinos que foram traçados nos dias de seus nascimentos. Não se pode escapar da fortuna, uma vez que ela está estabelecida. Akos está apaixonado por Cyra, apesar de isso ir contra a sua fortuna: ele deverá morrer a serviço da família de Cyra. E quando o pai de Cyra, Lazmet Noavek  - um tirano desalmado - recupera o trono de Shotet, Akos acredita que seu fim está próximo. Com Lazmet incendiando a mais bárbara guerra contra Thuvhe, Cyra e Akos querem pará-lo a todo custo. Para a garota, isso significa tirar a vida do homem que pode ser, ou não, seu pai. E para ele, significa dar sua própria vida. Nessa história brilhante, os dois vão descobrir como o destino age de formas mais inesperadas. A continuação do livro "Crave a marca", da autora best-seller de Divergente Veronica Roth, mostra como Cyra e Akos irão enfrentar seus destinos. Destinos divididos é uma rica história que fala em esperança e resiliência contada de quatro diferentes perspectivas. 



Destinos Divididos  é o desfecho da bilogia Crave a marca, um sci-fi todo diferentão que apresenta personagens incomuns e uma trama pra lá de complexa, que faz a bilogia de Veronica Roth ser ora fascinante, ora confusa para o leitor.

Minha opinião:

Apresentando um universo vasto e complicado, onde planetas disputam interesses e fazem alianças estratégicas, Destinos Divididos consegue se apresentar como uma continuação interessante e bem escrita. É uma bilogia diferente de tudo o que já li, a autora conseguiu imergir os leitores em novas culturas, novos mundos e sociedades opostas que colidem entre si sem tornar a estória um emaranhado sem nenhum sentido. Na verdade, achei que Roth conseguiu manter bem a proposta, sem perder o fio e, nesta segunda parte, apresenta um novo vilão bem cheio de mistério e carregado de uma crueldade realista que convence o leitor.

Os protagonistas, tanto a Cyra Noavek quanto seu par, Akos Kereseth, não exalam muito carisma, mas isso não foi um impedimento para que eu curtisse a trajetória de ambos. O Akos evoluíu bastante e aqui se torna mais sofrido, mais duro e é obrigado a fazer suas escolhas mais brutais. A Cyra que se apresentou como implacável na primeira parte retorna dessa maneira, porém em certos momentos também surpreende o leitor apresentando um lado mais suave que encaixa bem em seu perfil, sem contradizer a imagem selvagem que caracterizou a personagem durante a trama. 

Assim como a trama é complexa e cheia de detalhes, Destinos divididos também apresenta um rol enorme de personagens secundários, alguns com mais destaque e relevância, outros nem tanto. Achei bacana ver como a autora conseguiu usar personagens inesperados para conduzir reviravoltas na trama. Aqueles que eu esperava que fossem aparecer muito e ganhar importância acabaram sendo previsíveis. Já outros, que nem imaginava que fossem tornar em aparecer, voltam em algum momento mais fortes e com alguma carta na manga que sacode a estória. Essa imprevisibilidade se mantém sempre e o leitor se pega devorando páginas tentando desvendar os próximos passos da autora. São tantos elementos surpresa na trama que preciso ressaltar isso como o ponto mais forte, além do universo peculiar. Certamente, o perfil duvidoso dos personagens torna a estória cheia de possibilidades e a inserção de novos planetas e novos fatos faz tudo mudar constantemente.

Destinos Divididos é uma das bilogias mais criativas e inovadoras que já li. Desde o universo criado até a personalidade de seus personagens, tudo foge à regra e parece desafiar o leitor. Ainda assim, às vezes a trama se torna maçante e a narrativa perde o interesse, apresentando mil fatos, mas deixando em segundo plano os momentos mais intensos, necessários em estórias como essa.

Concluindo...

Pra quem se desapontou com Veronica Roth depois do final da trilogia Divergente, acredito que  a bilogia Crave a marca é uma boa chance de se reconciliar com a escrita da autora. Versátil, traz uma dupla de protagonistas com potencial, que saem do clichê de sempre e nos apresenta uma trama regular que empolga em muitos momentos, mas tropeça em outros tantos por ser complexa demais (ao ponto de tornar-se cansativa às vezes). Ainda assim, pra se aventurar no universo da ficção científica juvenil, Crave a marca é uma bilogia recomendável, já que apresenta elementos interessantes e a narrativa de Roth, fluída, consegue também causar surpresa e espanto nos momentos cruciais da trama, ao nos conduzir à reviravoltas mais duras e inesperadas (algo já característico no estilo da autora). 

"Eu queria lutar. Lutar era algo que eu conseguia fazer, algo que eu fora treinada para fazer sempre que as coisas se tornavam difíceis. Era o que me mantinha a salvo; não a fuga, pois quando consegui evitar as coisas que me magoavam? Não, não era fingir que não seria derrubada que me protegeria, mas a certeza de que me levantaria tantas vezes quanto fosse necessário. "




"Não tinha medo de ninguém, não mais. Era o que fazia de mim uma Noavek - não que eu fosse tão poderosa que não pudesse ser ameaçada, mas já havia sobrevivido a horrores o suficiente, a dores o suficiente para me acostumar com a inevitabilidade dos dois. Mas eu era poderosa, disso eu sabia". 

Veronica Anne Roth nasceu na cidade de Nova York, nos Estados Unidos,  em Agosto de 1989. Devido à sua paixão pela escrita, e também incentivada por sua família, ingressou na Universidade de Northwestern para estudar Escrita Criativa. Foi nessa época que Veronica decidiu começar a trabalhar no primeiro esboço de Divergente - trilogia de livrosque a tornou mundialmente conhecida. Com apenas 27 anos, Veronica entrou para a lista dos autores mais lucrativos do mundo, feita pela revista Forbes. Roth é a autora mais jovem a entrar neste ranking, sendo considerada uma das melhores autoras para o público jovem-adulto da atualidade.
"Crave a marca" é sua mais recente bilogia de ficção científica.


Web Page Oficial: https://veronicarothbooks.com/






Até a próxima, 


Ivy

7 comentarios:

  1. Oi, Ivy como vai? Eu já li outros livros da autora que não me agradaram como eu esperava, embora muito bem escrito não funcionou para mim. Tenho interesse em ler este livro por eu gostar bastante do gênero, mas sabendo de antemão que posso me frustrar novamente, ou ser surpreendido positivamente. Se eu o ler posso esperar as duas opções. Ao ler sua resenha me deu vontade de lê-los e quem sabe ser surpreendido de maneira agradável. Sua resenha ficou incrível, parabéns. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. Oi Ivy
    Crave a marca eu já conhecia, aliás só de nome, porque eu não sabia bem do que era a história, mas me interessei pela resenha do segundo. Só que como é meio confuso, fiquei com um pé atrás porque eu acho que se a autora não ambienta ou desenvolve o cenário bem, a gente termina sem entender muito do que ela criou, e não pode aproveitar toda a magnitude da coisa. Mas é uma boa para deixar na lista.
    Beijo!
    https://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderEliminar
  3. Ainda não li nada da autora, acredita? Mas pretendo ler em breve. Conheço atenção a trilogia Divergente, dela. Também conheço o primeiro volume desse livro da resenha, porém desanimei para ler quando vi várias pessoas que conheço não gostarem. Mas quem sabe eu leia no futuro...

    Beijos

    Imersão Literária

    ResponderEliminar
  4. Olá, Ivy.
    Esses dias quase li Crave a Marca. Eu precisava de um livro do gênero para o desafio que estou participando, mas acabei escolhendo Warcross que gosto mais da escrita da Marie do que da Veronica hehe. Mas ainda vou ler eles.

    Prefácio

    ResponderEliminar
  5. Oi Ivy! Eu quero muito ler este livro, já que gostei bastante do primeiro. O bom é que são apenas dois e pelo visto o final é bom.Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderEliminar
  6. Olá,
    A autora parece curtir este tom mais complicado, para o estilo, nós livros dela né. Até hoje não li o famosinho pq só as resenhas me deixavam confusa kkkk
    Esse aí só tenho o primeiro no Kindle, até fiquei curiosa, mas vou sem muita sede.
    Adorei sua sinceridade.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderEliminar
  7. Oi Ivy,

    Eu confesso que estou com receio de ler, já que Divergente e eu não nos demos bem.
    Mas lendo sua resenha fiquei curiosa confesso.
    Vou ver se dou uma chance ao primeiro livro.

    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderEliminar