(Review 359) - Um tom mais escuro de magia (Tons de magia #1)

em 2 de junio de 2020

Título original: A darker shade of magic
Autor: V. E. Schwab
Editora: Editora Record (Brasil) / Titan Books (USA) / Destino (Espanha)
Páginas: 415
Ano de Publicação: 2015 (EUA) / 2016 (Brasil) 
Gênero: Fantasia Juvenil
Saga: Os Tons de Magia (Shades of Magic)
1. Um tom mais escuro de magia (A darker shade of magic) 
2. Um encontro de sombras (A gathering of shadows)
3. A conjuring of light
Valoração: 
Goodreads / Amazon / Skoob / Saraiva / Cultura


Kell é um dos últimos viajantes - magos com uma habilidade rara e cobiçada de viajar entre universos paralelos conectados por uma cidade mágica. Existe a Londres Cinza, suja e enfadonha, sem magia alguma e com um rei louco - George III. A Londres Vermelha, onde vida e magia são reverenciadas, e onde Kell foi criado ao lado de Rhy Maresh, o boêmio herdeiro de um império próspero. A Londres Branca: um lugar onde se luta para controlar a magia, e onde a magia reage, drenando a cidade até os ossos. E era uma vez... a Londres Negra. Mas ninguém mais fala sobre ela. Oficialmente, Kell é o viajante vermelho, embaixador do império Maresh, encarregado das correspondências mensais entre a realeza de cada Londres. Extra-oficialmente, Kell é um contrabandista, atendendo pessoas dispostas a pagar por mínimos vislumbres de um mundo que nucna verão. É um hobby desafiador com consequências perigosas que Kell agora conhecerá de perto. Fugindo para a Londres Cinza, Kell esbarra com Delilah Bard, uma ladra com grandes aspirações. Primeiro ela o assalta, depois o salva de um inimigo mortal e finalmente obriga Kell a levá-la para outro mundo a fim de experimentar uma aventura de verdade. Magia perigosa está à solta e a traição espreita em cada esquina. Para salvar todos os mundos, Kell e Lila primeiro precisam permanecer vivos. 



Victoria Schwab foi uma descoberta para mim desde Vilão. Aquele livro despertou meu interesse nas estórias diferentes e criativas que a popular Schwab publica. A trilogia Tons de Magia prometia exatamente os mesmos elementos que me chamam a atenção ultimamente: uma trama criativa, diferente e bem elaborada, personagens peculiares e detalhes para prender o leitor.
Um tom mais escuro de magia, a primeira parte da trilogia, foi exatamente tudo o que pensei que fosse e conseguiu me impressionar por seu brilho e originalidade.

A trama vem ambientada em uma única cidade: Londres. Porém, através de Kell, um poderoso Antari, uma espécie de mago com poderes de viajar a outras dimensões, o leitor tem a oportunidade de conhecer as três versões distintas da cidade de Londres. 
Há a Londres Vermelha, que é o lar de Kell, um lugar próspero, onde a magia impera em harmonia com seus habitantes. Temos a Londres Branca, onde a magia é disputada e dominada, um lugar cercado pela violência e pela falta de escrúpulos. E finalmente temos a Londres Cinza, lar da ladra Lila Bard, uma cidade onde a magia simplesmente já não existe e seus habitantes desconhecem essa fonte de poder. Há também a misteriosa Londres Negra, um lugar que teria sido isolado pelas outras Londres ao ter sucumbido completamente à magia e ter se tornado inabitável.
Kell é um dos últimos Antari com poder de viajar entre essas três dimensões possíveis: a Cinza, a Branca e a Vermelha. Apenas ele e Holland, um Antari da Londres Branca são capazes disso. E apesar de Kell ser uma espécie de embaixador da Londres Vermelha diante das outras Londres, ele também acaba sucumbindo a uma de suas fraquezas: Kell gosta de coletar objetos e costuma contrabandear muitos deles entre as Londres. Até que um dia um estranho objeto entra em seu caminho, um artefato da temida Londres Negra, um objeto capaz de outorgar um grande poder a quem o possuí, ao mesmo tempo que parece tragar a essência de quem o utiliza. Kell sabe que precisa se desfazer daquela pedra o quanto antes, mas quando a astuta ladra Lila Bard rouba justamente esse artefato, Kell terá que caçá-la para conseguir de volta. Acontece que Lila é mais esperta do que poderia supor, e quando Lila salva Kell da morte,  eles sabem que seus caminhos estão entrelaçados e juntos decidem desfazer a pedra mágica. De Londres a Londres, essa dupla improvável tenta deter inimigos poderosos, com sede de magia, que ameaçam romper o frágil equilíbrio entre as Londres e também acabar com as vidas de Kell e Lila.

Minha opinião:

Apesar de num contexto geral eu ter realmente gostado do livro, não dá nem pra negar que o começo dele foi estranho e cansativo para mim. Eu não conseguia visualizar toda a trama, demorei para conectar com Kell e achei a narrativa arrastada durante muitos dos primeiros capítulos. Pensei até em dar um tempo e prosseguir com a leitura dele mais adiante. Mas depois resolvi insistir, e lá pra metade do livro finalmente a trama começou a fluir para mim, a ação fica mais presente, os personagens se tornam mais ativos e nasce uma química bacana e verdadeira entre Lila e Kell.
O começo morno era necessário. Schwab precisa situar o leitor, apresentar as três versões de Londres e suas características tão diferentes, e também nos apresentar a Kell e seus poderes. 
Esse foi um livro construído nos detalhes, e é nos detalhes que reside o charme da trama. Schwab conseguiu criar uma estória bastante única, rica em sua ambientação, e a trama, embora seja juvenil, é mais madura.

Red London, Grey London | Dark shades, Magic tumblrOs diálogos entre os personagens são bem elaborados, a interação entre os protagonistas é crível, Lila e Kell a princípio se tornam aliados por acaso, mas com o passar das páginas o leitor testemunha a cumplicidade e a empatia que os personagens vão tendo entre si. Ambos evoluem muito. Kell não era carismático para mim de início, mas aos poucos fui me acostumando a sua maneira de ser e achei o personagem bem completo. 
Lila é astuta, atrevida, inconsequente e impulsiva, ela possuí características que agradam o leitor, e ainda que esse personagem da ladra ardilosa e perspicaz já tenha se tornado corriqueiro na literatura fantástica, achei Lila um personagem de grande empatia, e gostei muito de cada um de seus capítulos, desde o início quando é apresentada. 
Algo que achei meio vago nesta primeira parte foram seus vilões. Temos bons vilões, eles são poderosos, cruéis e jogam sujo, mas algo não me convenceu completamente. As motivações dos vilões são bem elaboradas por Schwab, as crueldades e a presença forte deles marca o tom a partir da segunda metade, mas eu não consegui realmente crer nesses vilões. 

Por outro lado, os secundários marcam a diferença e trazem um plus a mais na estória. O príncipe Rhy Maresh  é todo sedutor, charmoso, um personagem interessante mesmo aparecendo pouco. Holland, o outro Antari, é fundamental em vários momentos, e trouxe tensão extra. Era tão difícil decifrar Holland e ao mesmo tempo, a gente se sente incapaz de julgá-lo porque são várias as razões ocultas que o movem nesse mundo sem escrúpulos apresentando por Schwab.

As diferentes Londres idealizadas pela autora são incríveis. Schwab consegue fazer a gente acreditar naquelas três versões de uma mesma Londres, ao mesmo tempo em que somos perfeitamente conscientes do quanto são diferentes entre si, a maneira como tudo vai sendo apresentando ao leitor é certeira e tão sucinta que a gente se envolve por completo naquele universo de poder, magia, cores e incertezas.

Embora seja uma trilogia, a autora nos presenteia com um final fechadinho. Eu gostei bastante do final, a autora soube encerrar com perfeição todo o conflito criado ao longo das páginas e ainda conseguiu lançar algumas novas curiosidades sobre Rhy, Kell e principalmente Lila, que me deixaram na expectativa para saber o que será desses personagens nas próximas continuações.

O livro é tão gostosinho de seguir lendo que, mesmo com o final fechado, a gente fica querendo mais deste universo mágico e de seus personagens.

Concluindo...

Um tom mais escuro de magia  tem tudo o que um leitor de fantasia pode querer. Os personagens são extremamente bem construídos, o universo mágico apresentando pela autora é diferente e arrebatador, e a trama, que começa devagar, vai ganhando força ao longo dos capítulos até se tornar uma tremenda estória, cheia de detalhes que captam por completo a atenção dos leitores. 

" - A morte chega para todos - disse ela simplesmente. - Não tenho medo de morrer. Mas tenho medo de morrer aqui. - Ela fez um gesto indicando o quarto, a taverna, a cidade. - Prefiro morrer numa aventura a viver sem ter feito nada. "



" Então se levantaram, nenhum dos dois desejando se afastar ainda, e Kell olhou para Delilah Bard, assassina e ladra, parceira valente e uma garota estranha e assustadora."

Continua em...

Um Encontro de Sombras
Victoria Schwab ou V.E. SCHWAB é autora best-seller de livros como A Guardiã de Histórias, A Guardiã dos Vazios, Um Tom Mais Escuro de Magia e Um Encontro de Sombras. Vilão foi vencedor dos prêmios Publishers Weekly Best Book of 2013, Amazon Best Book of the Year e Amazon Best Book of the Month. Quando não está passeando pelas colinas da Escócia ou pelas ruas de Paris, é possível encontrá-la num café em Nashville, sonhando com monstros.

Web Page Oficial: https://www.veschwab.com/

Twitter: Victoria Schwab





Até a próxima, 

Ivy

15 comentarios:

  1. Oi, Ivy
    Se você achou isso do primeiro livro, pode saber que no segundo é pior. Sempre comento que a narrativa inicial da Schwab é bem arrastada, ela gosta de trazer mais agilidade e ação pro final, mas eu mesma assim gosto muito das obras dela. Essa é uma fantasia favorita da vida e eu não vejo a hora de ler o próximo.
    Beijo!
    https://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderEliminar
  2. Oi Ivy! Eu achei a história legal, mas não é a minha série preferida da autora, embora o universo dela seja muito bem feito. Eu preciso ler o segundo livro, pois o final deste me deixou intrigada. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderEliminar
  3. Oii ivy gostei bastante da história.

    Segredosdamarii.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. Olá...
    Essa autora ´´e simplesmente MARAVILHOSA! Já li esse livro e amei demais, agora preciso urgentemente de ler sua sequencia.
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  5. Oi, Ivy!
    Sempre quis ler algo da autora, mas ainda não tive a oportunidade :/
    É horrível quando a leitura não anda né? Mas que bom que ela desenrola depois!
    Achei a premissa bem interessante :D

    Estante Bibliográfica

    ResponderEliminar
  6. Apesar da resenha ter ficado interessante, o livro não me desperta interesse, na verdade o entretenimento juvenil me desperta raro interesse, mas assim que tiver oportunidade, quero ler.

    ResponderEliminar
  7. Ai eu amo tanto essa fantasia que nem sei!!!! Meu filho Kel é maravilhoso em todos os sentidos!
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderEliminar
  8. Oi Ivy, tudo bem?
    Eu sempre sinto essa dificuldade que você relatou com primeiros livros de qualquer série. É algo que até tem me desestimulado de ler séries no geral, preferindo livros únicos. Mas esse parece muito legal, gostei dos elementos e da premissa.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderEliminar
  9. Oi Ivy,

    Eu também conheci a escrita da autora pelo livro Vilão que alias esta demorando para sair a continuação por aqui rs.
    Esse está na minha lista de leitura e já até tenho ele no Kindle, mas não me aventurei ainda. Sinto que vou curtir a história como você.

    Bjs
    http://diarioelivros.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  10. Olá, Ivy.
    Diferente de você eu já gostei do livro desde o começo. Não achei ele cansativo não. Eu estava com medo de não entender direito isso das Londres mas acabou que entendi tudo direitinho hehe. Só não li o segundo ainda porque estou esperando lançar o terceiro hehe.

    Prefácio

    ResponderEliminar
  11. Oi Ivy!
    Eu ouço todo mundo falar tão, mas tão bem dessa autora que as minhas expectativas são altíssimas. E fora que eu também tenho muito interesse em conhecer essa história em específico também.
    www.osdeliriosliterariosdelex.com.br

    ResponderEliminar
  12. Oi Ivy!
    Eu amei demais esse primeiro volume! Ele foi tudo o que eu queria em uma fantasia. Lilah e Kel são maravilhosos e a quimica é inegavel <3 Os livros da Victoria sempre me ganham. Esperando Record lançar o ultimo pra finalmente poder ler o 2.

    Abraços
    Emerson
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  13. Oi Ivy.

    Eu desejo demais começar essa série, pois leio elogios e a escrita da autora parece ser criativa. Vou terminar pelo menos uma série para começar essa série. Parabéns pela resenha.

    Bjos

    ResponderEliminar
  14. Gosto muito do gênero de leitura, adorei sua resenha e opinião sobre a obra, faz um tempinho já que estou querendo os livros mais ainda não tive chance de comprar!

    ResponderEliminar
  15. Oi, tudo bem?
    Eu amo tanto esse livro que nem sei explicar. Confesso que isso até me atrapalhou um pouco quando fui ler Vilão, porque estava com uma expectativa muito alta e não achei tão bom se comparado com Um tom mais escuro de magia. Mas, falando sobre esse livro, ao contrário de você, eu me envolvi com a leitura rapidamente e fiquei completamente cativada pelos personagens. E o universo que a autora cria é muito rico né? Amei as 4 versões diferentes de Londres e como a magia funciona nesse universo. Amei sua resenha e espero que você continue lendo a série. O segundo é muito melhor e o final me deixou desesperada pela continuação.
    Beijos!

    ResponderEliminar