(Review 380) - O Homem-Sussurro - Alex North - De repente, no último livro

20 de agosto de 2020

(Review 380) - O Homem-Sussurro - Alex North

Título original: The Whisper Man
Autor: Alex North
Editora: Editora Record (Brasil) / Celadon Books (EUA) 
Páginas: 420
Ano de Publicação: 2019 (EUA) / 2019 (Brasil)
Gênero: Thriller / Suspense
Valoração: 
Goodreads / Amazon / Skoob

"Se a porta aberta você deixar, o sussurro por ela vai entrar." 


Ainda arrasado após a perda da esposa, Tom Kennedy se muda com o o filho Jake para o pacato vilarejo de Featherbank, em busca de um recomeço mais do que necessário. Mas Featherbank tem um passado tenebroso. Vinte anos antes, um pervertido assassino em série sequestrou e matou cinco meninos. Até finalmente ser pego. O assassino era conhecido como "O Homem-Sussurro". Claro, um crime tão antigo não deveria incomodar Tom e Jake, que pretendem tão somente se estabelecer na casa nova. Só que agora outro garoto desapareceu. E depois, Jake começa a agir de modo estranho. Ele diz que ouve um sussurro na janela...


O Homem-Sussurro  é um suspense psicológico que me prendeu desde os primeiros capítulos. O livro é cheio de quebra cabeças e momentos pra lá de tensos e faz a gente pensar e se arrepiar com cada reviravolta lançada pelo autor.


A trama começa com Tom Kennedy, um jovem escritor que recentemente perdeu a esposa, Rebecca, vítima de um ataque cardíaco fulminante. Do casamento feliz ficou Jake, um garoto de sete anos solitário, sensível e incompreendido. Viver na mesma casa acaba se tornando um martírio para pai e filho com tantas lembranças de Rebecca e por conta disso Tom decide fazer uma mudança radical na vida dos dois. Mudar de cidade, para recomeçar de todas as maneiras.


Featherbank é praticamente um vilarejo, de tão pequena e pacata que é. Se trama de uma cidadezinha onde quase nada acontece, mas há vinte anos uma série de crimes abalou a memória de seus moradores, especialmente do detetive Pete Willis, um policial já na meia idade, que ainda nos dias atuais relembra com dor a incapacidade  que sente por não ter descoberto até hoje a localização de um garoto desaparecido, Tony Smith, a última das quatro vítimas de Frank Carter, o "Homem-Sussurro".

Pete sabe que o perigo acabou, Carter estará preso pelo resto de seus dias, mas a recusa do assassino em revelar a localização do cadáver da criança sempre deixou em Pete um vazio, a sensação de que o caso nunca foi verdadeiramente finalizado. Após todos estes anos, uma outra criança novamente desapareceu em Featherbank. Neil Spencer  tem a mesma idade das vítimas de vinte anos atrás. Ele sumiu sem deixar rastros. E antes disso ele revelou à sua mãe que alguém falava com ele, sussurrando.

Quando Jake começa a alegar que também vê e escuta coisas, Tom não sabe mais o que é real do que não é. Ele sabe que outro garoto está desaparecido, e que Jake, sempre tão introvertido, pode se tornar um alvo fácil, mas quando Jake confessa que também ouve sussurros, o perigo só aumenta. Amanda, a detetive que divide o caso com Pete está disposta a parar esse novo psicopata de uma vez, como Pete conseguiu vinte anos atrás. Mas será que ainda há tempo para salvar Neil Spencer? E quanto a Jake, poderá ele escapar das garras desse assassino que parece estar sempre um passo adiante? Ou será que os sussurros e as ameaças são apenas fruto da imaginação de um garotinho assustado e ainda em luto?


Minha opinião:


O bacana deste livro é que ele não tem um protagonista absoluto. Todos os personagens são fundamentais e todos ganham seu destaque. Ao mesmo tempo, fica no ar a sensação de que qualquer um poderá ser a próxima vítima ou até mesmo o grande culpado. 

Eu achei essa trama incrível. A escrita do Alex North é sombria e muito envolvente, a trama parece uma mistura de "O Sexto Sentido" com "O Iluminado" e cada detalhe vai se tornando aos poucos cada vez mais apavorante. Foi de arrepiar como uma premissa que poderia ter sido mais comum foi se tornando bem única e original ao longo de cada capítulo, e outro detalhe que ganha o leitor é que as emoções e sustos não param de acontecer. North não reserva o maior impacto apenas para o final, mas ele permite que possamos ir descobrindo pequenas peças aos poucos, conforme os capítulos avançam o quebra cabeças que ele vai montando apresenta tantas probabilidades que é bem difícil ter apenas um suspeito.

Eu praticamente cheguei a desconfiar de todos os personagens, e o final foi uma cartada de mestre. Foi inteligente, foi brilhante e foi completinho, fechando todas as muitas pontas soltas que a trama apresentou. 


A narrativa está na terceira pessoa e em cada capítulo foca em um personagem, o que nos permite conhecer praticamente todos os de importância e ter uma visão bem geral e imparcial de tudo o que vai acontecendo. A narrativa é simples, direta, firme e carregada de um tom bem sombrio, e foi possível até visualizar cada personagem, cada situação, de tão imersa que fiquei nessa trama. 


Um dos pontos que vale a pena comentar também é a ambientação. A cidadezinha de Featherbank consegue se apresentar como um lugar pacato que aos poucos vai ganhando um contorno bem mais macabro. Nada é o que parece. E embora tenhamos poucas descrições da cidade em si, os cenários principais onde as coisas acontecem estão bem detalhados, e cada detalhe tem a sua importância. 


O que mais aprecio neste livro foi notar que o final manteve o mesmo ritmo da leitura. Sem pressa, o autor vai apresentando um finalzinho bem coerente e angustiante, que faz a gente roer as unhas em antecipação ao que está por vir. North me enganou direitinho e conseguiu ir além das possibilidades com este final. Fiquei bem satisfeita com o desfecho e me vi super envolvida praticamente devorando cada página, para não perder nada. O Homem-Sussurro faz a gente sentir um pouquinho de medo, angústia, indignação e por fim bastante tensão, sempre temendo pelos personagens.


Em suspenses é bem difícil para mim me afeiçoar aos personagens e sofrer por eles. Os personagens de livros de suspense tendem a agir de maneira mais fria, impessoal e suspeita, e por isso mesmo a gente fica no receio de se apegar, mas aqui os personagens são tão variados e complexos que a gente acaba torcendo por alguns.



Pete é um detetive incrível, mas luta contra o alcoolismo que destruiu sua família e o tornou um homem solitário. Eu adorei o Pete porque ele não é nenhum grande herói invencível, ele se martiriza bastante por não ter encontrado o cadáver do garotinho de vinte anos atrás e a vitória dele prendendo o Homem-Sussurro sempre teve um sabor meio agridoce para Pete por conta disso. O Pete foi meu personagem favorito porque ele é cheio de sentimentos e de conflitos internos, e ele luta o tempo inteiro para não se render aos seus vícios, ao mesmo tempo em que ele é brilhante investigando. Enfim, achei o personagem super interessante e fora do comum.


O Tom também me surpreendeu. Ele, em princípio parece um cara reduzido ao luto e bem confuso porque não consegue entender o Jake. Tom se sente muito frustrado e para o leitor fica bem nítida essa frustração. Mas o bacana é que apesar de não entender o Jake, ele ama o filho incondicionalmente e isso fica bem nítido ao leitor. Tom é muito humano, e falho também, e isso nos faz gostar dele.


Temos também o Jake, que é um garotinho super maduro mas ao mesmo tempo se comporta de maneira coerente para uma criança de sete anos. Jake sente medo, reage de maneira emocional e parece perceber coisas que os adultos não entendem. Jake deu um nó na minha cabeça porque a gente fica na dúvida se ele tem algum trauma que o faz ver coisas, se o que ele vê é real ou se a trama vai ganhar contornos paranormais. Jake foi um personagem bem incrível, eu gostei bastante dele e de sua construção e evolução.


Há vários outros personagens que vão tendo destaque na trama, como a Amanda, que é a outra detetive do caso. No começo a gente conhece pouco da Amanda e ela é apresentada como uma policial ambiciosa, preparada para subir na carreira. Mas conforme o caso vai ficando mais emocional, Amanda vai mostrando outros traços de seu caráter, um lado mais feroz e determinado, um lado mais cheio de paixão e sede de justiça. Ela passa por uma metamorfose bem interesse na trama, e isso reflete na sua interação com o Pete, que se inicia com Amanda se sentindo desconfiada, até mesmo competitiva, e aos poucos vai evoluindo para uma relação de camaradagem e companheirismo. 


Os outros personagens secundários também se destacam em seus momentos cruciais, incluindo os suspeitos que vão passando pela trama para deixar aquele sementinha de dúvida no leitor, e todos foram extremamente bem construídos, conseguindo despertar em mim muita suspeita e dúvida.


Concluindo...

** O que eu gostei:


⇒ Personagens complexos e bem caracterizados

⇒ Suspense envolvente

⇒ Cenas bem assustadoras

⇒ Um final inesperado

⇒ Escrita ágil e fluída

⇒ Ambientação convincente


** O que eu não gostei:


⇒ Fiquei sem entender alguns pequenos detalhes que ficaram em aberto, mas nada que atrapalhe o brilhantismo da trama. 

"O medo era grande demais. Se ele estivesse dormindo, o medo já o teria despertado. Ele se lembrou de ter ouvido falar do homem que raptara Neil Spencer, e então se perguntou se aquilo não seria um pesadelo, no fim das contas, só que do tipo do qual não se consegue acordar. O mundo estava cheio de homens perversos. Cheio de sonhos ruins que não aconteciam apenas quando a pessoa dormia."



"Pete tinha visto inúmeros esqueletos ao longo dos anos. De certo modo, era mais fácil encarar esqueletos do que cadáveres de vítimas recentes, que pareciam seres humanos, mas que, em sua imobilidade sepulcral, não eram. Já um esqueleto era algo distanciado da experiência cotidiana que podia ser visto com menos emoção. No entanto, a realidade sempre calava fundo: o fato de que as pessoas morrem e, em relativamente pouco tempo, ficam reduzidas a ossos que jazem imóveis onde forem deixados."

Alex North é o pseudônimo de um conhecido autor inglês.
Estudou Filosofia na Universidade de Leeds, onde depois trabalhou no departamento de Sociologia, antes de se tornar escritor. Vive em Leeds, no norte de Inglaterra, com a mulher e o filho.
O Homem-Sussurro, o primeiro thriller que escreveu sob este pseudônimo, foi um verdadeiro êxito internacional, tendo os seus direitos vendidos para mais de 20 países.






Até a próxima, 

Ivy

12 comentarios:

  1. Oi Ivy, esse não é meu estilo de livro, mas confesso que fiquei curiosa com a sua resenha, a capa também me chama muito a atenção, gostaria de ler um dia!

    Beijos Mila

    Daily of Books Mila

    ResponderBorrar
  2. Oi, Ivy!

    Esse livro me lembrou um pouco "o menino que desenhava monstros", já que só o garoto jovem via o monstro também. Esse é mais puxado pro terror, já o homem sussurro é pro suspense mas deixa também aquela suspeita envolvendo Jake. Fiquei mesmo muito curiosa em conferir o livro!! Resumindo, Tom não escolheu uma boa cidade pra se mudar né hahaha

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderBorrar
  3. Olá, Ivy.
    Eu vi bastante gente falando sobre esse livro na época do lançamento e fiquei interessada nele. Mas a sua é a primeira resenha que leio dele. Adoro quando desconfio de todos os personagens e com certeza essa leitura vai me agradar. Assim que der vou ler ele.

    Prefácio

    ResponderBorrar
  4. Oi, Ivy!
    Fiquei impactada com a premissa desse livro! Suspenses psicológicos são sempre leituras densas e repletas de surpresas, o que eu amo haha. Achei parecido com a trilogia Five Nights At Freddy's, por conta do sumiço de crianças e uma nova onda de crimes. É bem legal também, já leu?
    Vou salvar a dica ;)

    Estante Bibliográfica

    ResponderBorrar
  5. Lembro do lançamento desse livro, mas infelizmente não cheguei a ler. Ver agora sua resenha já me animou pra ler depois <3

    Abraço

    Imersão Literária

    ResponderBorrar
  6. Oi Ivy! Quero para já! Eu estava bem curiosa sobre a obra e queria conferir uma opinião e sua resenha me deixou muito animada. Amo um bom suspense. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderBorrar
  7. Oie, tudo bem?
    Ainda não conhecia, valeu pela dica!
    Blog Entrelinhas

    ResponderBorrar
  8. Lembro quando esse livro saiu, ele não fez tanto sucesso assim. Só deve ter sido lançado na época errada porque agora thriller está super em alta. Fiquei bem curiosa pra conferir
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderBorrar
  9. Oi, Ivy como vai? O livro parece-me maravilhosamente bem escrito e elaborado, embora eu não tenha o lido, já me interessei por lê-lo futuramente. Que bom que a leitura lhe agradou. Abraço!



    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderBorrar
  10. Oi Ivy,
    No final do ano passado, eu estava numa empolgação para ler thirllers que foi um atrás do outro e esse estava na minha lista para compra.
    Porém, como o preço estava um pouco salgadinho, eu acabei deixando passar, mas não posso desistir! Quero conferir essa história o mais breve possível!
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderBorrar
  11. Oi Ivy, tudo bem?
    Gostei tanto da premissa do livro e da resenha que já corri no Skoob pra salvar o nome do livro.
    Eu adoro thrillers e livros policiais, são meu tipo favorito de literatura. Saber que o enredo é bem desenvolvido e o final surpreende já foi suficiente pra me convencer hahahaha!
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderBorrar
  12. Oie,
    Não conhecia o livro, mas já fiquei curiosa para ler. Gosto de livros com este tipo de enredo.

    Beijinhos
    https://tecendoaliteratura.blogspot.com/

    ResponderBorrar



Subir