(Review 386) - A Rebelde do Deserto (Rebel of the sands #1) - Alwyn Hamilton - De repente, no último livro

20 de septiembre de 2020

(Review 386) - A Rebelde do Deserto (Rebel of the sands #1) - Alwyn Hamilton

Título original: Rebel of the Sands
Autor: Alwyn Hamilton
Editora: Seguinte (Brasil) / Viking Books for young readers (EUA)  / Destino (Espanha)
Páginas: 288
Ano de Publicação: 2016 (EUA)  / 2016 (Brasil)
Gênero: Fantasia Juvenil
Saga: Rebel of the sands
1. A Rebelde do deserto (Rebel of the sands) 
2. A traidora do trono (Traitor to the throne)
3. A heroína da alvorada (Hero at the fall)
Valoração: 
Goodreads / Amazon / Skoob

O deserto de Miraji é governado por mortais, mas criaturas míticas rondam as áreas mais  selvagens e remotas, e há boatos de que, em algum lugar, os djinnis ainda praticam magia. De toda maneira, para os humanos, o deserto é um lugar impiedoso, principalmente se você é pobre, órfão ou mulher. Amani Al´Hiza é as três coisas. Apesar de ser uma atiradora talentosa, dona de uma mira perfeita, ela não consegue escapar da Vila da Poeira, uma cidadezinha isolada que lhe oferece como futuro um casamento forçado e a vida submissa que virá depois dele. Para Amani, ir embora dali é mais do que um desejo - é uma necessidade. Mas ela nunca imaginou que fugiria galopando num cavalo mágico com o exército do sultão na sua cola, nem que um forasteiro misterioso seria responsável por revelar a ela o deserto que ela achava que conhecia e uma força que ela nem imaginava possuir. 
A rebelde do deserto   é a primeira parte de uma trilogia que ficou famosa no Brasil há alguns anos atrás e até hoje é um hype entre blogueiros e leitores no geral que curtem o gênero fantástico.

Ambientada na região de Miraji, uma nação que fica lá no meio do deserto, apresenta como protagonista Amani Al´Hiza, uma jovem que nasceu e cresceu em um povoado pequeno e limitado chamado Vila da Poeira e sonha em sair de lá para tentar a vida na grande capital, Izman. 
Quando o tio de Amani demonstra interesse em desposá-la, a jovem sabe que está na hora de fugir. E com as poucas economias que tem, Amani decide tentar a sorte em um campeonato de tiro. Ela é uma das melhores atiradoras de Vila da Poeira, mas por ser mulher, não pode realizar seu sonho de liberdade então se veste de menino para conseguir vencer o torneio. 
Lá conhece um forasteiro chamado Jin, um estrangeiro que levanta suspeitas, e logo Amani descobre que está sendo procurado por traição. 
Sem querer, Amani acaba se envolvendo em uma confusão e se vê obrigada a fugir sem sequer planejar direito, e com Jin como acompanhante.
Tendo como destino Izman, Amani e Jin devem cruzar o deserto fugindo de inimigos perigosos do governo do sultão, que querem matar Jin e agora Amani, que se vê enquadrada como cúmplice do garoto. Mas não são apenas os soldados mirajins que representam perigo no deserto. Nesta terra vasta e cheia de mistérios, Amani e Jin também devem enfrentar criaturas mágicas, dispostas a enganar e matar.

Miraji está às margens de uma revolução. O príncipe rebelde, Ahmed, reivindica o trono de seu pai, o sultão. Será o tal príncipe apenas uma lenda do deserto, ou uma pessoa tão real quanto a própria Amani? E quando a garota se vê envolvida nesta mesma revolução, poderá Amani escapar de tudo e seguir seu destino à Izman ou será que a garota terá que deixar tudo para trás em prol de uma nação mais justa e em busca dos segredos de um passado que ela achou que conhecia?

Minha opinião:

Eu gostei demais desse livro. Foi a estréia de Alwyn Hamilton e honestamente, achei que ela arrasou. 
A ambientação é maravilhosa, eu adoro livros ambientados no deserto, com toda aquela cultura envolvida. É interessante, e quando bem desenvolvido consegue ser inspirador para o leitor. Achei que Hamilton foi bastante promissora na ambientação dessa primeira parte, ela conseguiu trazer elementos fantásticos para o ambiente inóspito do deserto de uma maneira bastante harmoniosa. Tudo ali combinou bastante e ganhou sentido para mim. 

A Rebelde do Deserto desde o início já empolga porque além dessa ambientação envolvente, apresenta personagens intensos. A protagonista, Amani, é determinada, valente e dona de um espírito livre. O bacana é que Amani é coerente e realista, ela não é nenhuma mártir, foi capaz de deixar amigos e aliados para trás para salvar a própria pele, mete os pés pelas mãos mas também ganha a empatia do leitor porque é sonhadora, vivaz e cheia de brilho. Amani é um personagem bem elaborado, com um passado curioso que vai se desenrolando aos poucos na trama, e com um desenvolvimento bem cheio de potencial. Eu gostei bastante da Amani, foi uma protagonista fácil de entender e de simpatizar.

Um dos mocinhos da trama é o Jin, um forasteiro que desde o início a gente já sabe que é bem mais do que diz ser. Apesar de Jin não ter o carisma de Amani, achei que ele teve bons momentos, foi um parceiro de aventuras interessante de Amani. Faltou mostrar mais do personagem ao meu ver. Eu conheci Jin mas ao mesmo tempo senti que não sabia quase nada dele, ele é meio que uma incógnita até metade do livro e mesmo depois, ainda senti que falta muito para conhecer a essência desse personagem. Ele me intriga de certa maneira, mas ainda falta carisma à ele.

Aliás, o ponto negativo do livro fica justamente por conta do romance. Achei o romance chato, apressado e pouco convincente. Eu gostei dos dois personagens, mas como casal não conseguiu ganhar minha torcida, achei o romance sem sal e os sentimentos do casal ainda não me convencem simplesmente porque achei que tudo ocorre rápido demais, sem explicações e nem sentido para mim. 

Se o romance perde pontos, os personagens secundários mereciam 5 estrelas. Gostei demais de todos, tanto mocinhos quanto vilões, achei todos bem escritos, necessários e importantes, cada um adquire relevância conforme a trama avança e todos agregam algo interessante. Claro que meu crush nesta primeira parte tem que ser o lendário Ahmed, o príncipe rebelde misterioso que tem muito a dizer e mostrar. Desde o primeiro momento em que surge a lenda do príncipe rebelde fiquei bastante interessada em tudo referente à ele, e achei a construção desse personagem bem bacana, embora ainda falte elaborar mais um pouco suas intenções e personalidade. 
Outra que merece menção é Shazad, uma poderosa guerreira girl power que surge lá pela metade da trama e consegue ter uma evolução legal conforme a estória avança.

A parte fantástica me instigou e me prendeu. Eu gostei de conhecer a presença dos djinnis, demjis e tantas outras criaturas mágicas habitantes do deserto. As lendas e toda a mitologia ao redor são muito interessantes e bem originais, e o destaque que essa parte fantástica vai alcançando aos poucos na trama foi bem surpreendente, eu gostei dos rumos que a estória teve.

A escrita da Alwyn Hamilton é super rapidinha e fluída. A gente consegue ler sem nem sentir as páginas passando, e grande parte disso se deve à esta narrativa brilhante e cheia de adrenalina de Hamilton. Acontecem perseguições, tiros, batalhas, traições, revelações e reviravoltas em todos os capítulos, o ritmo nunca decai e a autora não deixa tudo acumular para o final, mas vai revelando aos pouquinhos, ao longo da leitura. Isso faz o livro todo ser uma grande surpresa atrás da outra, e foi bem legal encontrar esse ritmo ágil nesta primeira parte.

Essa primeira parte, aliás, é bem curtinha, são só 280 páginas, e talvez por ter optado por uma primeira parte mais enxuta, Alwyn Hamilton tenha acertado em cheio, já que não dá tempo da estória se tornar cansativa.

Concluindo...

Achei A rebelde do deserto   um início de saga bem empolgante. O romance foi bem mediano, raso até, mas outros detalhes fazem a trama merecer aplausos. A ambientação incrível de um deserto poderoso e mágico, os personagens cheios de determinação e os elementos fantásticos carregados de originalidade me conquistaram por completo e fiquei bastante entusiasmada para seguir acompanhando os próximos livros da trilogia.

"A atenção de todos estava fixa em Ahmed enquanto seu olhar alternava entre os três soldados. Talvez eles fugissem de Miraji em vez de retornar no sultão com a mensagem. Mas as histórias sempre davam um jeito de encontrar seu caminho no deserto. O sultão ouviria falar que o príncipe rebelde estivera sobre as cinzas da batalha de Fahali e que ameaçara seu governo."


"A noite e as cores e o riso e a sensação de força e a certeza no que estavam fazendo eram intoxicantes. Aquela revoluçâo era uma lenda em desenvolvimento. O tipo de história que tinha começado muito antes de mim e continuaria muito tempo depois. O tipo de épica que era contada várias vezes para explicar como o mundo nunca mais tinha sido o mesmo depois que aquele punhado de gente viveu, lutou, venceu ou morreu tentando. E depois que terminasse, a história de alguma forma pareceria inevitável. Como se o mundo estivesse esperando para ser mudado, precisando ser salvo, e os participantes daquela trama tivessem sido todos arrancados de suas vidas comuns e colocados exatamente no lugar onde precisavam estar, como peças em um tabuleiro, esperando para fazer a história acontecer. Mas a realidade era mais louca e aterrorizante e intoxicante, e mais incerta, do que eu imaginara. E eu poderia fazer parte daquilo."


Continua em:

A Traidora do Trono

Alwyn Hamilton nasceu em Toronto, no Canadá, e já morou na França e na Itália. Estudou história da arte no King's College, em Cambridge, e atualmente vive em Londres. Tem o hábito de comprar livros demais — péssimo para alguém que está sempre mudando de casa.

Twitter: Alwyn Hamilton

Instagram: Alwyn Hamilton






Até a próxima, 


Ivy

16 comentarios:

  1. Olá, Ivy.
    Eu amei esse livro. A trilogia toda na verdade. E os livros só melhoram. E diferente de você eu gostei do romance entre eles. E lendo sua resenha deu até vontade de reler os livros. Se prepare para o terceiro porque tem de tudo nele.

    Prefácio

    ResponderBorrar
  2. Oi, Ivy
    Eu ainda quero ler esse livro porque ele me lembrou em nada A fúria e a aurora, e como eu gostei desse, imagino que vou curtir esse. Quando o romance é sem sal fica difícil torcer pelo casal, mas ainda assim vou tentar (e eu crente que ia ter um triângulo amoroso). Estou ansiosa para começar a série!
    Beijo
    https://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderBorrar
  3. Oi, flor!!!
    Tenho muita vontade de ler esse livro, uma pena que a parte do romance não funcionou pra você, quero ler pra conhecer!!! Amei o post!

    Beijinhos 😗
    Thay - Sankas Books

    ResponderBorrar
  4. Particularmente não é uma história que me chame atenção, apesar das capas lindíssimas!!!!!
    Romance apressado não rola mesmo!
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderBorrar
  5. Oi, Ivy!
    Não sei se isso é uma regra geral, mas normalmente os romances não funcionam em narrativas fantásticas/fantasiosas. Acho que é porque as aventuras são muito mais interessantes e se destacam infinitamente mais haha.
    Adorei a resenha :D

    Estante Bibliográfica

    ResponderBorrar
  6. Ai, eu quero muito ler essa trilogia, dizem que ela é muito boa e nossa, eu concordo muito com você. Se tem uma coisa que eu odeio do fundo do meu coração é quando tem romance em livro de fantasia. Recentemente eu terminei um que o casal é simplesmente horrivel, sério, eles são completamente sem quimica, um horror.
    Mas mesmo assim quero ler e eu tô ansiosa pra saber sua opinião sobre os proximos livros!!!

    ResponderBorrar
  7. Oi Ivy, tudo bem?
    Esse livro está na minha wishlist há tempos mas nunca baixa de preço. :(
    Eu adorei a sua resenha e pude ter certeza que (mesmo com um romance não tão uau) o livro reúne vários elementos que gosto, como narrativa alucinante e uma história ágil.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderBorrar
  8. Olá tenho muita vontade de ler esse livro, por algum motivo após o bum do lançamento eu acabei me esquecendo dele, fiquei curiosa novamente pela obra lendo sua perspectiva, espero ter chance de realizar a letura!

    ResponderBorrar
  9. Oi Ivy! Eu amei a trilogia, é mais aventura que romance e ainda assim não deixou nada a desejar. Espero que você curta a leitura dos outros também. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderBorrar
  10. Além de achar lindas as capas dessa série, eu super tenho curiosidade em ler essa fantasia. A história parece ser envolvente e incrível.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderBorrar
  11. Olá, Ivy!
    Eu particularmente nunca li os livros da Alwyn e já conhecia a "Rebelde do Deserto" há algum tempo, mas nunca surgiu a oportunidade de ler esse livro. Eu acho essa capa linda e a ambientação deve ser realmente incrível, mas é uma pena que o livro não te conquistou totalmente.
    Abraço!

    ResponderBorrar
  12. Oi Yvi, tudo bem?

    Já li essa trilogia e gostei bastante. Confesso que alguns elementos da história como o drama excessivo da protagonista e muitas vezes o Jin ser esquecido no churrasco me incomodaram. Mas a escrita da autora é fluida e a narrativa gostosa de se acompanhar.

    Beijos;*
    Ariane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderBorrar
  13. Olá, tudo bem? Eu gosto demais dessa trilogia. Acho que ela cresce a medida que os volumes aparecem, por isso pode esperar uma melhor estruturação do romance e todo o enredo. Além disso, realmente a ambientação da fantasia é sensacional e quase que única, e gosto bastante do grupo principal de personagens, que também tem tudo para amadurecer. Espero que possa curtir os sucessores. Ótima resenha!
    Beijos

    ResponderBorrar
  14. Oiii!

    Eu li esse livro há um tempo atras e concordo com sua resenha, a obra é incrivel e o trabalho da Seguinte deixou ela ainda melhor, mas como não é meu estilo de livro favorito, eu meio que brochei para a continuação, mas epsero um dia ler.
    Adoro suas resenhas!


    Beijinhos,
    Ani
    www.entrechocolatesemusicas.com.br

    ResponderBorrar
  15. Olá!

    Estava esses dias namorando esse livro na Amazon e me perguntando se valia mesmo apena e olha a resposta vindo ao meu encontro. Amei a sua resenha e suas considerações, geralmente eu acho romance de fantasia meio secundário a não ser que seja o foco principal o que não parece ser o caso. Enfim, você acaba de me ajudar a decidir que irei ler esse livro sim, claro e com certeza. Obrigada pela dica e sua opinião.

    Beijos
    https://leitura-terapia.blogspot.com/

    ResponderBorrar



Subir